sábado, 27 de outubro de 2018

"Segurem esses 'Bolsominions'!": verdades e mentiras sobre Jair Bolsonaro e a campanha #Elenão




Bolsominions, apoiadores do Coiso, fascistas, adeptos do Bolsomito. Vários são os adjetivos dados para as pessoas que apoiam Jair Messias Bolsonaro - que de acordo com pesquisa do Datafolha divulgada no último dia 25 de outubro lidera com 56% dos votos, contra 44% de Andrade (como é conhecido no nordeste). 

Tais adjetivos não são nada pacíficos e dados a partir de ideias, posicionamentos e planos de governo de Jair MESSIAS Bolsonaro (Não! Ele não será o messias do Brasil!) verificados por esquerdistas. É aquela velha briga de sempre entre esquerda e direita.

Ao contrário do que se pensa, Jair não será o salvador da pátria, mas na atual conjuntura do país, ele é a oposição e a "esperança" para uma nação que vive de migalhas, com elevado desemprego e a corrupção desenfreada. 

Muitas ideias foram pautadas contra Jair Bolsonaro nesses dois turnos e é isso que quero discutir nesse post. Seria mesmo "o coiso" misógino, homofóbico e contra as minorias? Armamentos serão liberados para geral caso ele ganhe? Por que o suposto caixa 2 veio à tona somente no segundo turno? Jair Bolsonaro odeia gays, lésbicas e nordestinos? Em que a campanha #EleNão é pertinente?

Então, venham comigo. 



Um vídeo direcionado à Bolsonaro


Uma produção que circula pela web refere-se à Jair com vários termos pesados, literais e assertivos. O trecho foi curtido e compartilhado por muitos. Assista-o: 






Como retratado, o vídeo refere-se ao governo de Jair Bolsonaro, caso eleito. Nesta gestão várias coisas ruins aconteceriam, como: "índio sequestrado", "nordestino discriminado", "afeminado espancado", "arma apontada e falta de tolerância" e "Hitler de volta à Terra". Tais palavras taxativas foram baseadas em discursos de Jair Bolsonaro e reinterpretadas à sua maneira. 

Recentemente, vi um comentário interessante: "Bolsonaro não é contra gays, lésbicas e nordestinos. Mas ele prega que todos são iguais". Percebem a diferença? É muito fácil taxar alguém como homofóbico, misógino e xenófobo a partir de suas falas, sem antes investigar à fundo o que realmente se quis dizer.





Uma revista francesa chamada Liberatión estampa Jair Bolsonaro sob a manchete: "racista, homofóbico, misógeno e pró-ditadura". Ou seja, já o preconceitua a partir de frases e trechos isolados dito por ele. Por isso que não devemos acreditar em tudo que a mídia fala ou diz



Na verdade para Jair não há ninguém diferente do outro. Todos são iguais perante à lei e a sociedade. O que movimentos ativistas querem é se diferenciar da maioria e pregar que não são tratados como iguais. Percebem o paradoxo? Por que que para ser igual é preciso se diferenciar com todas as forças?

Também dizem que Bolsonaro é misógino por conta de uma gravação em que chama uma política de "vagabunda" e também porque, supostamente, agrediu a sua ex esposa (Só que depois que a merda estava feita ela veio em rede nacional e disse que tudo era mentira). Seria mesmo Jair misógino por conta desses dois episódios?! Uma pessoa não deve ser marcada por uma frase feita ou um momento isolado


O simpatizante do nordeste


Dizem por aí também que Jair odeia o nordeste e os nordestinos. Me pergunto como alguém que seja xenófobo a esse ponto pôde fazer uma campanha eleitoral somente sobre o nordeste divulgada no dia 19 de outubro?






Achei interessante a forma como a mensagem foi passada: com literatura de cordel e ilustrações, enaltecendo as riquezas do nordeste e o que Bolsonaro fará pela região caso eleito.

Daí tem pessoas que falam que Jair Bolsonaro "não governará para pobres, somente para ricos". Depois desse vídeo, será mesmo que o candidato do 17 não governará para as minorias?! 


