sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Entre frames #55: Aonde está Deus? - Eli Soares



 

Entre frames em plena sexta-feira? Isso mesmo! Porque não sou obrigado a seguir regrinhas pré-estabelecidas. O Entre frames já estava ausente aqui do JOVEM JORNALISTA, não é mesmo?! Hoje analiso o clipe Aonde está Deus? do cantor Eli Soares. Lançado em 11 de maio de 2018, o vídeo já conta com 5.776.108 visualizações e 80 mil curtidas (Não vi se tem descurtidas ou se elas foram desabilitadas). Aonde está Deus? foi dirigido por Gustavo Carneiro e conta com a direção de fotografia de Thales Violante. 

O clipe tem uma estética simples, minimalista, clean, mas é totalmente tocante. Com no máximo três cenários, Aonde está Deus? fisga o espectador por conta de sua simplicidade e da história que é ecoada pela letra. Aliás, esta última é muito mais forte que o aspecto visual e estético, mesmo que ele seja belo visualmente falando. Assista à produção:



Trago outras considerações a seguir. 


Estética e visual


Você percebe ao assistir o clipe que menos é mais, que o vazio comunica e o vácuo também. Não é preciso de muito para transmitir uma mensagem. No caso do clipe, apenas de três ambientes. O primeiro deles, na cor azul marinho com lâmpadas fluerescentes, poltrona, luz e sombras; o segundo, uma imensa sala vazia com paredes e chão, sem nenhum objeto; e o terceiro, uma sala no bréu. 

A estética comunica muito. O que os vácuos, vãos e vazios poderiam significar? Esses ambientes trazem um certo ar de solidão, intimismo e reflexão. É como se Eli estivesse sozinho, nos seus pensamentos, e à procura de Deus. Deus poderia estar ali, como não poderia, já que Eli, a todo momento O busca.

Os segundos iniciais (0:00 - 0:04) mostra o cantor sentado em uma cadeira, nas sombras. O filtro azul marinho tem predominância e contrasta muito bem com as quatro lâmpadas fluerescentes. Poeticamente, Eli está nas sombras e vemos sua silhueta, harmônica e de forma central na tela. 

Os quatro segundos seguintes (0:04 - 0:07) Eli continua sozinho, mas em outro ambiente com paredes e o chão brancos. Sua jaqueta vermelha contrasta e dá um efeito legal com relação ao fundo. Perceba que o cantor está à procura de Deus e que a estética modifica um pouco. Aqui a assimetria e desarmonia prevalecem, pois Eli estava alinhado à direita do vídeo.


















Continuando a falar da estética - que por sinal tem tudo a ver com a mensagem e a história que o cantor quer transmitir - Eli expressa verbal, emocional e corporalmente sua procura pelo Altíssimo. Isso começa quando ele sai das sombras e seu rosto fica evidente (0:13 - 0:15). Aqui um jogo de luz e de câmera foi utilizado. Então, a música começa de fato, com o cantor sentado, abrindo os olhos e cantando os primeiros versos (0:20 - 0:23). Alguns segundos depois, vemos outros movimentos de câmera, como o close no rosto do cantor (0:31 - 0:39). 

Nessa mesma ideia, Eli continua expressando seus sentimentos e emoções, mas agora em um outro ambiente. O cantor explora esse ambiente vazio, agora de pé, totalmente perdido e desorientado, até que canta: "Caminho sem direção" (0:40 - 0:46), casando com o aspecto visual do vídeo. Entendo que a pessoa que caminha desorientada não tem Deus para a guiar. 

Em outro ambiente, o cantor faz caras e bocas, com bastante emoção e entrega (0:47 - 0:55). Até que faz um gesto batendo no peito fortemente enquanto canta "O que falta mais é o amor" (0:56 - 0:59). Eli já remedia que a ausência de amor nas pessoas, acarreta na ausência e distanciamento do próprio Deus. Ele não pode habitar onde não existe esse sentimento tão nobre (Mais reflexões sobre a mensagem no decorrer do texto). 


Força de expressões/sentimentos e a falta deles 


Em filtro preto e branco, Eli levanta a placa "Amor", no mesmo instante em que a palavra é citada na música (1:00 - 1:02). No ambiente vazio Eli levanta as mãos, e palavras-chaves "Perdão" e "Fé" surgem escritas, por meio de efeitos especiais (1:14 - 1:17). Figurantes também seguram placas, como a de um senhor com uma interrogação (?) (1:21 - 1:23). Segundos após, Eli responde a pergunta de onde estaria Deus. Resposta: Está lá fora. Nesse instante, ele surge de cabeça baixa, a levanta e olho para o lado (1:30 - 1:39). Sete segundos depois, a tela esmaece e surge uma família em foco com uma criança segurando a placa "Perdão" (1:40 - 1:43). 

Mais placas, sinalizações e expressões ocorrem no clipe. Entre 2:14 e 2:15 uma mulher surge com a placa "Orgulho". No segundo seguinte, Eli implora por saber em que lugar está Deus, fazendo gestos pontuados com as mãos (2:16 - 2:22), até que levanta a placa "Onde está?" (2:23 - 2:25). O cantor, então, "tira" Deus do bolso como se ele tivesse fora dele, sem estar em seu interior, como se estivesse longe de Eli (2:30 - 2:32). 


