quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Retrospectiva 2015- JJ



2015 foi um ano excepcional para o blog. Foram 293 posts somente nesse período e a conquista de leitores assíduos e constantes. Os conteúdos dos posts melhoraram bastante, com temas relevantes e polêmicos. Não falo isso somente de mim, pois vocês já elogiaram a profundidade dos textos do Jovem Jornalista

Preparei uma retrospectiva (claro que não vai ser como a da Globo logo mais a noite) com os principais posts desse ano. Teve muita coisa legal, mas não dava pra colocar as 293 postagens, então eu fiz um resumo das que bombaram mais. Preparados para entrar no túnel do JJ?




Esse foi o mês de reestreia do blog, e foi ótimo me reerguer, conhecer novos blogs, e recomeçar o JJ. Como disse no primeiro post, "esse ano será diferente". E aí, foi pra vocês?!




Esse foi o mês do carnaval, mas também do Oscar. Graças a Deus que consegui continuar com o fôlego, já que viajei, mas o blog teve bons posts, como A juventude precisa ser preservada, em que falei das atitudes do MC Pedrinho.




Polêmica atrás de polêmica, é assim que defino março. Fiz um post baseado no vestido azul/preto/branco/dourado, bem como as camisas infantis polêmicas de Luciano Huck e o fiasco anunciado, Babilônia.




A polêmica da erotização infantil e a humanidade jornalística foram pautas desse mês.




Esse mês foi legal porque o Thiago Nascimento trouxe em primeira mão a análise do piloto Supergirl, bem como eu escrevi sobre os haters.




Praticamente estava tudo colorido esse mês. Tivemos a campanha criticada da O boticário, redes sociais coloridas e o vilipêndio da cruz cristã na Parada Gay, este último foi o texto de estreia do Pedro Blanche no blog.




Foi um mês bem diversificado para o blog, onde percorremos os mais variados assuntos. Teve tecnologia, preconceito, ideologia de gênero, maioridade penal, e até uma campanha publicitária denunciada na justiça.




Nesse mês nos despedimos da TV Globinho e vimos como a mídia é manipuladora e interesseira, seja na política ou na música.




Setembro foi o mês de grandes eventos culturais, como o VMA, a Bienal do Livro do Rio e a final da segunda edição do Master Chef. Também foi o mês de discussões espinhosas, como a doação de sangue por homossexuais.




As crianças foram o grande destaque desse mês, e isso não foi totalmente proposital. No mês da criança, discutimos a Lei da palmada, o consumo infantil e o preconceito à crianças no primeiro Master Chef Jr, este último, motivo de grande repercussão, já que a assessoria da Band contatou o blog, solicitando a exclusão de imagens no post. Ah! E foi o mês em que finalmente voltamos para o futuro!




Foi o mês do 7º aniversário do blog, mas também do acerto de contas com um internauta do Instagram. Foi o mês da cena espetacular do Mar Vermelho, mas também das minhas considerações contra um vídeo pró-aborto.




Não é porque é dezembro, que o blog parou. Nada disso! Discutimos sobre homofobia e como as pessoas viveriam sem Whatsapp. Foi o mês da Semana do Natal, que teve um retorno legal, principalmente no post do Amigo Secreto. E também foi o mês em que muitos descobriram as semelhanças entre Chapolin e Totalmente Demais


Esse foi um resumo desse ano movimentadíssimo para o blog. Gostaram da retrospectiva? Qual é o post preferido de vocês? Espero que 2016 seja um ano de muitos posts interessantes. Fiquem agora com mais informações e um Feliz 2016 a todos! J-J





Por: Emerson Garcia

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Os tiranos da internet por "um mundo melhor"

 Pinky e Cérebro (Pinky and the Brain) | Warner Bros.


Para encerrar 2015 eu decidi fugir do habitual. Iria escrever um texto a respeito dos atentados de Paris, mas essa página me chamou atenção no Facebook:

Pergunta feita pelo site | BuzzFeed/ Facebook


A pergunta é: “Como você mudaria o planeta se fosse o líder do mundo?”.

