segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Hiatus interrompido: O SBT e as campanhas contra as crises econômicas





Campanhas de TV contra as crises econômicas que assolavam o Brasil em distintas épocas. | SBT


Nós do JOVEM JORNALISTA interrompemos o hiatus neste 19 de agosto 2019 – dia em que o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) faz 38 anos – para mostrar que a emissora divulgava em seus intervalos comerciais frases de incentivo para os telespectadores.

É sabido pelo brasileiro que o SBT é conhecido como uma emissora popular, simpática e otimista. Parte desta fama é intimamente ligada ao dono da TV e animador Silvio Santos. Em três épocas o SBT usou sua força de vice-líder de audiência para passar mensagens de otimismo e estimular o brasileiro a coragem para superar os momentos de austeridade e de crises econômicas.

Desde sua fundação o SBT divulgou ao menos três campanhas institucionais que é possível superar os momentos de “vacas magras”. Mensagens curtas da emissora do dono do Baú.


1987: “Se você fizer a sua parte o Brasil vai...”

Em 1986 entra em vigor o “Plano Cruzado” (Cz$) no governo do presidente José Sarney. O que inicialmente foi um alívio, se mostrou um “voo de galinha”. O Brasil voltou a ter uma recessão. Em 1987, o SBT lançou a campanha com o slogan “Se você fizer a sua parte o Brasil vai...” onde se vê trabalhadores em suas áreas de atuação com a imagem da bandeira nacional a tremular como pano de fundo.






1999: “Com crise se cresce!”

Mesmo com a nova moeda em vigor desde 1994, o Brasil passou por várias crises que geraram a desvalorização do Real (R$). Muitas empresas faliram ou se fundiram com outras corporações mais fortes. O SBT lançou a campanha “Com crise se cresce!” onde se infere que dias melhores virão. A vinheta é de um céu enegrecido para um azulado e o jogo das palavras “crise” e “cresce”. Até o ponto de interrogação vira-se de perfil, formando um ponto de exclamação.






Curiosidade: nem todos gostaram desta campanha do SBT: na seção de cartas disponível no site do jornal Folha de S.Paulo, em 06 de junho 1999 (domingo) [1],  um leitor chamado Fabiano de Oliveira de Jundiaí (SP) disse:

"Estou cansado da frase que o SBT apresenta nos intervalos da programação: 'Se cresce com crise' e 'Com crise se cresce', que tenta fazer com que o povo brasileiro se acomode com o problema pelo qual o país está passando e que espere de braços cruzados até que esse problema seja solucionado."


2008/2009: Frases e discursos famosos

Em 2008, outra crise mundial afeta a humanidade. No Brasil os efeitos são poucos sentidos inicialmente, mas veio com força total nos anos seguintes.

O SBT lançou uma campanha de superação da recessão econômica com a locução de frases e discursos de diversas personalidades mundiais. Se não me engano, pessoalmente me lembro de ter visto uma frase ou discurso do presidente dos Estados Unidos, Franklin Delano Roosevelt (1882-1945).

Encontrei uma do físico Albert Einstein (1879-1955) no qual encerrava assim: “...A verdadeira crise é a crise da incompetência.” No vídeo narrado pelo locutor e voz-padrão da emissora, Carlos Bem-Te-Vi.






Este ano a “Grande Depressão” – crise econômica que se iniciou em 1929 – fará 90 anos. Neste texto de hoje registre-se que a cada década de crise, o SBT ao menos lançou uma campanha institucional incentivadora ao brasileiro. A lição que fica é que nos momentos de dificuldade é possível dar a volta por cima. J-J




Por: Layon Yonaller, colaborador especial do JOVEM JORNALISTA

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Eu vi #21: Pane no chroma key em afiliada da Globo em Goiás; Propaganda indireta no rodapé; e palavrão durante o 'Brasil Urgente'



Os detalhes que passaram despercebidos na TV. | montagem: LAYON YONALLER


O Hiatus de Inverno [1] do JOVEM JORNALISTA é interrompido para a volta do quadro mais detalhista da televisão do Brasil. A edição número 21 do Eu vi mostra o que muita gente não viu na TV.

