sábado, 5 de dezembro de 2020

Animais reais fazendo cosplayers de personagens de animação e outros projetos de Dito Von Tease



Já parou para pensar como seriam os personagens de desenhos consagrados na vida real? E se os animais de desenhos animados pudessem ser animais reais? Foi com essa ideia que o artista italiano Dito Von Tease resolveu tornar icônicos personagens de animações, histórias e filmes infantis em personagens mais palpáveis, da vida real. Foi então que ele criou 38 ilustrações diferentes com animais reais, como panteras, cachorros, ratos, gatos, coelhos, vacas, ursos, entre outros. 

Dito Von Tease utilizou a pintura digital para captar a essência dos personagens, sua aparência, sua alma e o resultado final foi de verdadeiros animais reais realizando cosplay de seu personagem de animação congruente. Dito explica mais do processo de criação:

"Criei uma grande galeria que nos lembra as doces lembranças da infância. Eu os escolhi diretamente dos anos 70 até o presente, dos desenhos animados aos quadrinhos, da Itália ao resto do mundo."


Logo após realizar suas criações, Dito mostrou o projeto para o seu filho Alessandro de 4 anos, que reconheceu quase todos. 

Achei simplesmente genial o processo de criação do artista italiano que conseguiu utilizar animais reais (Reais mesmo), manipulando suas colorações, cenários e inserindo objetos que fazem parte dos personagens nas animações. Dá vontade de ter cada animalzinho em casa, pois eles ficaram coloridos, amigáveis, fofos e perfeitos.

Acompanhe agora as 38 ilustrações do artista e depois volto com mais texto.

 

1- Pantera cor de rosa





2- Scooby Doo



3- Snoopy




4- Pato Donald



5- Pluto



6- Po



7- Kermit, o sapo




8- Pernalonga




9- Robin Hood





10- Pluto




11- Patrick Estrela



12- Babar, o elefante



13- Calimero



14- Rei Julien



15- O gato no chapéu



16- Red




17- Gato de Chesire



18- Tio Patinhas




19- Touro Ferdinando



20- Rémi




21- Muttley




22- Coiote





23- Senhor Silvo




24- Starlite





25- Azrael




26- Brian Griffin





27- Turbo




28- Peppa Pig




29- Bojack Horseman





30- Leonardo





31- Pimpa





32- Ursinho Carinhoso





33- Bing Bunny





34- Marshall





35- Clarabela





36- Grandma duck




37- Doraemon




38- Mickey Mouse



As artes estão disponíveis no Instagram do artista que está postando as manipulações e as inspirações desde o dia 19 de novembro. As ilustrações são de ótima qualidade, embora elas não tenham tantas curtidas. 


Quem é Dito e seus outros projetos



Ele é um artista digital que vive na Bolonha (Itália) que estudou nas melhores escolas de arte, comunicação e design. Antes de ser diretor de arte trabalhou em importantes agências de publicidade e também como artista digital independente. 

Em 2009 ele criou o projeto Ditology que trouxe personagens e referências pops e cults em dedos. Já em 2011 ele continuou esse projeto com uma galeria de retratos a dedo de gente famosa e comum que discutiu sobre identidades digitais. 


Em 2014 ele fez uma homenagem à Itália e aos seus melhores talentos com os Ditalians, uma série de retratos a dedo de italianos famosos no mundo.


Em 2015 propôs o projeto iDollz de bonecos de plástico inspirados em personalidades mundiais, como Charlie Chaplin, Frida Kahlo, Albert Einstein, Papa Francisco, Barack Obama, Rainha Elizabeth II e Dalai Lama.



Em 2017 ele criou o projeto Melting Pop, inspirados em personagens do mundo pop, que misturou vários objetos em um, os mashups.


A partir de 2011 o trabalho de Dito foi reconhecido em rádios, TV's, internet e publicado em jornais, revistas e livros de todo o mundo. Ele serviu de inspiração para campanhas publicitárias, atraindo colaborações de celebridades e compondo catálogos de galerias de arte de Londres e Paris. 

O artista também criou um projeto de dedos e digitais (Thumbtastic) que inspirou vários posteres de produtos da indústria cultural famosos, utilizando fingers (dedos) e thumbs (polegares).