Não vou me ater ao conteúdo que está no link da fanpage da BuzzFeed, mas nos comentários na página citada. Zoeira (ou não) se vê os projetos mais tirânicos, catastróficos e imbecis com o objetivo de se obter “um mundo melhor”. Comento resumidamente cada postagem:

De exterminadores até um candidato a “novo deus”  | BuzzFeed/ Facebook


1 | Eliminação da raça humana – Só queria saber se esse cidadão daria o exemplo. Aí eu daria valor. Será que sente asco dele, de seus familiares, amigos e colegas a ponto de propor isso? 
2 | Um “novo deus” para a humanidade – Além de ser soberbo ainda acha que a base para o equilíbrio da humanidade é ter “mais amor” na condição de que ele seja um “novo deus”. Quem o elegeu para o cargo?
3 | Criando novos ricos num só estalo – O Brasil possui mais de 200 milhões de habitantes e a Mega Sena da Virada está estimada em R$ 230 milhões, faça as contas. NOTA ZERO em matemática e de bom senso a esse senhor aí.
4 | Um mundo sem líderes – Essa eu considero o suprassumo da loucura. Se os primeiros líderes a que obedecemos são os nossos pais, imagina como seria esse “mundo melhor”. 

E nem pense que estas ideias foram pensadas recentemente. Pelo menos há mais de 150 anos estes pensamentos são raciocinados: denúncias sobre esterilização em massa, adição de produtos que alteram a genética humana, promoção de atitudes imorais e violentas. A ONU, por exemplo, está cheia de projetos para as próximas décadas para controlar a natalidade promovendo e apoiando o aborto, os movimentos LGBT e investindo em uma campanha discreta de esterilização por meio de vacinas (como o do HPV, para as meninas, por exemplo).


Ideias mirabolantes

Além destas ideias elencadas já vi gente defendendo um mundo sem armas. Uma idiotice. ARMAS NÃO MATAM PESSOAS! Se retirar as armas de fogo, quem quiser matar vai pegar uma faca, um pedaço de pedra e jogar altas doses de veneno. Outros disseram que o melhor é proibir o desmatamento como um todo. Um absurdo se pensarmos que a natureza existe para nos servir. Uma doidinha queria que todos comessem comida vegetariana e deixasse os animais em paz. Ridículo e perigoso. A humanidade sobreviveu graças ao consumo de carne.

Na política, o deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) quer acabar com o dinheiro – cédulas e moedas – no Brasil (clique aqui). Se acha que seria lindo e maravilhoso não se preocupar com dinheiro em espécie, lembre-se de que é perigoso tudo que tem numa conta sumir com um só toque de botão e sem a possibilidade de obter independência financeira.


Esse mundo não tem conserto. Conserte algo por aqui, por ali...

O chamado “mundo melhor” é um ideal impossível, mas devemos sempre alcançar a perfeição, pois este mundo é constituído de pessoas com os mais variados pensamentos. Lembre-se sempre que a sociedade é um local de eterno conflito – e não falo de guerras e mortes – e que este cenário é necessário para chegarmos a um denominador comum, um ponto similar para alcançar a boa convivência.

A nossa imperfeição humana é melhor do que qualquer projeto de perfeição em escala mundial. Vale até um conselho que ouvi do professor Olavo de Carvalho de que qualquer projeto de “um mundo melhor” condicionado de grande concentração de poder global é um perigo. É uma ditadura. As conferências do clima e os tratados internacionais dando poderes supranacionais é um exemplo disso.

Aconselho a todos a visitar o site Museu Vítimas dos Comunistas onde são revelados o caráter cruel deste movimento com raízes na dita “Revolução Francesa” gerando milhões de vítimas dos mais variados crimes. Sugiro ver o link “salões” onde se vê a atuação da turma da foice e martelo no Brasil.

Lembre-se: um “mundo melhor” não existe. Podemos buscar mudar um bocadinho de cada coisa, mas o planeta inteiro não.

Até mais, pessoal. Feliz 2017, porque 2016 será um 2015 duplamente horrível por conta de uma quadrilha escarlate disfarçada de partido. J-J


Por: Pedro Blanche

sábado, 26 de dezembro de 2015

Propagandas criativas- Natal 2015

Hoje encerro a Semana do natal. Espero que tenham gostado desse quadro. Para mim foi um desafio enorme falar sobre coisas interessantes com o tema de natal. Foram 7 posts. Dever cumprido.

No post de hoje quero citar algumas propagandas interessantes com a temática natalina. Espero que gostem!