Da boca para fora





Quem nunca falou algo da boca para fora? Não seria diferente com o Coiso, não é mesmo?! Muitas vezes pronunciamos frases e declarações de efeitos que podem corresponder, ou não, às nossas reais convicções. Ontem (26) a atriz Regina Duarte fez uma declaração um tanto como polêmica sobre o presidenciável:

“Ele tem uma alma democrática, [um] humor brincalhão típico dos anos 1950, que faz brincadeiras homofóbicas, mas que são da boca pra fora, coisas de uma cultura envelhecida, ultrapassada”.



Youtubers, twitters e blogueiros volta e meia mudam suas convicções e pontos de vista. Muitos até os questionam dizendo: "fulano de tal falou isso ou aquilo no Twitter". Acontece que diariamente as pessoas mudam suas convicções e pontos de vista. O próprio JOVEM JORNALISTA estaria suscetível a isso. Mas o que precisa ficar claro é que declarações não são verdades e condutas de vida



Bolsonaro é contra a ideologia de gênero, não contra homossexuais


"Ah, o Bolsonaro é contra a comunidade LGBTQ+; Fui reclamar de como tratam as minorias e vieram com uma arma apontada para cima de mim!". Figurativamente é isso que foi dito no vídeo do primeiro tópico desse texto. Na verdade, Bolsonaro não é contra homossexuais, mas, sim, contra a ideologia de gênero e o POSSÍVEL material escolar que pode ser distribuído, caso a esquerda ganhe as eleições. Foi o que ele disse em uma reportagem da revista Exame recentemente (com grifos):

“Se for eleito, espero como presidente da República e chefe supremo das Forças Armadas, dar um ippon na corrupção, na violência e na ideologia.

 “Qual é a máxima nas escolas públicas, não interessa o nível delas? É a formação de militantes. Nós queremos uma escola sem partido. Escola sem partido não é não discutir política. Pode discutir, mas não pode o aluno que tem uma posição diferente da do professor ter a nota rebaixada ou até ser reprovado”.

"Minha luta é contra o material escolar, não interessa se é homo ou hétero, para criancinhas a partir de seis anos de idade".


O que percebemos no ensino brasileiro hoje em dia é que ele tem dado vazão a assuntos como orientação sexual, ideologia de gênero, racismo e preconceito, em detrimento do português, redação, matemática ou ciências. Não que os assuntos citados não sejam importantes, mas é que a escola tem sido mais doutrinadora que ensinadora, e é isso que Jair prega contra


Armamento para todo mundo?





Com o armamento de cidadãos, Jair não prega a violência e o espírito justiceiro como muitos falam por aí. Na verdade, ele fala de seguridade urbana e liberdade cidadã. Em um encontro com homens fardados em Curitiba, em março de 2018, ele fez a seguinte declaração (com grifos):

A arma, mais que a defesa da vida, é a garantia da nossa liberdade.


Ou seja, a arma de acordo com Bolsonaro dá autonomia ao cidadão, segurança e o nivela no mesmo nível que o criminoso, não no sentido dele ser violento como tal, mas de estar armado como tal. Foi o que disse Mário Sérgio “Bradock” Zacheski, ex-deputado e delegado de polícia aposentado (com grifos):

É inerente do ser humano andar armado. Se alguém está armado eu tenho que estar também. Tem que nivelar. Se vier um cara de dois metros de altura me atacar, eu, que sou baixinho, vou me defender como?”




A defesa pessoal é algo importante, claro. Mas acredito que antes de armar os cidadãos de bem, o presidenciável deveria equipar os policiais com melhores armamentos e com tecnologias de ponta, além de colocar um policial em cada esquina desse país. O armamento pessoal não é o início, mas o fim.

É claro que a violência com o armamento de cidadãos não irá acabar, muito menos será atenuada. Aliás, existem cidadãos armados que tem feito verdadeiros massacres por aí. É nesse ponto que se encontra o verdadeiro perigo. Os Estados Unidos, adepto do armamento de cidadãos, por exemplo, tem o histórico de atentados a escolas e locais públicos em diversos estados, como indicado no gráfico abaixo:








Em resumo: o armamento de cidadãos tem seus prós e contras. 