É de sua autoria também o projeto Classicool que apresenta personagens de quadros famosos fazendo selfies.


Esse é um pouco do incrível trabalho de Dito. Gostou dos animais reais fazendo cosplay de personagens de animação? E dos outros projetos? Diga nos comentários! J-J


Mais informações 

Instagram 

Site


Por: Emerson Garcia

quinta-feira, 3 de dezembro de 2020

Quinta de série #serieteners #3: Sterblitch não tem um talk show, o talk show

Pode conter spoilers!






Bem vindos ao JOVEM JORNALISTA. Este é o Quinta de série com os posts especiais do Serieteners - séries criadas e produzidas durante a quarentena. Estamos no terceiro post, de uma sequência de 8 posts (ou mais). Na edição de hoje apresento a série, ou melhor o talk show: Sterblitch não tem um talk show, o talk show. O programa foi criado para a Globo, ou melhor, Globoplay e GShow. Ele conta com duas temporadas, sendo uma finalizada com 12 episódios e uma em exibição com 6 episódios já divulgados. A série, portanto, já conta com 18 episódios. Criada por Eduardo Sterblitch e Clara Araújo, possui direção de Rafael Queiroga, edição de Pedro Kabe, e roteiro de Andre Gribel, Daniela Ocampo, Eduardo Sterblitch, Leonardo Lanna e Rodolpho Rodrigo.

Sterblitch não tem um talk show, o talk show é no gênero Iate-night talk show, ou seja, é um programa diverso que tem como foco principal a comédia, onde os apresentadores são despojados e descontraídos e brincam com situações cotidianas além de entrevistar famosos. Programas brasileiros como Altas Horas, Luciana by night, The noite, Conversa com Bial e Lady Night se encaixam no gênero atualmente. 

E qual é a essência do programa em questão? Por meio de sua irreverência e bom humor, Eduardo Sterblitch entrevista duas celebridades (Em alguns mais) à cada episódio. Ele faz perguntas irreverentes, descontraídas e que geralmente não ouvimos em outro lugar. Marca presença no talk show também a plateia virtual, já que ele é todo realizado de forma digital por conta da pandemia do novo coronavírus. Sterblitch interage com a plateia, criando brincadeiras e games, além de sempre entrevistar pessoas aleatórias no Instagram


O talk show não é exatamente um talk show, já que ele não ocorre em um estúdio, mas no banheiro da casa de Sterblitch. A câmera utilizada é a de videoconferência e tanto os convidados como a plateia virtual interagem com o apresentador de suas casas. Por outro lado o chroma key transforma o banheiro de Sterblitch em um verdadeiro estúdio, com panos de fundos de paisagens e outras coisas inusitadas.

Desse modo, Eduardo inova o talk show e o late-night show utilizando a tecnologia e internet ao seu favor. É ele quem conduz as entrevistas, games e dinâmicas divertidas com a linguagem da web, ou seja, por meio da videoconferência, lives no Instagram e desafios da própria internet. 

Já foram entrevistadas celebridades dos mais diversos ramos, seja de atuação, influência digital, música, jornalismo e humor, como Tirullipa, Hugo Gloss, Teresa Cristina, Seu Jorge, Paulo Vieira, Whindersson Nunes, Fátima Bernardes, Tony Tornado, IZA, Bruno Mazzeo e Pabllo Vittar. Conheci outras facetas das celebridades por meio da irreverência, inteligência e sagacidade de Sterblitch.


Formato


SNTUTS tem duas exibições durante cada semana, uma que é a live com 80 à 120 minutos de duração; e a outra que é o programa compacto de 30 à 38 minutos. Eu não parei para ver as lives do programa, até porque o meu tempo é escasso, por isso assisto aos programas compactos disponíveis na Globoplay, que trazem os melhores momentos das lives, com efeitos visuais e técnicos e uma edição bem gostosa de assistir.  

E como funciona o formato do talk show? Bem, a cada semana, o Gshow realiza duas lives sempre às 22 horas que são transmitidas pelo Twitter e Facebook, que também conta com a inclusão de mais uma live, realizada pelo próprio perfil de Edu Sterblitch no Instagram. Depois esse material é agrupado e editado em um compacto de 35 minutos disponibilizados na Globoplay (Que são os episódios que assisto). 