Hoje teremos um chroma key que mostra imagem errada no estúdio virtual, uma propaganda indireta de uma conhecida loja de varejo e um operador de switcher que fala um palavrão ao vivo no ar.


Imagem errada no chroma key em telejornal de Goiás

Em 08 de julho de 2019 às 19h36 (Brasília: UTC-3h) assistia o final do Jornal Anhanguera 2ª edição (ou JA2) – edição que passa em todo o estado de Goiás exceto na capital Goiânia e região. O telejornal é exibido na TV Anhanguera, afiliada da Rede Globo de Televisão.

O chroma key que adorna o estúdio trocou de imagem por 3 (três) segundos. Em vez de aparecer o cenário virtual apareceu a imagem de fundo que havia no monitor atrás do apresentador Luciano Cabral. Confira:






O chroma key é aquela técnica de vídeo que consiste na troca do fundo verde ou azul do cenário físico que é substituído por imagem virtual.


Propaganda indireta no rodapé

Na madrugada das 5h36 (Brasília | HBV UTC-3h) do dia 06 de agosto de 2019 o noticioso matutino Café com Jornal da TV Bandeirantes (Band) exibia uma matéria sobre uma usina solar flutuante no estado da Bahia. Na chamada da notícia que ia ao ar estava escrito: “Estrutura poderá abastecer até 1800 casas na Bahia.” Fica perceptível uma propaganda indireta à loja de varejo brasileira chamada Casas Bahia, mesmo não sendo proposital escrever a chamada desta maneira.

O termo “casas na Bahia” te lembra alguma coisa? | Band


Alguém disse na tela do Brasil Urgente: “filho da p...!”

O operador da mesa falou um palavrão ao vivo. | Band


Por volta das 18h49 (Brasília: UTC-3h) do dia 08 de agosto de 2019 o programa jornalístico policial Brasil Urgente da Band estava se preparando para separar a rede. A emissora reserva 30 minutos na grade para a exibição de programas locais.

Antes do apresentador José Luiz Datena chamar a próxima matéria – que se tratava dum assaltante que roubou mais de 100 ônibus – ele conversava com seu colega o operador de switcher “Latino” sobre o vídeo citado.

O switcher é uma mesa de corte que insere áudios, vídeos e caracteres em uma emissora de televisão. Ao saber a quantidade de coletivos assaltados pelo bandido, “Latino” disse um palavrão que pôde ser ouvido no ar. Confira:






Acompanhe a transcrição do diálogo:

DATENA: ...Hein?
LATINO: Cinquenta tá bom, né!
DATENA: Não, tá bom não. Tá mal, cinquenta estaria mal.
LATINO: Acredito que sim, né!
DATENA: Cinquenta? Não! ‘Cê’ tá enganado, Latino. Agora fala “óóó! Faóó!” O cara roubou mais de cem ônibus, cara!
LATINO: Filho da puta!
DATENA: Ahn, o que ‘cê’ falou, Latino?
PESSOAL DO SWITCHER: (risadas)
DATENA: Eu não o entendi o que ‘cê’ falou. Tá ligado o microfone, Fidel? O que que é, Araruta, o quê? Xingou o cara do quê? Sujeito batuta?
LATINO: É!
DATENA: Roubou mais de cem ônibus do Latino que falou “que sujeito batuta!” Marcele Setúbal na tela, o sujeito roubou mais de cem ônibus! Cem ônibus! Ainda bem que o Fidel fecha o microfone ali. Põe na tela, ô Latino.

E foi isso o que eu vi. J-J




Por: Layon Yonaller, colaborador especial do JOVEM JORNALISTA

sábado, 20 de julho de 2019

Hiatus de inverno do JJ: de 20 de julho à 29 de agosto

As merecidas férias do JOVEM JORNALISTA se iniciam hoje (20) e irão até o dia 29 de agosto. Serão praticamente um mês e 10 dias de descanso mais que necessários.