Suposto caixa 2


Somente no segundo turno um suposto caixa 2 de Jair Bolsonaro foi descoberto. Segundo denúncias, dinheiros foram investidos para que pessoas e "robôs" divulgassem fakes news contra o Partido dos Trabalhadores (PT) pelo Whatsapp. Até mesmo o presidente da loja de departamento Havan estaria envolvido. A pergunta que fica é seguinte: porque somente agora foi divulgado isso?

A notícia foi veiculada pela Folha de São Paulo que, de acordo com Bolsonaro é a "maior fake news do Brasil". Leia (com grifos):

"A Folha de S.Paulo é a maior fake news do Brasil. Vocês não terão mais verba publicitária do governo. Imprensa vendida, meus pêsames."


Com certeza as discussões sobre fake news foram bastante acaloradas nessas eleições. O que é fato? O que é fake? Como combater as mentiras divulgadas pela imprensa? Qual é o parâmetro para dizer que uma notícia é verdadeira ou falsa? Me pergunto até que ponto uma mensagem fake pode ser propagada. No caso dessa do Bolsonaro, não por muito tempo. Aliás, alguém tem ouvido falar disso ainda?



















A (im)pertinência da campanha #EleNão








Você sabe de onde e como surgiu a 'hashtag' Ele Não?! Provavelmente não, mas surgiu após um movimento liderado por mulheres. Depois dele, que espalhou-se pelo Brasil e pelo mundo através das redes sociais, principalmente Twitter e Instagram

Acredito que antes de aderir uma campanha, é preciso verificar de onde surgiu. É um movimento totalmente feminista e em prol das mulheres, mas o que vi foram homens e jovens a propagando a torto e a direito por aí.

Outra questão que deve ser levada em consideração, por que 'ele não' e 'ele nunca'?! Porque dizem que Jair é misógino, mas vimos que isso pode ser apenas uma palavra taxativa. Além disso, 'ele não' e 'ele nunca', porque é homofóbico, xenófobo e defende o uso de armamentos pelos cidadãos, mas vimos que todas esses preconceitos foram colocados em xeque a partir dos meus questionamentos acima.

Desse modo, seria mesmo pertinente as campanhas #EleNão e #EleNunca?! "Ah! Emerson, é pertinente porque até mesmo a Madonna aderiu a campanha". E daí? Não devemos basear nossos pontos de vista e posições pelo outro, mas por nós mesmos e no que acreditamos

O que percebemos é um crescimento da campanha #EleNão, que começou com um movimento feminista e expandiu-se. De acordo com o site Época,  a campanha #EleNão atingiu mais de 1,2 milhões de tweets na rede social do passarinho, isso cerca de um mês atrás (26 de setembro). 

Segundo o El País BR, por sua vez, os movimentos #elenão e #elenunca cresceram exponencialmente durante o mês de setembro (conforme gráfico abaixo). Só que do lado oposto, sempre há um #elesim que também cresceu. Veja a seguir:




De acordo com o site Burke Institute, "por trás do #EleNão, há um #EleSim", como representa o gráfico abaixo - onde o roxo representa #EleNão e o azul #EleSim. Percebemos que o roxo é a grande maioria, mas o azul tem presença expressiva. Analise:





E quem seria o #EleSim no gráfico? O Andrade. Até mesmo no gráfico temos esses antagonismos e extremismos, e isso nem sempre é uma boa coisa.


Espero que tenham gostado do post, onde procurei desvendar as verdades e mentiras da campanha do Jair Bolsonaro. Desejo uma boa eleição a todos amanhã e que escolham o que for melhor para essa nação tão ferida e machucada. J-J




















Por: Emerson Garcia

19 comentários :

  1. Que se deixar levar pela mídia brasileira acaba tendo a pior visão sobre o Bolsonaro. Mas sabemos que as coisas não são bem assim.

    Enfim, Bolsonaro 17! :)

    O Planeta Alternativo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Walter. Devemos ter clareza dos acontecimentos.

      Excluir
  2. Excelente abordagem do assunto Emerson!!! BOLSONARO 17

    ResponderExcluir
  3. Acho que independente de quem ganhar não vai mudar em nada.. Estou longe da cidade que eu voto então irei justificar novamente YAY! Mas mesmo se tivesse na cidade para votar eu simplesmente faria aquela coisa de zero zero e confirma. Ninguém me representa e desde que tirei o titulo de eleito não voto em ninguém. É só zero zero kkkk

    It's Lizzie | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A situação do Brasil está bem complicada mesmo, vamos ver como será em 2019.