Anúncios


Ambev


Pepsi


Veet


Nespresso


Stihl


Hellmann's


Greenpeace


Domino's




Propagandas


Uma ponte para Noel- Coca-Cola





John Lewis Christmas Advert 2015 - #ManOnTheMoon





Anuncio Lotería de Navidad 2015 - #Justino






Parabéns aos criativos publicitários! J-J




Por: Emerson Garcia

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

5Q: Você acredita?







Moral
Não basta você crer no 'poder da cruz' somente da boca pra fora. Não basta apenas você reconhecer o sacrifício de Jesus, e colocar-se de joelho. A vida te colocará em várias situações, te porá de pé, e perguntará com toda força na voz: 'Você acredita?'.

Cena boa
A cena em que 'bonitão' faz algo extraordinário por seu irmão, Criminal, para salvar a sua vida. O desenrolar dessa cena é emocionante, e fará você chorar.

Cena ruim
Uma das cenas finais, quando os 12 personagens centrais se cruzam em algo que acontece no trânsito. Tiveram trechos da cena que me deixaram confuso, porque muita coisa acontece em pouco tempo.

Perfil
Certo dia, o pastor Matthew se encontra com um misterioso mendigo, que carrega uma cruz no meio da rua. Ele pergunta ao pastor, se ele acredita na cruz. O pastor acha a pergunta óbvia, e diz que acredita, mas ele fica ntrigado, e faz uma pregação sobre o significado da cruz. 12 pessoas, que terão suas vidas cruzadas no futuro, vão a pregação e recebem uma miniatura da cruz. Agora elas experimentarão o poder da cruz, que colocará a fé de cada uma a prova.

Opinião
Dos mesmos criadores de Deus não está morto, essa produção  preza por um bom roteiro, boa qualidade, excelente fotografia. A história de todos os protagonistas me prendeu. O filme traz lições de confiança, fé e amor ao próximo, que jamais me esquecerei. Prepare-se para chorar, e não é pouco. Você sai de uma cena dramática e vai para outra. O final do filme é espetacular, sobretudo a explicação dessas 12 vidas se unirem. Claro que a música Acredito, de Leonardo Gonçalves não poderia deixar de ser citada. Uma boa dica de filme para assistir com a família nesse natal. J-J





Por: Emerson Garcia

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Aquela cena: O guizo em "O expresso polar"




Você tem razões para acreditar? O que você vê no mundo? Pessimismo? Esperança? Fé? Amor? Aquela cena de hoje traz uma compilação de trechos da belíssima animação O expresso polar. Na cena, conhecemos um menino desacreditado que nunca acreditou na magia do natal, muito menos em Papai Noel. Ele é convidado para visitar o Pólo Norte, com um destino de magia, fé, esperança e fantasia. Será que ele acreditará no espírito natalino?




O guizo tem um papel primordial no filme. Ele representa a crença em algo mágico, mas também pode estar ligado à fé. É preciso ter os ouvidos crédulos e a mente confiante para ouví-lo tocar. Representa como podemos ver uma situação em nossa vida: com pessimismo ou esperança. 

Espero que tenham gostado dessa cena. Que ela possa ter feito você refletir e acreditar em algo transcendental. Um feliz natal a todos! J-J


Enviem dicas de cenas pelos comentários ou pelo meu email: emersongaffonso@gmail.com.




Por: Emerson Garcia

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

O renascimento no natal

Há uma saída para as tristezas do final de ano.


Do fundo do coração, pelo menos uma vez você já sentiu um sentimento de vazio, um frio cortante quando chega o Natal? Eu já. É quando se cria em nós um sentimento de solidão, de que não deu tempo para fazer o que se deve. E as coisas pioram nestes novos tempos de individualismo negativo – sim, eu acredito que há um lado positivo – e de apatia. Não tem ninguém para te fazer companhia nesse frio pessoal.

Foi assim comigo por dois anos após a morte de minha esposa. Já passei por ideias tenebrosas que envolvia abreviar minha vida por completo. Mas a cura foi o foco no trabalho, no meu filho e na solidariedade de parentes e amigos. Eu renasci no Natal. E para quem não tem esse último citado? Como se sobressair perante esse lado sombrio e não propagado por aí? Ninguém fala dessa solidão nesta época.

ATENÇÃO! De claro advirto que aqui não é um centro de autoajuda, se “conselho” desse certo seria vendido e não dado.


Foco, besteirinhas e amor próprio

Advinha que desenho é esse! Eu assisto para passar a tristeza e o tédio no Natal.