Durante o Hiatus de inverno não pararemos por completo, preparando posts e conteúdos para vocês, meus caros leitores. Se algo acontecer de extraordinário no Brasil ou mundo o Hiatus de inverno será interrompido. Mas isso só acontecerá em último caso mesmo. 

Se sentirem falta do JJ (E creio que vão!), não deixem de acompanhar as redes sociais - Instagram, Twitter e Whatsapp - pois elas serão atualizadas frequentemente com conteúdos alternativos e variados. Também podem acompanhar os blogs do Arthur Claro (Arthur Claro Igual porém diferente e Sem máscaras e com pouca roupa).

Nesse período sabático vocês não serão abandonados por completo, pois suas postagens serão acompanhadas e comentadas ao menos duas vezes por semana. Então, esperamos que não nos abandonem, porque não faremos isso com vocês.

Esse hiatus será um dos mais longos do blog. É uma pausa, não um stop definitivo. Foi com essa ideia que fiz a arte: o botão de play e pause, sob um tom pastel. O minimalismo foi utilizado, provando que menos SEMPRE é mais. 

Recado dado, vamos para as nossas férias. Já estamos sentindo a falta de cada um dos leitores do blog. Até o dia 29 de agosto, com muitas novidades, posts polêmicos e informativos e o retorno dos quadros que todos vocês amam. J-J




Por: Emerson Garcia

sexta-feira, 19 de julho de 2019

Que música aparece quando você busca...



Após uma pausa de quase dois meses a tag Jornalista  ≠ está de volta. Eu e o Arthur resolvemos aderir a nova febre do Instagram que é a de responder uma série de perguntas - como seu nome, sobrenome e apelido - com músicas. Já vi duas pessoas fazendo esse novo desafio no Instagram (Aliás, tenho acompanhado bem pouco a rede social ultimamente).   

Eu e o Arthur então decidimos editar alguns tópicos do desafio de acordo com nossas personalidades e dando a nossa cara. Chegamos à 12 tópicos.

E quais são as regras estabelecidas para o desafio?! Bem, poderíamos colocar músicas que tinham a palavra no título ou no corpo da letra. Por exemplo: no tópico cidade pesquisei por "Ceilândia", mas não existem músicas com esse nome, o que me levou a encontrar uma música que tenha "Ceilândia" na letra, entendem?!

O resultado final das respostas ficou bem peculiar e não teve nada de intencional. Encontrei música de MPB, hip hop, gospel, funk e até mesmo arrocha, acreditam?! 

O layout dos tópicos ficou assim: a música/vídeo da resposta, depois a explicação da resposta, fazendo uma correlação com a música. Preparados?! Ah! E não deixem de conferir como o Arthur Claro criou esse post


Sua característica psicológica





Pesquisei "timidez" na caixa de pesquisa do Youtube e logo apareceu essa música. Ao contrário do que possa parecer sou um JORNALISTA MUITO TÍMIDO e essa canção é a história da minha vida. Lembro que uma professora de Sociologia do Ensino Médio a levou e logo disse que ela tinha tudo a ver comigo. Um trecho dela diz: "Sei que tento me vencer e acabar com a mudez Quando eu chego perto, tudo esqueço E não tenho vez Me consolo, foi errado o momento, talvez Mas na verdade, nada esconde essa minha timidez".


Sua característica física





Pode não parecer, mas uma das minhas características físicas é que sou gordo. Tá bom, um pouco gordo, mas não deixo de não o ser. Lembro que quando essa música foi lançada, um colega de trabalho logo disse que tinha a ver comigo. Enfim, melhor ser um gordinho gostoso, do que apenas um gordo (Tá, parei KKK). 


Seu número favorito


Nesse tópico eu e o Arthur decidimos que a música poderia ter o número favorito por extenso ou o numeral mesmo. 

