quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Seriesmania- Parte 5: vício de séries

Encerro hoje a série de posts Seriesmania, mas já adianto que esse tema estará presente em posts futuros no blog. Já rendeu uma discussão bem quente após o Seriesmania- Parte 4 (entenda aqui). Creio que surgirá novas discussões depois desse também.



O quadro Quinta de série em 2015 apresentou 36 séries. Isso mesmo! E eu e o Thiago já estamos preparando novas para 2016. Muitas pessoas perguntaram: "como a gente arranja tempo de ver tantos programas?" e "se a gente não tinha outra coisa para fazer?". Sim! Temos os nossos afazeres diários e conseguimos assistir ainda. A questão é que a gente gosta e somos viciados.

O aplicativo que denuncia meu vício de séries é o TV Show Time. Sigo 83 séries, sendo que nem todas comecei ainda. São quase 3600 episódios vistos, e mais de 4 meses grudado só na frente da TV. 

 





O grande vilão dos viciados em séries são as maratonas. Diversas vezes não consegui sair de uma atração porque a história estava muito boa. Cheguei a ver 4, 5, 7 episódios somente um dia de Hawaii 5-0, Game of Thrones, The Flash, Demolidor, House of Cards, e por aí vai... E o legal é que o app te dá emblemas e premiações por isso:






Até agora só falei do lado do entretenimento de séries, mas será que esse vício pode ser prejudicial à saúde? Existe perigo em maratonear atrações? Qual é a crítica que se faz sobre o binge-watching?


Binge-Watching

Com o crescimento da indústria do entretenimento em 2013, serviços de streaming online, além do avanço de empresas especializadas no assunto, como o Netflix - que produz séries e as lança de uma 'lapada só' - a paixão de ver séries cresceu, novos hábitos de consumo de mídia apareceram e críticas a isso também. O ato de assistir produtos audiovisuais de uma vez, dá-se o nome de binge-watching



Hoje em dia, os seriemaníacos não precisam esperar para ver um novo episódio de sua série preferida, somente quando sair a legenda ou a temporada em dvd. A espera ficou encurtada. Os serviços onlines e de streaming acabam com a curiosidade de "o que acontece agora?" O Netflix é o grande exemplo atualmente. Ele liberou as temporadas completas de Narcos, Demolidor e Jessica Jones, além de House of Cards, Orange Is The New Black Unbreakable Kimmy Schmidt. Veja o que Mateus Ribeirete, da Gazeta do Povo, diz sobre isso: 

"O binge-watching, afinal, tem alterado a indústria de produção televisiva, ao menos no que tange aos serviços digitais. [...] Manter um eventual suspense entre capítulos, esse elemento que tanto aproxima o seriado televisivo do romance de folhetim, talvez não seja a prioridade da nova máquina de tevê".

Atualmente, os telespectadores são mais práticos que antes. Pra que esperar pelo próximo episódio, se você pode assistí-lo com antecedência pela internet? Eles estão disponíveis com praticidade. Eu, por exemplo, baixo temporadas completas em alguns sites, com qualidade de som e imagem. Na época do fenômeno Lost ficava ansioso pelo próximo episódio, e era capaz de ver até legendado, mesmo a série tendo muitos mistérios e detalhes. Eu defendo os adeptos do fenômeno bringe-watching, porque é muita ansiedade em desvendar o fim de uma temporada ou de uma série inteira. Além disso, é cômodo terminar de ver uma série e difícil interromper uma atividade ("Já estou sentado aqui mesmo").



A polêmica do vício

Uma pesquisa recente da Universidade do Texas mostrou o que há por trás do lazer e da maratona de séries. De acordo com os pesquisadores, a atividade de entretenimento pode esconder solidão e depressão. Eles descobriram que, quanto mais solitária e deprimida era a pessoa, mais suscetível a maratonas de séries ela era, como forma de afastar sentimentos negativos. Como se as atrações fosse uma espécie de fuga e diversão.