É assim que me viro quando chega a época do Natal. Arranjo qualquer coisa para ocupar a mente: conferir o telhado de casa, limpar uns objetos que ficou uns meses sem tratamento, consertar o encanamento ou a fiação elétrica. Isso eu chamo de Foco

Quando termino de fazer as coisas, assisto filmes, séries e programas de humor. Vi e estou assistindo de novo uma série de desenho animado engraçada e divertida (que em breve falarei dela). Relaxa-me muito e alivia a tensão. Isso eu chamo de Besteirinhas

E o mais importante: me presenteio e busco ter mais atenção a minha pessoa. Se estou só por que vou me estragar e esfarelar? O único prejudicado sou eu. Então busco alcançar o que chamo de Amor próprio.

É, pode parecer dicas bobinhas, mas é a válvula de escape para renascer no Natal. O ano está acabando. Tente se livrar deste sentimento de vazio, de frio sentimental. O importante é manter a mente ocupada com coisas boas e estimulantes. De resto, desejo a todos um feliz Natal. J-J




Por: Pedro Blanche

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

"Eu odeio Amigo Oculto!": dicas para não fazer feio na brincadeira




O Amigo Oculto (ou Amigo Secreto) é uma das tradições mais importantes do natal. Creio que só perde para a Ceia Natalina. Se não tiver, algo falta. Tem que ter até mesmo em ano de crise, não importa se ganhará um 'presente' ou uma 'lembrancinha'.

A origem do Amigo Oculto é antiga. Alguns dizem que ele surgiu no século XVIII; uns que na Grécia; outros no Estados Unidos e uns dizem que a tradição surgiu com os povos nórdicos. Eles esperavam o amanhecer para a troca de presentes, como forma de relembrar o poder e a benção dos deuses. Na Grécia antiga, os gregos presenteavam pessoas escolhidas aleatoriamente. Na concepção de alguns, é uma festa dos povos pagãos, que se concretizou durante a quebra da bolsa, em 1929, onde não havia condições de comprar presentes para todos. Há controvérsias da origem certa da tradição, mas o Amigo Oculto é uma tradição conhecida e popular.

A brincadeira ocorre da seguinte forma: cada participante pega um papel com um nome que não poderá revelar até a data da troca de presentes. No dia da brincadeira, as pessoas devem revelar seus amigos através de dicas. Quando os outros conseguem adivinhar o nome, passa-se para a pessoa sorteada, e assim sucessivamente. 

A popularização do Amigo Oculto demonstra como a tradição ganhou adeptos, novas configurações, uma hashtag na internet (#meuamigosecreto), mas também como pode ser perigosa e criticada. Saiba nesse post dessas questões de forma bem humorada e descontraída.


Popularização e novas configurações

O Amigo Oculto costuma ser realizado no final do ano, mas durante a Páscoa, ele é reconfigurado para o Amigolate ou Amigo Chocolate, quando os participantes trocam caixas de bombons ou barras de chocolates entre si.

Com a popularização do Amigo Oculto, a tag #meuamigosecreto invadiu as redes sociais, como o Twitter e Facebook. O objetivo foi denunciar o comportamento incoerente de pessoas de sua convivência. Aquela pessoa que fala uma coisa e faz outra. A hashtag funcionou da seguinte forma: Fala-se das características reprováveis da pessoa, da sua hipocrisia, mas sem colocar seu nome. Muitas revelações e denúncias foram feitas por meio dessa campanha.



O Amigo Oculto é uma tradição que é realizada entre a família, amigos, na escola, empresas, entre outros. Para fugir da brincadeira tradicional, existem várias outras configurações, como:


Amigo lingerie: realizado entre mulheres, onde troca-se lingeries e peças íntimas.

Amigo da onça: os presentes escolhidos para a brincadeira é alguma coisa que a pessoa não goste ou que não tenha utilidade. 

Amigo Elefante Branco: todas as pessoas levam os presentes e deixam sobre a mesa. Uma pessoa é escolhida para pegar um presente, e depois sorteia-se o nome da pessoa que irá receber.


Eu odeio Amigo Oculto!

Há pessoas que simplesmente odeiam essa brincadeira, por inúmeros motivos, como: eu tirei uma pessoa que eu não gosto ou não conheço; todo ano eu só ganho meias ou vale-presente; a pessoa que me tirou não conhece nada de mim e me deu uma porcaria; tem outras pessoas que odeiam porque os outros não sabem brincar, e logo revelam quem tirou (o nome já fala: O-C-U-L-T-O). 