Confesso que fui primeiro na música e depois no que o tópico pedia. Não sei se isso pode ser considerado trapaça, mas fiz isso. Além disso, escolhi duas músicas para a categoria ao invés de uma.

Pois bem, fui nas canções Million reasons e depois em 100 bilhões de vezes, para assim escolher meus números favoritos. MILHÃO e BILHÃO são números grandiosos. Além disso, indicam enorme riqueza (Não sei o que faria se tivesse 1 milhão ou 1 bilhão de reais na mão). 

Escolhi cada uma das músicas por um motivo, que explico logo após cada vídeo. 





Esse é um número especial, pois em maio de 2017 o JOVEM JORNALISTA atingiu a marca de 1000 posts. É certo que o blog já ultrapassou 1500 posts, mas 1000 foi importante e uma marca que jamais irei esquecer.  







Já o 100 bilhões de vezes foi escolhido mais pela incrível canção do que pelo número propriamente dito. Mesmo assim, é ele é incrível e imensurável. Já parou para pensar quanto essa conta dá?! Um número quase que infinito.



Sua comida preferida





A busca por minha comida predileta ("Lasanha") levou à esse rap para lá de peculiar e cheio de palavrões. Eu ri muito quando li a tradução dessa música. O cantor chega a dizer ao interlecutor que vai lhe servir uma "lasanha de vadia".


Sua palavra preferida 







Minha palavra preferida é "amor" e logo que pesquisei apareceu esse funk até leve e "bonitinho". O cantor chama sua amada de amor e a trata com delicadeza e cortesia (É difícil ver um funk assim né?!). 



Sua cidade






A minha cidade é Ceilândia (Para quem não sabe é uma cidade-satélite que fica dentro do quadradinho chamado Distrito Federal e a alguns quilômetros de Brasília). Logo que pesquisei por ela a primeira música que apareceu foi essa famosíssima do rapper Hungria Hip Hop. Determinado trecho diz: "Preciso de tão pouco pra sorrir Mesmo sem visitar a Disneylândia Eu não troco por duas Miami ou Paris A metade da minha Ceilândia". A música tem uma boa letra e um ritmo contagiante. 


Mês do aniversário





Ao pesquisar pelo mês do meu aniversário ("Julho") logo de cara apareceu a música Julho, da Daniela Araújo, mas não a coloquei porque mesmo que o título fale de julho, a música não tem nada a ver com o meu mês (Ela apenas deu esse nome porque ela fez parte de um projeto onde, a cada mês, ela lançava uma música). Então, desci a barra de rolagem e encontrei essa música até então desconhecida por mim. Ela é uma fofura só e fala das características de cada mês. Certo trecho o cantor diz: "Me preparo para o frio de julho e tudo o que o vento vai trazer".  



Seu hobby preferido








Meu hobby predileto é assistir séries, realities shows, novelas e novelas bíblicas. Então,resolvi colocar no campo de pesquisa do Youtube "Netflix" e me deparei com essa paródia incrível da música Cold Water, de Justin Bieber. A letra fala de várias séries que assisto/assistia e caiu como uma luva. Separei alguns trechos (Negritei as séries mencionadas): 


"Já avisei o meu pai, agora eu vou!   
Fazer maratona da série Arrow
Não tem propaganda, já começou
Eu só vou me enfiar no edredom 

[...]

Foi com Breaking Bad, que começou
Era pra ser, só um episódio!
E quando você vê, outro já foi
Agora fodeu, tem Pokemon!

Eu deveria sim
ficar bastante puto
Mas é tão, tão baratinho
Só falta uma coisinha
Cade Game of Thrones?
Não tenho tv a cabo!
Nem HBO GO

[...]

Amor, amor
Essa série me assustou!
A Eleven [Stranger Things] me afetou
Vamos ver outra!
Hey Amor, amor
Veja só o que tem de novo
Vou dar play já começou! 
Ver Glee eu vou!
Vem ver amor!"