Além da apresentação de Sterblitch, o programa conta com o editor André Gribel e o diretor Rafael Queiroga. Enquanto aquele é quem media o público e os convidados com o apresentador, além de criar edições ao vivo; este é quem "coloca ordem na casa", surgindo em forma de uma cabeça flutuante. 

Sterblitch falou mais do formato e ideia do programa em entrevista ao GShow. Ele disse o seguinte: 

"Minha vontade é conversar com o público. Ver o que a galera tem a dizer, até porque é um momento de muita divisão.[...] É uma paródia, na verdade, da quantidade de humoristas que fazem talk show, [...] uma coisa mais deep web, como se a gente fosse um vírus ali. Como se estivéssemos fazendo um programa que nem a Globo sabe que tem."


Interação


O principal ingrediente do programa é o público. Com ele, Edu conversa sobre os mais diferentes assuntos, sempre com o intuito de promover a hashtag #NTEM1TALKSHOW. Os anônimos da plateia virtual são chamados por meio de uma pré-inscrição e as celebridades são escolhidas previamente, mas sempre levando em consideração o desejo do público (No final da primeira temporada os fãs do programa gostariam que Edu entrevistasse Mart'nália. No início da segunda temporada ela foi entrevistada). 

Durante os bate-papos, Edu conversa com anônimos, enquanto troca piadas entre eles, além de interagir por meio de comentários e hashtags. A interação com o público também se dá por meio dinâmicas divertidas e games, sempre com linguagem de memes e trollagens da web. Edu falou mais dessa interação:

"Eu sempre fui muito interessado em ouvir as pessoas. A minha ideia é estar em vários lugares ao mesmo tempo e dar ao público o protagonismo que ele merece. Quero conversar com o maior número de pessoas possível e criar junto com com a internet esse programa."

O diferencial do programa de Edu é a disposição do apresentador de conhecer gente nova e se comunicar com as pessoas, de modo a descobrir o que elas tem para dizer. Não somente o editor, roteirista ou criador de SNTUTS é quem cria o programa. "O público monta o programa com a gente", disse Sterblitch em entrevista. 


Inspirações


O programa foi inspirado na peça de teatro Sterblitch não tem um talk show, em que Edu brinca com a quantidade de humoristas que comandam talk show, utilizando do humor e improviso para chamar o público para participar. 

Além da peça de teatro, o SNTUTS também tem a rádio e internet dos anos 90 como inspiração. Quem se lembra do mIRC, um programa precursor dos aplicativos de conversa que conhecemos atualmente? Naquela época, os idealizadores do programa mantinham um uma web rádio na plataforma, com vinhetas personalizadas e um grupo de ouvintes. O talk show, portanto, tem como fonte inspiradora essa plataforma. SNTUTS só evoluiu com o tempo e com a utilização de tecnologias cada vez mais inovadoras. 

SNTUTS também é inspirado em programas de rádio, sendo que Edu é o verdadeiro DJ digital. Assim, o programa tem uma pegada de rádio e de aproximação com as pessoas. 

Com essas inspirações, Edu chamou André Gribel para fazer o piloto. A ideia foi tão positiva, que a Globo gostou e hoje o programa já se encontra na segunda temporada. 


A quarentena como oportunidade criativa


O programa tem como desafio principal a quarentena que o mundo todo passa. De certa forma, a criação de um programa com interações virtuais com o público está ligada ao período de isolamento social e de quarentena atual. 

De acordo com André Gribel, roteirista e quem comanda a parte técnica do programa, produzir um programa do nível técnico de SNTUTS de forma remota é um grande desafio. André, antes da pandemia, foi na casa de Edu configurar softwares, ligar os cabos na mesa de som, mesa de efeitos, etc, mas o suporte após ela é diferente:

"Com o projeto do programa e o afastamento social, todo o suporte que dou para o Edu é remoto, desde testes até a programação do espelho da atração."


