sábado, 8 de maio de 2021

Rádio Bagaralho: Programa 'Discografia - Amado Batista'


Olá ouvintes da Rádio Bagaralho FM (Rádio Bagaralho, a rádio do... povo). Aqui quem fala é o locutor Arthur Claro, aquele que é igual porém diferente. Com o oferecimento do salão de festas Tua Fiesta és Loca começa agora o programa Discografia

Hoje vou apresentar as obras do músico catalano (Catalão - GO) Amado Batista que foi um pedido do nosso ouvinte Emerson Garcia. Vale lembrar que não vai ter músicas dos álbuns ao vivo dele.

 

Lady Mary - Chitãozinho e Chororó (1975)

Esta música é sobre dois pássaros, porém é uma metáfora sobre a vinda dos nordestinos para o sul à procura de prosperidades. Ela mostra a dificuldade que os pássaros encontraram.

   


Canta o Amor - Mãe (1977)

A música foi feita em homenagem a mãe, mostrando ela representa para aos olhos dos filhos.

 


Sementes de Amor - Serenata (1978)

A música mostra o desejo de voltar para o passado para fazer uma serenata mostrando todo o romantismo para a mulher que ele ama.

 


O Amor não é só de Rosas - Filho Proibido (1979)

A música trata de uma conversa de pai pra filho, mas fala sobre a proibição do pai ver o filho, por mais que ele queira vê-lo. O progenitor aconselha o filho para não repetir o mesmo erro que ele cometeu.

 


Um pouco de Esperança Vulto na estrada (1981)

Nesta música fala sobre uma visão de um vulto na estrada, porém é a visão de um trabalhador que faz de tudo para criar dos seus 10 filhos. Também é visto a mãe que dá um duro para cuidar dos seus filhos.

 


Sol Vermelho - Menina dos Olhos Azuis (1982)

Esta música parece ser feita por um rapaz apaixonado em homenagem à sua amada que possui os olhos azuis.

   


Pensando em você Não bebo álcool (1983)

A música mostra um rapaz que não bebe álcool e nem fuma cigarro, pois quer provar que é um bom rapaz para conquistar a sua amada.


Casamento Forçado - Passarinho (1984)

A música mostra a semelhança do homem com o passarinho que sai de casa pra trabalhar, mas tudo com metáforas românticas.

 


Seresteiro das Noites - Um Peixe Ou Uma Criança (1985)

Nesta música o Amado Batista faz reflexões da vida e do mundo querendo ser criança que não precisa se envolver com o mundo e também querendo ser um peixe para viver lá no fundo do mar.

 


Vitamina e Cura - O Acidente (1986)

Uma música que mostra a lembrança de um acidente, que fez acabar a alegria de um casal que era feliz.

   


Hospício Choro quando te vejo (1987)

Nesta música é uma demonstração de amor que faz até chorar ao ver a pessoa amada.

 


Dinamite de Amor O ônibus (1988)

A música, que parece um rock da jovem guarda, fala sobre a vida de um ônibus.

 


Escuta... - Meu bem (1989)

Nesta música que assume o amor para todos e que a pessoa é o amor da vida toda.


 

Eu sou seu fã - Um avião de mulher (1991)

Na música fala sobre a beleza de uma mulher, que faz qualquer homem torcer o pescoço e fazer elogios.


 

Um pedaço de mim Não aceito desculpas (1992)

Na música fala sobre uma mágoa que não tem desculpas.


Meu jeitinho Descobri que te amo (1994)

É a música que fala sobre o apaixonamento que faz o apaixonado querer sempre estar perto ou falar com a pessoa amada.


Tum tum de saudades - Vacina (1995)

A letra é baseada em uma criança afetada pela poliomielite que agradece os pais por tudo que eles fizeram pelo seu querido filho, até mesmo esquecendo de vaciná-lo e fazendo-o ficar numa cadeira de rodas. A criança faz um apelo para os pais cuidarem bem da sua irmãzinha, para que ela não tenha o mesmo destino dela, pra isso ela pede para os pais darem a vacina.


24 horas no ar - Papai Noel (1996)

É uma música natalina que fala sobre o espírito natalino.


Amar, amar - Aeromoça (1997)

Nesta música é sobre a vida de uma aeromoça que liga sempre para o seu amado.