Sua série preferida







Nessa categoria definimos que poderíamos pesquisar pela série em seu nome original ou traduzido. Bem, a minha série preferida sem dúvidas é Once upon a time. Então eu traduzi para o português, ficando "Era uma vez", o que me levou à essa bela música de Kell Smith. 



Pecado capital que possui






Nessa também eu meio que trapaceei, pois coloquei que o pecado que cometo é a "Gula" e não apareceu nenhuma música interessante, daí me lembrei de uma música da Marisa Monte e coloquei "quindim", o que me levou à Não é proibido onde a cantora fala de vários doces e guloseimas. Tá certo que gosto mais de coisas salgadas, que doces, mas o que vale é a intenção. A letra não é recomendada para quem é diabético. Separei um trecho dela: 

"Jujuba, bananada, pipoca,
Cocada, queijadinha, sorvete,
Chiclete, sundae de chocolate,

Uh!

Paçoca, mariola, quindim,
Frumelo, doce de abóbora com coco,
Bala juquinha, algodão doce e manjar.

Uh!"



Sua cor preferida






Uma das minhas cores preferidas é o amarelo, por ser uma cor alegre, quente, vivaz e vibrante. Quando pesquisei por ela apareceu esse rap fabuloso de Emicida, com participações de Majur e Pabllo Vittar. O clipe é cheio de detalhes em amarelo e estou cogitando falar dele em um futuro Entre Frames. Separei o trecho que diz: " 'Cê vai atrás desse diploma Com a fúria da beleza do Sol, entendeu?"



Seu signo


Outro tópico que encontrei duas músicas para colocar (Aquele indeciso que não pode escolher apenas uma). Meu signo é câncer (Sim! Cadê os mimizentos de plantão para me acompanhar?!) e coloquei Câncer de Hotelo com participação de Vitória Falcão e Signo de câncer de Bruna Caram. Falo de cada uma delas abaixo:







Essa música é fofurinha demais (Aliás, perceberam o tanto de música legal e interessante desse desafio?!). Me identifiquei muito com a letra e separei alguns trechos (Foram quase todos, mas tudo bem) e selecionei frases que tem mais a ver com o signo e comigo:

"Água em pedra dura bate até que fura
Não se sinta insegura se eu disser
Que é tudo uma loucura
O mundo não tem cura, amor
Sente e protege
Eu sei que você rege todas as marés do mar
Mas não se esconda no casulo
Sem tu não é seguro viver
Pode crer

Cê vai cozinhar
e vai se magoar se essa comida queimar
Cê vai chorar
E eu vou me apaixonar
Em casa a gente vai ficar
Pra sempre quero ser seu par

lararara


Vão dizer que é drama
Nessa cê me ganha
O mundo deve entender a sua dor
Sua paúra é linda
E tu só vive morta de amor
Sente e protege
Eu sei que você rege todas as marés do mar
Mas não se esconda no casulo
Sem tu não é seguro viver
Pode crer"


Fala sério se essa música não tem tudo a ver com os cancerianos?!






Já essa música se refere e identifica bem menos os cancerianos e acredito que ela é menos interessante que a anterior. Mesmo assim, separo alguns trechos:

"Mês de junho
Qual é seu nome eu sei
Tempo de frio prazer
O mesmo nome hei de ter

Frio que rasga os lábios meus
Ser cria de um sábio...

Mês de junho
Tempo de festas quintais
Temos os signos iguais 
Sonhos e planos reais"


As referências ao câncer são bem superficiais e gerais, como os trechos: "mês de junho", "tempo de frio" e "temos os signos iguais"



Essas foram minhas respostas ao desafio. Acredito que deu para me conhecer um pouco  mais com cada música e explicação. Não deixem de conferir as respostas do Arthur ao desafio, pois estão interessantes também.


Vocês já tinham visto esse desafio? Gostaram das minhas respostas? Deu para conhecer mais um pouco de mim? Digam nos comentários! J-J




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design