Na parte "Se eu não consegui estender a mão ao meu irmão", Eli surge duplicado na tela  e sua cópia se dissolve no ar (2:50 - 2:54), como se o cantor quisesse oferecer ajuda ao seu outro eu, mas por algum motivo não conseguiu efetivar isso. Instantes seguintes, um homem comum segura a placa com a inscrição "Ódio" (3:06 - 3:07). Depois, de Eli sai o sentimento de "Orgulho", em mais um efeito especial (3:11 - 3:16). Finalizando essa sequência, um homem segura a placa "Fé" e a Bíblia (3:32 - 3:34).


A todo momento, o clipe mostra a força de sentimentos e expressões tão impregnados dentro de nós. Amor, ódio, perdão, Deus, fé e orgulho, são esses sentimentos mostrados, que podem - ou não - serem verificados dentro de nós. O clipe mostra que, muitas vezes, o amor, perdão, fé e Deus estão em falta em nós, dando lugar ao ódio e orgulho. Eli já nos diz que "O que falta em nós é o amor Se não tem perdão não tem amor Se não tem amor aonde está Deus?". Como já mencionei, Deus não está - EM HIPÓTESE ALGUMA - em lugares onde exista ódio, orgulho, prepotência, em detrimento do perdão, amor e fé. O que ocorre é que Deus está lá fora, longe de nós! 


Entrega


O que fazer com relação à ausência do amor e de Deus em nós? É preciso uma atitude de entrega total à Ele. O anseio pela presença divina deve ser evidente. Entre 2:05 e 2:13 Eli é multiplicado em um efeito visual/especial e está em diversas posições bem emblemáticas e cheias de significado. O cantor levanta as mãos em sinal de entrega à Deus, pede socorro ao Pai Eterno, se desespera e ajoelha. Quer mais entrega que isso?! 

O clamor do cantor continua entre 3:35 e 3:38. E aonde há clamor, há escuta de Deus e há mudança de situações. Deus ouve e torna a habitar entre os seres humanos. Entre 3:46 e 3:49 há um fade out musical, enquanto Eli continua ajoelhado. Nos frames 3:50 e 3:56, a câmera dá um close no cantor que se pergunta, sussurrando, onde Deus se encontraria. Eli está sentado na poltrona (Mesmo frame inicial) e finaliza a música. Há fade out e as luzes são desligadas (3:57 - 4:09). No frame seguinte, Eli surge no ambiente vazio, ainda à procura de Deus e desaparece na lateral esquerda do vídeo. Fim do clipe (4:10 - 4:17). 


Letra

A canção tem assinatura de Eli Soares, em parceria com Fernando GA. A letra tem uma pergunta que talvez saibamos a resposta, mas não queremos responder. Também fala das características humanas, bem como da diferença do que se fala e se vive. Fique agora com alguns trechos da canção e meus comentários. 


"Coração de pedra, alma cheia de orgulho

Caminho sem direção

Casa abandonada, mundo tão vazio

O que falta em nós é o amor"

Muitas pessoas nutrem esse sentimento e nem se dão conta. Acham que é normal viverem assim. Não há uma percepção clara que falta um preenchimento, a presença de Deus. 


"Se não tem perdão não tem amor

Se não tem amor, aonde está Deus?

Aonde está Deus?

Aonde está Deus?

Está lá fora, e a alma chora

Aonde está Deus?"

Já refleti sobre esse trecho no post, mas só queria acrescentar como é triste que Deus não habite nas pessoas, não é mesmo? Eli relaciona a presença de Deus ao amor, uma vez que Ele próprio é esse sentimento.


"Se eu não consigo estender a mão ao meu irmão

Aonde está Deus?

Se eu não consigo fazer o bem sem olhar a quem

Aonde está Deus?

Se eu não consigo nem perdoar quem me ofendeu

Aonde está Deus?"

Deus se manifesta em nossas atitudes amorosas, bondosas e generosas, mas não de ódio ou falta de amor. Fica a dica! 


"Muito se fala

Pouco se vive

Muitos perguntam

Ninguém responde

Onde está meu Deus?"

Mais do que a fala e discurso, o que importa é o exemplo e a atitude.


Música


Eli é um dos mais influentes cantores gospel de sua geração da atualidade. A música tem uma bela melodia e toque e eleva ao mais alto nível de adoração e entrega à Deus. A canção tem total condição de ser tocada em emissoras seculares, além de entrar em playlists não-gospel dos serviços de streaming. 


Esse foi o Entre frames de hoje. Até o próximo! J-J
















Por: Emerson Garcia

7 comentários :

  1. Uma análise muito pormenorizada, com a necessária reflexão pessoal
    Gostei

    ResponderExcluir
  2. Por vezes também me pergunto/interrogo: Onde está ( ou será que existe? ) Deus.
    .
    Feliz fim-de-semana
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  3. Olá, Emerson.
    Eu não conhecia o cantor ainda e achei a musica bem bonita. Eu prefiro quando tem menos coisa para a gente ver que ´da um visual melhor hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. passando para desejar um feliz fim de semana bjs saude

    ResponderExcluir
  5. Olá. Fiquei curioso sobre a diferença que você faz entre vácuo e vazio e gostaria que você, se puder, falasse um pouco mais sobre isso, pois fiquei um pouquinho confuso. Rs.
    Abraço,

    www.oguardiaodehistorias.com.br

    ResponderExcluir
  6. Mais um post com um trabalho incrível!
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderExcluir
  7. Um tema musical, que adorei descobrir por aqui... também de forma tão pormenorizada! Como sempre, um incrível trabalho de análise!
    Um grande abraço!
    Ana

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Nos siga nas redes sociais: Fanpage e Instagram

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design