O Pobretão - Vida de trabalhador (1999)

A música é sobre o trabalhador que faz de tudo para viver e sobreviver.


Estou só - Agarra, agarra (2000)

Nesta música é uma dica de como se faz para conquistar o eu-lírico.


Amor - Secretária (Assédio Sexual) (2001)

A música explicita a relação emocional entre o chefe e a secretária, tendo a conotação que alguns sentimentos podem vir a ter, caso sejam interpretados de uma outra maneira (sexual).


Eu te amo - Desquitada (2002)

A música mostra sobre uma mulher desquitada que dá um duro danado para viver e cuidar da sua vida mesmo sendo desquitada.


Eu quero é namorar - Travesseiro azul (2003)

Na música fala sobre um relacionamento cheio de cumplicidade.

 

Perdido de amor - Nada é proibido (2006)

É uma declaração de amor mesmo que o eu-lírico tenho medo de se declarar, sabendo que nada é proibido quando se ama.

 

 

Meu louco amor - Amanhã (2010)

É mais uma das músicas que mostra todo o amor que existe nas letras do Amado Batista.


O negócio da China Louco de amor (2014)

Uma música que mostra toda a loucura que se faz por amor, pois quando se ama ficamos loucos de amor.






Queridos ouvintes, quero agradecer a todos e espero que continuem ouvindo a Rádio Bagaralho. Vocês também podem dar ideias de bandas e cantores para que eu realize uma discografia deles, peço também que comentem nesse post as músicas que gostariam de ouvir, pode ser qualquer estilo musical. Um bom fim de semana repleto de felicidades. Sigam a Rádio Bagaralho no Instagram (@radiobagaralho). J-J


Por: Arthur Claro

sexta-feira, 7 de maio de 2021

Paulo Gustavo foi uma peça de grande valor no humor brasileiro


A notícia que jamais imaginei que fosse ser informado, pelo menos não agora, tive que receber. A morte do ator e humorista Paulo Gustavo aos 42 anos na última terça-feira (04) por complicações da COVID-19 depois de quase 2 meses internado deixou todos tristes e perplexos. Paulo Gustavo era um dos maiores expoentes do humor nacional e deixa o marido, Thales Bretas, e dois filhos, Romeu e Gael. 

Paulo Gustavo Amaral Monteiro de Barros nasceu em Niterói (RJ) no dia 30 de outubro de 1978. Ele foi um ator, humorista, diretor, roteirista e apresentador que encantou a todos com seu humor irreverente, original e simples. Paulo Gustavo se tornou conhecido com o seu monólogo Minha mãe é uma peça, que por conta do sucesso virou uma trilogia. 

Paulo criou vários personagens memoráveis, mas todos com sua personalidade e bom humor. Cada um deles tinha uma aparência, mas com a essência de Paulo que não fazia questão de modificar a voz ou fazer trejeitos para marcar um ou outro personagem criado. Era ele ali dentro de Dona Hermínia, Senhora dos absurdos, Aníbal, Valdomiro, Rique e tantos outros. Paulo imprimia sua inteligência, criatividade e a capacidade de fazer as pessoas sorrirem. 

Sempre a ideia de Paulo era a de "fazer rir, fazer palhaçada" para que ele "ficasse com o coração preenchido". O artista teve uma carreira curta (15 anos) mas inesquecível pois ele conseguiu deixar um legado importantíssimo para o humor brasileiro. Ele teve uma trajetória brilhante seja no teatro, cinema ou na televisão. Seu último trabalho foi o 220 volts - especial de natal na Rede Globo (Inclusive na terça-feira passada assisti à esse programa). 

É claro que o JOVEM JORNALISTA não poderia de homenagear esse ator. Então, vem comigo nesse post!


Vida


Nascido e criado em uma família de classe média da cidade de Niterói (RJ), estudou no Colégio Salesiano durante o ensino fundamental e formou-se na Casa das Artes de Laranjeiras em 2005, junto com Fábio Porchat e Marcos Majella.

Em 2015 casou-se com o demartologista Thales Bretas e em 2019 foi pai de Romeu e Gael. 


