segunda-feira, 17 de junho de 2019

'SumUp' promove campanha no mês do Orgulho LGBTQ+



No mês do Orgulho LGBTQ+ a SumUp - uma empresa financeira tecnológica de pagamentos móveis - realiza uma campanha informativa sobre a comunidade LGBTQ+. O objetivo é conscientizar a população de cada uma das letras da sigla, além de apresentar frases/piadas preconceituosas que não deveriam ser ditas em hipótese alguma. A iniciativa é louvável, pois muita gente erra por não conhecer a sigla de maneira correta, além de ampliar a visão das pessoas sobre a temática.

A campanha foi disposta em oito artes diferentes, com a bandeira LGBTQ+ de fundo, uma espécie de balão de pensamento, com a explicação/frase e o seguinte título LGBTI+ #SumUpProud (Sum Up orgulhosa, em tradução livre). 

Observação: Pode haver um conflito. Nós, do JOVEM JORNALISTA, usamos a sigla LGBTQ+ e a campanha da Sum Up usa LGBTI+. Na verdade, as duas siglas estão corretas, e também existe uma ainda maior (LGBTTTQIA+), mas entendemos que LGBTQ+ envolve todas as classes da comunidade. 

Voltando para a campanha da SumUp... Resolvi comentar cada uma das artes, por meio da minha concepção e opinião. Acompanhe.


Esmiuçando a sigla LGBTI+


Lésbicas


De forma didática e sem preconceitos, a campanha definiu quem são as lésbicas. Lésbicas não são "sapatonas" ou mulheres "que brincam com a aranha da outra", mas aquelas que possuem atração, seja sexual, emocional ou afetiva por outras mulheres. 



Gays



Na mesma visão da letra "L", a explicação dessa sigla tem o intuito de detalhar quem são os gays, sem firulas. Gays não são "viados", "homens que queimam a rosca" ou que "dão ré no quibe", mas são simplesmente o que a definição diz que são. 




Bissexuais


Bissexual não é "gilete" ou "corta para os dois lados" ou, ainda, "um indeciso", mas essa simples definição. 


Transexuais


Quer uma definição mais didática que essa? Se você não sabia o que é um homem trans e uma mulher trans, agora pode dizer que sabe. Além dessa definição, transexuais podem ou não ter passado pela cirurgia de transição. 



Intersexuais



Basicamente intersexuais são pessoas que biologicamente não se encaixam/se definem nem com o sexo feminino, nem com o masculino. As causas disso já estão explicitadas na arte. 



Mais+


Essa definição é bem genérica e geral e, confesso, que não gostei muito dela. A arte poderia explicar o que é o Q (Queer) da sigla, os outros Ts (travestis e transgêneros) e os não-binários. Essa definição é muito abrangente e deveria ser mais específica. 



Desfazendo preconceitos


Com a hashtag #ÉPreconceitoSim, a campanha apresentou duas frases que podem ser encaixadas como homofóbicas e dentro da atual Lei da Homofobia. Abaixo, apresento cada uma delas e as comento.

Como deve ser difícil para uma mulher trans ou uma travesti ouvir essa frase, né? Ela é dotada de preconceito e desrespeito.  

 

Essa frase acredito que estamos cansados de ouvir e, para quem não sabe, ela é muito preconceituosa e homofóbica, sim.


Outras frases preconceituosas


Além dessas frases, a SumUp poderia incorporar outras, como: 


"Quem é o homem e a mulher da relação?"

"Parece um viadinho"

"Só sabe dar ré no quibe"

"Homem com homem não reproduz."

"Não sou preconceituoso. Até tenho amigo gay."

"Tudo bem ser gay, mas precisa ser afeminado?"

"Tudo bem ser lésbica, mas precisa se vestir como homem?"

"Que viadagem"

"Curto lésbicas. Adoro ver mulheres se pegando."

"Tudo bem ser gay, só não me agarre."

"Você nem parece gay."

"Não tenho problema com gays, mas não precisa ficar se beijando em público."

"Meus filhos não vão entender. Como vou explicar isso pra eles?"

"Não precisa ficar contando pra todo mundo que você é gay."

"Não posta esse conteúdo, não."


Além dessas, tiveram algumas que foram ditas por celebridades, famosos e políticos:

"Ter filho gay é falta de porrada." Jair Bolsonaro

"A AIDS é o câncer gay." Marcus Feliciano

"Aparelho excretor não reproduz." Levi Fidélix

"Prefiro que meu filho seja macho." Claudia Leitte



SumUp Talks


No dia 26 de junho ocorrerá o SumUp Talks, que será um evento interno da empresa que receberá representantes da sigla LGBTQ+ (LGBTI+) para debater sobre "Como criar um ambiente seguro e de pertencimento". Acredito que em uma sociedade ainda não ciente do que é a classe LGBTQ+ e com preconceito e discursos de ódio latentes, um evento como esse se faz importante.

Entre os convidados do SumUp Talks estarão Maitê Schneider, fundadora do Transempregos; Pollyane Fernandes, responsável pela Talent & Development; e Laura Araújo, que está à frente de outsourcing na SumUp.



Já no dia 29, um dia após a comemoração do Dia Internacional do Orgulho LGBTQ+, haverá um evento em parceria com a consultoria de diversidade Transcendemos (saiba mais aqui), que receberá 45 pessoas trans e travestis para workshop de empregabilidade, networking e palestra Carreira trans na SumUp. Esse evento é primordial para o reconhecimento de pessoas trans e travestis na sociedade e mercado de trabalho. 

Além disso, a página do LikedIn da empresa fará a cobertura das ações internas e exibirá depoimentos de funcionários que representam todas as letras da sigla LGBTQ+ (LGBTI+).



SumUp e inclusão




A SumUp é uma das empresas que oferece espaço para a comunidade LGBTQ+ (LGBTI+), pois cerca de 24% do quadro de funcionários é formado por representantes da comunidade. A empresa foi premiada pelo Great Place to Work, como "uma das melhores empresas para trabalhar do setor de Tecnologia da Informação". A head of employee experience da SumUp, Naiana Buck, disse o seguinte:

 “Temos orgulho de oferecer um ambiente saudável e inclusivo para todos, e essas ações reforçam nosso compromisso de valorizar a diversidade.”



Gostou da campanha da SumUp? Conhece mais alguma frase preconceituosa? Diga nos comentários! J-J


Mais informações 
Site


Por: Emerson Garcia

11 comentários :

  1. Não estou gostando do +, se o + inclui outras orientações sexuais eu lhe pergunto JJ se inclui os pedófilos?
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que não, pois pedófilo não é orientação sexual, mas sim um distúrbio.

      Excluir
  2. Apenas siglas ... o que conta é a referência ...

    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Interessante
    Abraço

    Kique

    Hoje em Caminhos Percorridos - HUMOR NEGRO...

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo post e explicar a sigla e suas vertentes e trazer esse assunto para discussão

    Beijos
    www.pimentadeacucar.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Juliana. Quando recebi essas artes entendi que era pertinente fazer um post sobre o tema.

      Excluir
  5. Muito boa a sua publicação!
    BRAVO!!!!
    Ainda fica meio difícil entender cada sigla, mas vc ajudou bastante!
    Tenho sempre dificuldade me comentar no seu blog porque n acho o lugar certo para comentários...hj dei sorte!
    Bjo
    www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que ajudei e que bom que conseguiu comentar. Qualquer coisa me avise.

      Excluir
  6. Com certeza tem que trazer a discussão.
    Bom post.

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Nos siga nas redes sociais: Fanpage e Instagram

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design