Na revelação do papelzinho espera-se um discurso digno de Oscar, enaltecendo as qualidades da pessoa, falando de pontos positivos, mas aí vem um: "A pessoa que eu tirei eu não tenho muita convivência e não sabia o que dar pra ela. Enfim, não conheço muito bem, mas parece ser legal". Aí é acabar com a brincadeira, né?! Quem ia levantar pra pegar o presente depois disso?

Outra coisa que faz com que as pessoas odeiem amigo oculto: fingir que gostou do presente. Você terá que dar um jeito de convencer as pessoas que gostou, e vai ter que ouvir muitos falsos: "Aiii, que lindo", ao ser obrigado a abrir o embrulho. A grande dificuldade é "fazer a egípcia" pra não decepcionar a pessoa que te deu o presente.

Esses só foram alguns dos motivos para odiar o Amigo Oculto, mas também tem gente que odeia esse tipo de desculpa:


Não tive tempo
Essa é de matar! Você caprichou na escolha do seu presente, gastou tempo e mais dinheiro do que devia, e como troca você ouve: "Aqui está essas toalhas e esse sabonete. Não tive tempo de escolher algo melhor pra você" ou então: "Não tive tempo de escolher um presente legal, aqui está um vale-presente bem recheado para você gastar como quiser".

Achei a sua cara
"Te conheço tão bem que achei esse perfume adocicado a sua cara". E a pessoa conhece bem os gostos da outra, sabe que ela odeia perfume doce, e acaba dando de sadismo ou sacanagem. 

Minha mãe comprou errado
"Não tive nenhuma responsabilidade e amor por você. Falei pra minha mãe comprar o presente, e ela comprou isso aí". Se quer participar da brincadeira, que participe direito, caramba!

Me dei bem
Estejam cientes que sempre alguém se ferra no Amigo Oculto. Se não for você esse ano é alguém. O valor da brincadeira é de R$ 30 a R$ 50, mas pode ter o espertinho (com a desculpa da crise) que vai comprar pilhas de R$ 1,99 ou mídia de CD. Ele sabe, que vai ter o trouxa (que não é como ele) que vai dar um presente bem acima do valor, uns R$ 80. Esse é o mundo injusto e odioso do Amigo Oculto!

Depois te dou
Ou: espere sentado, esse presente pode nunca chegar. Essa desculpa aconteceu comigo ano passado. A pessoa nem sequer foi na confraternização e eu fui o único que foi embora sem presente. Mas o pior é quando a pessoa está e fala: "Depois te dou" e a gente tem que dizer um constrangido e "alegre": "Tudo bem!"




Dicas do que não dar/dar no Amigo Oculto


Dicas do que não dar:

1- Presentes que se refiram a qualquer crença e/ou religião: É só lembrar que existem pessoas com as mais variadas religiões, e você não precisa evangelizar uma pessoa em pleno natal.

2- Camisa com sua foto estampada: Existem aqueles com um ego tão elevado que fazem uma blusa com sua foto e ainda dizem: "Aqui uma blusa pra você não se esquecer de mim". Qual é a utilidade? Só pra pano de chão mesmo.

3- Um cartão de feliz aniversário que diz que você não ganhará presente esse ano: O país está em crise, mas se você resolveu participar do jogo, não dê essa desculpa esfarrapada, ok?

4- Meias: "É uma coisa útil. Eu gostaria de ganhar". Sim! Todos gostam de ganhar, menos no natal e em aniversário! Tem gente que ainda dá cuecas, sutiãs e calcinhas. Pelo amor de Deus!

5- Vale-presentes: Dar vale-presentes significa: "Tá aqui o dinheiro, agora se vira!" Isso demonstra falta de consideração e de sacrifício por uma pessoa. Você escolhe um presente com muito carinho e a pessoa vai e te dá um pedaço de papel. Ah, vá!






6- Livros de auto-ajuda: É muito difícil dar um livro de auto-ajuda pra alguém. É algo pessoal e intimista. Ninguém melhor do que a própria pessoa pra saber como ela está emocionalmente. Aí você vai e dá um livro: "Como vencer a depressão" e a pessoa está em seu melhor momento.

7- CD's e DVD's piratas: Por favor, não! Vamos ter o mínimo de noção possível. Vai que o CD e o DVD não funcionam?

