terça-feira, 21 de abril de 2015

Por relacionamentos saudáveis

Confira a continuação de E esse apego aí?!





Falei no texto passado que sou muito apegado as pessoas, e que não pretendia mudar a minha forma de ser. Contudo, de algumas semanas para cá, percebi que estava em relações tóxicas. Não falo do apego emocional, porque creio que já resolvi isso na outra crônica, mas de relações desiguais que me faziam mal. Relações onde supervalorizava as pessoas, e fazia delas uma rocha.






Somos seres humanos, certo?! Certo. Mas às vezes, queremos ser mais frágeis do que as relações que temos, seja com familiares, amigos, namorados(as), esposos(as). E às vezes, também, queremos fazer dessas pessoas super heróis em nossas vidas. Aqueles onde sem eles somos nada, um zero à esquerda ou a tampinha de uma garrafa. Mas em outras vezes, temos o coração do tamanho do mundo ou o emblema do super homem no peito, e subjugamos as pessoas. Todos essas relações estão erradas.

Um relacionamento onde o outro é maior do que você, não é relacionamento, é um julgo pesadíssimo. E uma relação onde você quer ser maior do que o outro, também não, é tirania e soberba. Uma pessoa que se julga "smilinguida demais" (Depois peço direito ao criador do Smilinguido hahaha) tem problema. Ela nunca acha que pode ser uma pessoa melhor. Uma pessoa que tem a síndrome de Super Homem, também. Ela não acha que pode melhorar. Se acha perfeita.

Eu estava em um relacionamento de amizade assim. Onde o outro tinha uma posição de destaque sobre a minha vida, como se fosse um deus. Finalmente, acordei pra vida. Isso estava me fazendo mal. Era do tipo que acordava e já tinha que ver as mensagens de fulano no Whatsapp, quando ele não falava comigo então... era terrível. Tudo que fazia era pra agradá-lo, sendo que pouca coisa ou nada ele fazia ao meu respeito. Que tipo de amizade é esse, só de uma via?! Em outras relações, o que os outros falavam tinham enorme peso sobre a minha vida. Gente que nem era tão amigo assim. "O que faço pra agradar fulano? Será que o magoei?". Isso chegava a ser torturante. Até que cai na real: isso não é um relacionamento saudável! 

Tive uma lição, como naquela música "Eu sou vou gostar de quem gosta de mim". Agora o meu lema é: "Eu só vou me importar com quem se importa comigo". Porque eu sou frágil, humano, e creio que as pessoas também devam ser. Só se importa quem é humano. Quem é super herói, ou está nessa posição, só se importa consigo mesmo. Eu me vejo falho, feito de pó, com erros, mas disposto a acertar e ser uma pessoa melhor. Ao contrário do que muitos pensam, não acerto sempre, nem sou uma "máquina de acertos". Tenho aversão a pessoas que são boas em tudo, se dizem perfeitas e que não erram. Eu sei que não é assim, mas elas insistem em ser. E o que estava me deixando doente emocionalmente é tentar 'acertar' para esses 'deuses' (Difícil, não?!). Por isso, agora, se um relacionamento está sendo torturante pra mim, ou é melhor voltar a posição de nivelamento, ou fazer como um terrorista islâmico (Entre aspas, viu?! rsrs) e colocar essas pessoas (figuradamente) em minha frente de joelhos com um saco preto na cabeça e "passar a faca" (Brincadeirinha kkkkkkk).

Um relacionamento de amizade onde um amigo quer ser maior do que o outro não vinga. Amizades servem para fazer o outro crescer, e não para estar sempre à frente dele. Por que muitas amizades não vão pra frente?! Porque quando um erra, o outro crucifica-o, não fala palavras de incentivo e apoio. E também porque não são verdadeiros um com o outro.

Um relacionamento de casamento onde o marido quer competir com a mulher e fazê-la de gato e sapato, ou vice-e-versa, também não. Casamento é companheirismo. É certo que o homem deve ser autoridade e a mulher submissa, mas isso não quer dizer que ele tenha que pisoteá-la. Ser submissa, para vocês mulheres casadas ou que querem casar, é estar debaixo da missão do homem, e não debaixo do pé dele (Fala Deus!).

Um relacionamento familiar onde não existe diálogo vai por espaço. Pense em um ambiente onde exista competição, brigas e falta conversa. Com certeza não é um ambiente legal para se estar. Por isso, as famílias estão em crise. Filhos querem ocupar a posição dos pais, mulheres tem mais palavra do que homens, e muitos estão em crise de identidade. A família ideal não é aquela em que se vive em paz, mas aquela que tem seus conflitos mas sabe resolvê-los. 