      Excluir
  4. Olá, Emerson!

    Grata por tua visita e comentário, embora mto sucinto. Gostaria, que tu não dissesses, apenas, mto lindo ou algo parecido. Não te estou criticando, estou, somente, expondo minha opinião.

    Teu post está mto bem feito e completo. És um jornalista de verdade. Mostras, aqui, pra quem te queira ler, o que pode ser e é a deturpação ou a má interpretação de uma afirmação ou de várias. Como sabes, uma vírgula, altera, completamente, o sentido daquilo que dizemos, lemos ou escrevemos e no contexto de tua magnífica abordagem, eu vou dar um pequeno exemplo: Não, vou votar; Não vou votar. A vírgula, esse sinal de pontuação, faz toda a diferença.

    Se fosse brasileira votaria, sem a mínima hesitação, em Bolsonaro, sem qualquer receio do ele falou, fala com seu jeito próprio de quem foi militar. "Cão, k ladra não morde", sempre ouvi dizer e é nisso k temos que acreditar. Os provérbios nunca nos enganam.

    Parabéns pelo teu exemplar e imparcial trabalho aqui. Não vi os vídeos todos, mas penso vê-los qdo tiver mais tempo.

    AMANHÃ É UM DIA MUITO IMPORTANTE PARA TODOS OS BRASILEIROS, SEM EXCEÇÃO. QUE VENÇA A MAIORIA E O BOM SENSO.

    Beijo e vote em consciência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode deixar que na próxima vez que comentar em seu blog serei mais profundo.
      Exato, não devemos levar tudo ao pé da letra. Há uma diferença grande entre falar e fazer.

      Excluir
  5. Olá, Emerson.

    Assim como você, não acredito que há um salvador da pátria e qualquer 'milagre' que possa vir a tirar o Brasil na situação que está em somente 4 anos de mandato. Mesmo não tendo uma posição política - e sendo muito crítico com projetos e situações que vejo acontecer dentro do cenário político, vejo que, o Jair não é nem um pouco tolerante com a própria democracia. Vejo-o como uma ameaça a todas as maiorias que são tratadas como 'minorias' dentro do país; vejo-o como um pulo no abismo sem fim, para descobrirmos o que há e simplesmente nos damos mal. Vi entrevistas, debates e vídeos que o mesmo publicou dentro da sua bolha e não são nem um pouco agradáveis para quem ver de fora. Cansei de explicar que ideologia de gênero não existe, nunca existiu na verdade. Cansei de explicar que não há risco de uma 'ditadura comunista'. Tenho medo desse senhor chegar a presidência pois os seus seguidores são uma ameaça a minha existência, seus próprios discursos já deixam claro isso. Não sei exatamente o motivo que vota nele, mas espero que seja pensando na melhora do nosso país e não compactuando com as suas ideologias preconceituosas e militarizadas, como o mesmo mudou com finalidade de campanha.

    Beijo no coração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O motivo de votar nele foi pensando na possível melhora do país. Espero que ela aconteça mesmo.

      Excluir
  6. Esse ano esse negócio político ficou meio extremo. Bom que as pessoas foram mais atrás e lutaram mais pelos seus ideais, mas ruim pois com todas as fake news, ninguém mais é o que diz ser. O país se dividiu e as pessoas não estão mais tolerantes. Não importa quem ganhar, espero que as pessoas tenham mais calma, paz, e que na medida do possível, quem entrar, traga algo de bom para o país.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, e o extremismo nunca é bom. Espero que as coisas melhorem no nosso país, Monique.

      Excluir
  7. Eu só espero que ele faça um governo justo e que realmente combata a corrupção.
    Big Beijos,
    Lulu on the sky

    ResponderExcluir
  8. Tenho muito medo do que irá acontecer daqui para frente, apenas isso.

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que todos estão receosos. Resta-nos aguardar os próximos capítulos.

      Excluir
  9. O Brasil está de parabéns, Emerson e você, naturalmente, k também está.

    Beijo.

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Nos siga nas redes sociais: Fanpage e Instagram

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design