O conhecimento técnico, tecnológico e criativo de Edu Sterblitch são fatores a serem levados em consideração para a produção do programa. Edu é multitarefa e possui sua própria estrutura tecnológica na sua casa. É ele quem opera equipamentos de imagem, som e iluminação, como refletores softbox, refletores RGB para efeitos de luz, além de spots para iluminar o fundo, que é todo em chroma key. Para o áudio, existe o módulo de efeito para voz, mesa de áudio com 12 canais, dois computadores e um tablet ligado às suas redes sociais.

Edu, portanto, apresenta, cria, edita e grava o programa, além de ter seu dedinho na parte técnica. A roteirista Daniela OCampo conta mais detalhes:

“Ao vivo, não tem ninguém fazendo o que o Edu está propondo. O programa tem uma cara de show de mágica, que é muito legal. As brincadeiras que o talk show vai trazer em chroma são de muito alto nível e visualmente impactantes.”


Abertura

Conta com várias montagens de Edu Sterblitch (Algumas toscas, porém muito engraçadas), embaladas pela música Fui humilhado da Academia da Berlinda


Comerciais

Outro diferencial de SNTUTS são as propagandas muitas vezes hilárias, toscas, porém brilhantes e sensacionais que embalam os episódios. Elas são fictícias e foram criadas por Sterblitch para patrocinar as entrevistas do programa. Na segunda temporada, inovou-se ao trazer "pílulas de propagandas" que surgiam no canto superior direito da tela.

No final da primeira temporada o programa conseguiu um feito inédito que foi de apresentar o primeiro comercial do programa de uma marca real.  

Entre as propagandas mais geniais estão a da Cabeleleila Leila, Espaço Carioca Lanchonete e a Cerveja Cerveja que é produzida na Fábrica Fábrica. Abaixo selecionei as mais icônicas (Assista, pois vale muito a pena):


   



   



   



 



 







Quem é Eduardo Sterblitch?



Luiz Eduardo Sterblitch Páschoa é um humorista, ator, roteirista, cantor e apresentador de tv brasileiro de 33 anos que ganhou fama ainda em 2003 quando participava do Pânico na TV e interpretava o César Polvilho e Freddie Mercury Prateado. Em 2016, ele assinou contrato com a Globo e focou mais na carreira de ator. Seu trabalho mais recente foi como o caipira Zeca de Éramos Seis. Ele ainda participou dos programas Amor e Sexo, Popstar e Tá no ar - a TV na TV, além da série Shippados


Prêmios

Edu já conquistou vários prêmios por peças de teatros e programas de TV. Em 2020 Sterblitch não tem um talk show, o talk show concorrerá ao Melhor programa feito na pandemia pelo Prêmio F5


Crítica



SNTUTS é o programa mais improvável que já assisti. Tipo aquele que a gente não dá nada, sabe? Quando assisti muitos preconceitos caíram por terra e me apaixonei pelo jeito irreverente de Eduardo Sterblitch, que sabe como conduzir seu talk show que não é um talk show de uma forma bem própria.

Várias coisas me agradam no talk show, seja as entrevistas, o jeito palhaço do Eduardo, assim como os efeitos técnicos e visuais e, claro, as propagandas! Essas últimas são muito criativas, engraçadas e interessantes.

Edu é aquele típico cara que zoa de tudo e todos, que faz brincadeira sobre tudo e que a gente não sabe o que esperar dele. Eduardo zoa com a Globoplay (Ou seria "o Globoplay?" - entendedores entenderão) e até diz que a segunda temporada do seu programa é a terceira só para a emissora se perder e fazer uma segunda (Mas que já existe). À cada episódio é uma surpresa, pérolas diferentes e perguntas inteligentes realizadas para anônimos e celebridades.

Apesar de ser um programa feito e criado para a internet, isso não quer dizer que ele não seja de qualidade. Aliás, o roteiro, aspectos técnicos e visuais merecem os meus mais sinceros aplausos. Durante o programa são utilizados planos de fundos toscos, divertidos e interessantes para compor as entrevistas, estas realizadas por videoconferências.

Enfim, recomendo SNTUTS com todas as minhas forças. Você não irá se arrepender. J-J





Por: Emerson Garcia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design