Chegou a hora de descobrirmos que não temos coração grande demais, nem quebrado, nem de super homem. Temos coração de carne. Precisamos ocupar a posição de humanos, e desocupar o trono que pertence a só uma rocha (A verdadeira rocha, Jesus) e tirar as pessoas de lá também. De rei já basta um. A igualdade tem que reinar nos relacionamentos. Amigos, sendo amigos; pais, sendo pais; filhos, sendo filhos; esposas, sendo esposas. Saiba que muitos relacionamentos se desmoronam porque estão firmados em pessoas. Que tal firmá-los em Deus? J-J


Por: Emerson Garcia

24 comentários :

  1. Muito bom o post! ♥

    http://www.rosachicleteblog.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ahhhh, eu amei o post, mas acho que é um assunto bem delicado hoje né?Ao mesmo tempo em que devemos apegar somente á nós mesmos, sei lá, nos tornamos pessoas frias e individualistas certo?Porém, as atitudes das pessoas hoje é diferente das pessoas de antes.
    Enfim, é uma questão á ser pensada :)


    beeijos ^^
    http://carolhermanas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não disse que a gente tem que se apegar a nós mesmos, disse que a gente tem que saber com quem se apegar. Não acho que escolher por relacionamentos saudáveis te deixe mais frio ou individualista, mas creio que é aí que você viverá melhor.

      Beijos.

      Excluir
  3. Que texto maravilhoso! o primeiro parágrafo me descreve. E já tive várias amizades assim (ainda tenho algumas), em que o outro quer competir comigo, ao invés de trocar energias, se ajudar mutuamente. Fico muito triste porque parece que eu atraio esse tipo de pessoa que quer sempre me superar e se nega a elogiar o que quer que eu faça, sempre apontando apenas defeitos e tecendo críticas... Complicado. Você definiu bem "relações tóxicas". Vou compartilhar seu texto. Adorei o post ;)

    http://sonhos-empoeirados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos elogios, Andrizy. Estou lisonjeado. Depois me mostra onde você compartilhou o texto.

      Pois é, essas relações tóxicas tem acabado com muitas pessoas. Fiquei triste por você atrair esse tipo de gente. Espero que todas elas sumam da sua vida.

      Beijos.

      Excluir
  4. Excelente texto, parabéns!

    http://chezb.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Você tem muita razão nessa reflexão. Uma hora temos que perceber isso mesmo, que todos somos falhos, que ninguém é perfeito e nem feito de ferro rs Somos todos falhos, cheio de mágoas e propícios a machucar-se... Entender o próximo e parar de achar que o mundo gira em torno de nós mesmos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! Você entendeu bem o texto. Parabéns!

      Excluir
  6. Eu me vi em vários pontos do seu texto, que por sinal esta muito bem escrito!
    Já tive amizades assim, onde me dedicava muito a essa amizade e a outra pessoa não. Então chega a hora em que a gente se pergunta qual a razão disso, e é nessa que cabe um basta. Vamos dar mais valor a quem realmente merece e gosta da nossa companhia!

    Beijos
    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela singeleza. Pois é, demora pra reconhecer isso? Demora. Mas um dia se reconhece, e creio que uma hora só as pessoas que nos fazem bem estarão ao nosso lado.

      Excluir
  7. Uau, que texto! Excelente! Em vários pontos me encaixei...

    Até mais!
    Math // de-livro-em-livro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. É bonito sermos dados e gostarmos de nos entregar... mas temos de nos saber defender!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! Tenho aprendido que essa dosagem tem que existir.

      Excluir
  9. Acho que isso é o que mais acontece nos relacionamentos, só que não é tão fácil assim de se auto perceber. Esse é o maior problema, pois além de sufocar a pessoa que está com você o maior perigo é ela saber disso e usar esse conhecimento para a coisa errada.
    Acho que todos temos um pouco disso, mas temos que saber dosar.

    :**

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão. A auto percepção é complicada, mas acho que uma hora a ficha cai. Por isso, é preciso muito diálogo.

      Excluir
  10. Qualquer relacionamento precisa de confiança e diálogo! Concordo plenamente que um relacionamento baseado com competição nunca dá certo!

    ResponderExcluir
  11. Nossa, excelente texto! Eu estava precisando ler isso, essa semana mesmo me fiz perguntas desse tipo "porque eu faço de tudo pra tal pessoa e ela nem consegue reconhecer?", "o que será que eu fiz pra ser tratada com tanta frieza?" e esse texto me fez perceber, esse tipo de "amizade" não é saudável e o problema não está em quem se doa e não recebe nada em troca. Precisamos diariamente avaliar quem chamamos de amigos e quem achamos que é importante. Você se expressa muito bem! Vou compartilhar no meu tumblr =) http://sonhosdegiz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Whenia. Fico feliz por ser o motivo da sua reflexão e te ajudar nessa questão. Depois eu dou uma olhadinha no seu Tumblr ;)

      Excluir
  12. Ótimo texto e reflexão! Diálogo, respeito e compreensão, tudo começa por aí, né?
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo começa, e tudo termina por aí. Obrigado pelo elogio.

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design