Carreira


Durante sua participação na peça Surto (2014), Paulo Gustavo ganhou notariedade. Pela primeira vez ele apresentava a personagem Dona Hermínia - que se tornaria um ícone em sua carreira. Assim, Paulo começou a participar de novelas e séries, consolidando seu trabalho. O humorista apostou na Dona Hermínia criando um monólogo em 2006 e realizando adaptações para o cinema. Essa personagem lhe rendeu indicações à prêmios e muitos elogios.

A carreira do comediante só deslanchava com peças teatrais, sitcons, programas e filmes. É dele a ideia do sitcom Vai que cola (2013-2017, 2019-2020) - que rendeu dois filmes nos cinemas; da série A vila; e do programa 220 volts (2011-2016) do Multishow e que estava começando a ser veiculado na Globo. Além de ser o protagonista e roteirista da trilogia de Minha mãe é uma peça, ainda participou de filmes como Os homens são de Marte... e é pra lá que eu vou!, Minha vida em marte e De pernas pro ar 2.

Em 2017 venceu o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro pelo Melhor Roteiro Adaptado por Minha mãe é uma peça 2.

Por pouco Paulo Gustavo não deixou um trabalho inédito. Seria a série Minha mãe é uma peça, encomendada pela Globoplay. O projeto já estava em pré-produção. Agora temos que nos contentar com seu trabalho, que é incrível e vasto, por sinal. 


Onde assistir aos filmes e séries de Paulo Gustavo?

O comediante tem suas produções disponíveis em vários serviços de streaming, como Globoplay e Telecine Play. Confira onde você pode ver cada uma de suas principais produções:


Trilogia Minha Mãe é Uma Peça Globoplay, Telecine, Now, Google Play, Apple TV

Minha Vida em Marte (2018) – Telecine, Globoplay, Google Play, Looke e Apple TV

Vai Que Cola: O Filme (2015) – Telecine e Globoplay

Os Homens São de Marte… E é pra Lá que Eu Vou! (2014) - Telecine e Globoplay

Paulo Gustavo na Estrada – Globoplay, Now e Vivo Play

220 Volts – Globoplay

A vila - Multishow

Vai que cola: série - Globoplay, Now online e Canais Globo


Personagens marcantes

Paulo Gustavo foi um ator de múltiplas facetas. Conheça alguns dos seus personagens mais marcantes.


Dona Hermínia


A personagem foi inspirada em Dona Déia, mãe do ator. Há quem diga que ambas são iguais. Dona Hermínia é aquela que fala demais, se intromete na vida dos filhos, se envolve nas situações mais divertidas e cômicas e é totalmente dramática e emotiva. 


Aníbal


Personagem marcante do ator no filme Os homens são de marte... E é pra lá que eu vou!, ele é amigo de Fernanda (Mônica Martelli). Aníbal compartilhava momentos divertídissimos e cheios de confusão com Fernanda. A vida imitou a arte já que Paulo e Mônica eram amigos na vida real e tinham uma relação de BFF's dentro e fora das telas. 


Senhora dos absurdos


Um grande destaque da carreira do ator também. A personagem, uma idosa de classe média alta, espalhava falhas cheias de impropérios e preconceitos. Paulo a criou para satirizar a elite racista, homofóbica e corrupta do Brasil. 


Valdomiro


Em Vai que cola, Paulo interpretou Valdomiro Lacerda Pinto, um fugitivo da polícia que sempre procurava se dar bem. Ele é acolhido na pensão de Dona Jô, no subúrbio do Rio e aprontava muitas confusões. 


Mulher feia


Personagem feia e sem atributos físicos que fazia várias esquetes hilárias contando como fazia para fisgar seus pretendentes. 


Ivonete


Carioca alto astral que adorava uma cerveja e pagode. 


Rique


Personagem de A vila, um ex palhaço que estaciona seu trailer numa simpática vila. É do seu trailer que ele observava todos os moradores e criava situações hilárias com eles. 


Homenagens

Famosos, amigos e familiares prestaram homenagens ao comediante em suas redes sociais. Fiz uma seleção com as mensagens que achei interessantes e emocionantes. Confira!




 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Paulo foi uma peça

O ator foi uma peça de raro valor e fará falta no Brasil. Não tem muito humor irreverente como o dele no Brasil. Fica aqui a minha homenagem. J-J


Por: Emerson Garcia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design