8- Perfume com o aroma que odeia: Preciso repetir? rsrs

9- Roupas que não é do estilo da pessoa: Aí você compra uma saia para uma garota que só veste calças. Quer demais né?

10- CD's e DVD's do ritmo que odeia: "Wesley Safadão, Anitta, Roberto Carlos, são cantores bons, que estão na moda, e porque todo mundo gosto dos últimos CD's deles, você vai gostar". Mas você perguntou pra pessoa o que ela gosta de ouvir?


Dicas do que dar:

Sabendo do que a pessoa gosta e o que ela sugeriu, você pode presenteá-la com livros do gênero e autores que ela gosta, DVD's de músicas e filmes do ritmo/gênero que ela gosta, agenda do ano, objetos para casa e escritório. Claro! Escolhendo o presente dela com carinho e dedicação!





Dicas gerais: 

- Na hora da revelação não invente muito e não faça surpresas. Enalteça as características positivas da pessoa, e fale da mesma com profundidade, e sem superficialidade;

- Dedique-se em escolher bem o presente da pessoa sorteada;

- Saiba brincar e divirta-se!


Um bom Amigo Oculto para todos vocês. J-J





Por: Emerson Garcia

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Vibe humor: músicas de natal





Estamos em uma das épocas mais bonitas do ano. A comunhão, o espírito natalino e a magia do natal estão presentes nessa comemoração. Claro que não poderia faltar algo alegre para embalar essa data: músicas. Hoje o Vibe humor traz músicas de natal, mas não espere ver na lista, Noite feliz, Então é natal ou Feliz Natal. Quis fugir dessas canções tradicionais, já que todos estão cansados de ouví-las. Então, chegou a hora de bater o sino de Belém!




Começo a playlist de hoje com o blues, meio clássico, porém alegre, Let It Snow de Michael Bublé. Não sei vocês, mas ao ouví-la, dá vontade de dançar na chuva e estalar os dedos. Essa música é tradicional, já cantada por Frank Sinatra, mas creio que nem todos a conhecem. "Oh, the weather outside is frightful, But the fire is so delightful, And since we've no place to go, Let it snow, let it snow, let it snow" (Ah, o tempo lá fora está terrível, Mas o fogo aqui está tão agradável. Já que não temos nenhum lugar para ir, Deixe nevar, deixe nevar, deixe nevar).

A segunda é da voz inconfundível de Kim Walker, O Holy Night. Essa canção é conhecida, mas fiz questão de trazer essa versão. O toque do violão e do violino são como de cinema. A música vai crescendo gradativamente, e ficando cada vez melhor. "Fall on your knees O hear the angels' voices O night divine O night when Christ was born" (Caia de joelhos Ó escute as vozes dos anjos Ó noite divina Ó noite em que Cristo nasceu).

Carol of the bells do Pentatonix é um verdadeiro show de vozes e de beatbox. Acreditem se quiser, mas a música não possui instrumentos. Ela é cheia de força, e realmente empolga. "Hark how the bells Sweet silver bells All seem to say Throw cares away" (Escuta como os sinos Doces sinos de prata Todos parecem dizer Lance a preocupação longe).

Mais uma da Kim Walker, Silent Night. Música conhecida, mas em uma versão bem diferente, com um piano e um violino belíssimos. Silent night, Holy night All is calm, All is bright Round yon virgin Mother and Child Holy infant, so tender and mild Sleep in heavenly peace Sleep in heavenly peace (Noite silenciosa Noite sagrada Tudo está calmo Tudo está claro Lá longe a Virgem Mãe e a Criança Criança sagrada tão terna e suave Dorme na paz celestial Dorme na paz celestial).

Winter Wonderland, de Jason Mraz, traz um ritmo envolvente e de baladinha. Ela é toda tocada somente no violão, o que deu simplicidade e beleza. "Later on, we'll perspire as we dream by the fire babe, we'll face unafraid the plans that we made, we're walking in a winter wonderland" (Mais tarde, vamos suar como sonhamos por o bebê de incêndio, nós vamos enfrentar sem medo os planos que fizemos, estamos caminhando em uma das maravilhas do inverno).