Foi observado também a falta de autocontrole dos usuários. Os estudiosos disseram que os seriemaníacos foram incapazes de abandonar os episódios, mesmo quando estavam cientes das atividades que tinha de realizar. É como se o hábito de apertar o botão e passar para o próximo episódio fosse automático.





Segundo os autores do estudo, há poucas pesquisas nessa área, mas não é novidade que fatores psicológicos, como solidão e depressão, sejam importantes indicadores de comportamentos ligados ao excesso. Os pesquisadores compreendem o binge-watching como um fenômeno social primordial:

Mesmo que algumas pessoas argumentem que "binge-watching" é um vício inofensivo, resultados do nosso estudo sugerem isso que não deve mais ser visto desta forma. Fadiga, obesidade e outros problemas podem ser relacionados a esta prática. Quando se torna algo desenfreado, os telespectadores podem começar a negligenciar seus trabalhos e suas relações com os outros.



Concordo com a pesquisa, mas no sentido de pessoas trocarem seus relacionamentos e sua sociabilidade por maratona de séries. Como viram no post, já fiz várias maratonas de séries, mas talvez posso ter confundido diversão com excesso, o que pode ter ocasionado fadiga e obesidade, mas vou tentar dosar esse vício e procurar fazer outras atividades. Sempre que posso, saio, me divirto, passeio. Espero não ficar como na imagem abaixo:




E você, pode ser considerado um viciado em séries? Concorda com a pesquisa da Universidade do Texas? J-J


Por: Emerson Garcia

17 comentários :

  1. Sou a rainha do binge-watching e nem conhecia essa expressão! Hahaha!

    ResponderExcluir
  2. Genteeee, eu também queria ter esse tempo pra assistir séries, por isso não assisto nenhuma, pra não correr o risco de ficar viciada HAHAHA !
    Beijos,
    #fiquerosa

    >> www.fiquerosa.com <<

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente sempre arranja um tempinho, mas ultimamente dei uma maneirada.

      Excluir
  3. Tantas séries pra assistir, fazendo um enorme sucesso e tals, mas ainda assim eu tenho preguiça ueheuehuh Ainda sou do tempo em que os animes eram mais populares entre os adolescentes. Um exemplo da meu desinteresse em séries: Vivo, amo e sou As Crônicas de Gelo e Fogo do Georgie Martin, tenho todos episódios da série salvos no computador (juntos com mais duas séries) e só assisti 5! É tudo muito bom, mas falta uma força maior me incentivar pra assistir e.e

    Blog Decidindo-se \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gostava de animes. Era viciado em Naruto. GoT é uma série excelente, mas já ouvi falar que os livros são melhores.

      Excluir
  4. Eu não costumo assistir a séries...

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  5. Te entendo bem rs..
    Esse fim de ano fiz maratona de Greys Anatomy!
    Assisti todas as 12 temporadas.
    Kisses

    ResponderExcluir
  6. Eu amo séries, mas não tenho tempo para assistir.
    Post it & Livros

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Antes eu via uma série ou outra sem muito compromisso, mas após me tornar usuário do Netflix, me tornei um viciado kkkk
    Mas pretendo maneirar um pouco nesse vício.

    Gostei muito do post. Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! O culpado disso tudo é o Netflix né?

      Excluir
  8. Olha vou ser sincera, eu não sou viciada em séries, começo a assistir e sempre paro rsrs
    beijos http://www.blogdaxavier.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Quando eu estou assistindo séries é um forte indicativo de que as coisas não andam bem, quando minha vida tá um caos (tipo agora) eu mergulho nas séries e esqueço todo o resto.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo bem o seu dilema. Obrigado por seu depoimento.

      Excluir
  10. Ah, acho que só eu que não tenho isso. Sou super light em relação a assistir séries, filmes, seriados e etc. Não tenho toda essa coisa de me prender. É algo mais para o lado saudável no meu caso.



    meianoite-br.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design