O ritmo folk, calmo e meio reggae invade a música What would Christmas be like?, da Mia Rose. Essa é uma das minhas preferidas dessa lista. A música traz um clima calmo e praiano, como o próprio clipe sugere. A letra da canção foge um pouco de pisca-pisca, árvores de natal e sinos, mas é belíssima. "What would Christmas be like without you here I'm sitting at the bottom of the mistletoe waiting for you to come home, What would Christmas be like without the songs Sitting by the fire place reminiscing while we sing along.. And I always believed there's magic on Christmas eve" (Como seria o natal sem ti aqui Estou sentada no fundo do visco á espera de ti para vires para casa Como seria o natal sem as canções Sentada perto da lareira a relembrar o tempo em que cantávamos juntos.. E eu sempre acreditei que havia magia na época de Natal).

It's Not Christmas Without You, de Katharine McPhee, é bem depressiva no começo, e lembra as músicas de outras divas do pop, mas depois, o ritmo começa  a crescer e ela torna-se uma baladinha. "Cuz its Christmas and you're so far away On this Christmas I just wish you had stayed And I wonder if you're thinking of me today" (Porque é Natal e você está tão longe Neste Natal eu desejo apenas que você tivesse ficado E eu me pergunto se você está pensando em mim hoje).



Last Christmas também é pop e traz guitarra, baixo e bateria bem intensificados. O ritmo, mesmo sendo alegre, tem um ar melancólico. "Last Christmas, I gave you my heart The very next day you gave it away This year to save me from tears IÂ'll give it to someone special" (No Natal passado, eu te dei meu coração Logo no dia seguinte você o jogou fora Este ano, para poupar me dê lágrimas Vou dar a alguém especial).

Something About December, de Christina Perri, retrata o clima familiar que o natal propõe. O aconchego da família, lembranças felizes, e a certeza daqueles que você ama sempre estarem perto. Embora com um ritmo pouco lento, a música traz esperança, com a voz bela de Christina e o ritmo suave. O clipe vale a pena ser visto! "Let all your memories Hold you close No matter where you are You're not alone Because the ones you love Are never far If Christmas is in your heart" (Deixe todas as suas memórias Te manter perto Não importa onde você esteja Você não está sozinho Porque as pessoas que você ama Nunca estão longe Se o Natal estiver em seu coração).

Don't save it all for Christmas Day, de Celine Dion, tem um ar melancólico, mas a voz de Celine arrepia. A música fala de como somos hipócritas de somente amar nessa época do ano, de só ajudar o próximo em dezembro. A cantora proclama o amor em todo o ano. "So Don't save it all for Christmas Day Find a way To give a little love everyday" (Então, não guarde isso tudo para o Dia do Natal Ache um meio De dar um pouco de amor todos os dias). Essa música deveria ser um hino, em minha opinião. 

Tente ficar parado ao ouvir Remix natal de André Valadão... Você não conseguirá! O ritmo é contagiante e bem elétrico, diferente das músicas de natal que conhecemos. Você repetirá esse refrão sem parar: "Natal, natal, natal, natal, nasce o menino Jesus".

All I Want For Christmas Is You ficou incrível na voz inconfundível de Mariah Carey. A música é bem animada, traz bateria e os tradicionais sinos. A letra fala de alguém que não precisa de muita coisa no natal, somente a presença da pessoa amada. A canção tem um romantismo animado. "I don't want a lot for Christmas There is just one thing I need And I don't care about the presents Underneath the Christmas tree" (Eu não quero muito nesse Natal Só tem uma coisa que eu preciso E eu não me importo com os presentes Que estão embaixo da árvore de Natal).

Encerro a playlist de hoje com Hallelujah. Talvez essa seja a música gospel mais regravada pelos artistas. Escolhi a versão de Alexandra Burke. A cantora manda muito bem na interpretação, além de ter "A" voz. O destaque também vai para o back vocal e o instrumental. "Maybe there's a God above But all I ever learned from love Was how to shoot at somebody who outdrew ya And it's not a cry that you hear at night It's not somebody who's seen the light It's a cold and it's a broken hallelujah" (Bem, talvez haja um Deus acima Mas tudo que eu sempre aprendi do amor Era como atirar em alguém que desarmou e não é um choro que você pode ouvir de noite não é alguém que viu a luz é um frio e um sofrido Aleluia).


Espero que tenham gostado da playlist de hoje. Espero que tenha conseguido fugir um pouco das músicas tradicionais de natal. Que outras músicas natalinas diferentes vocês se lembraram e querem compartilhar? Abraços. J-J





Por: Emerson Garcia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design