domingo, 26 de fevereiro de 2017

Supercrítica Oscar 2017: melhor filme



São 9 os melhores filmes indicados ao Oscar esse ano (em 2016 foram 8). O que percebi nos indicados é um amplo número de filmes com temática dramática, além de um musical e uma ficção científica. Outra coisa que pude perceber é o roteiro de muitas produções que contam histórias de desprezados, negros e estrangeiros, como Estrelas além do tempo, Moonlight, Um limite entre nós e Lion. Preparem seus lencinhos, pois os indicados trazem histórias para lá de emocionantes! 

Então, vamos aos indicados e a quantidade de categorias que cada um está concorrendo. La La Land- Cantando Estações (14 categorias), A chegada (8 categorias), Moonlight- Sob a Luz do Luar (8 categorias), Manchester à beira-Mar (6 categorias), Até o último homem (6 categorias) e Lion- Uma jornada para casa (6 categorias).

Bem, não é novidade pra ninguém que o favorito para ganhar a estatueta de Melhor filme é La La Land, o musical romântico de Damien Chazelle - que também dirigiu Whiplash. Preciso dizer que esse foi um dos melhores filmes do gênero que já assisti, justamente pela parte sonora não ser irritante. As músicas estavam lá, mas vinham pra somar com a história. Os atores não saiam cantando a torto e direito. City of stars é uma canção que me tocou profundamente e eu tenho certeza que ganhará o Oscar de Melhor Canção Original. Desde a música e o flash mob de abertura, passando pelos cenários da produção, diálogos, canções, tudo é incrível, colorido, belo, irresistível. Cada estação do filme promove uma sensação, seja por conta das cores ou do ritmo do roteiro. O final é simplesmente incrível, dando um tapa em nossas caras à respeito de expectativa vs. realidade. O roteiro também é genial: os sonhos e os amores da atriz Mia e do pianista Sebastian. Com certeza o filme concorre na categoria certa!

A Chegada traz um gênero diferente: um sci-fi moderno. Esse foi um dos filmes que assisti. Ele me prendeu do início ao fim. A história conta sobre doze nave que aterrizam em pontos distintos da terra de forma misteriosa e com um motivo. A partir daí, começam investigações e a tentativa de comunicação. O filme lembra bastante Contatos Imediatos de Terceiro Grau e Contato. O roteiro está impecável e o trabalho de direção também. Não sei se a produção ganha a estatueta de Melhor filme devido a complexidade da história.

Até o último homem, dirigido por Mel Gibson, é um filme que mescla drama, romance e guerra. Ao meu ver, essa mistura deu certo, porque fiquei vidrado na história do homem que sonhava em ser médico de guerra e que detestava tocar em uma arma de fogo. É um filme que conta a história real do soldado Desmond Doss, que mesmo não gostando de violência, conseguiu salvar mais de 75 homens na guerra! Realmente uma história emocionante. Merece destaque também o seu romance com sua esposa e as cenas de guerra, tão reais e viscerais (Tem duas que fiquei chocado). Pra mim, deveria ganhar o Oscar de Melhor filme e outros como Montagem e Som

Estrelas além do tempo, ao meu ver, é outro que deveria ganhar o oscar de Melhor filme (Esse ano está bem difícil rs). Assim como Até o último homem, esse traz fatos históricos muito interessantes: a história de três matemáticas que venceram o preconceito racial e de gênero dentro da Nasa. Está certo que em alguns momentos o roteiro derrapa, por trazer cenas monótonas e desinteressantes, mas no geral é um bom show. Cenas cheias de drama, superação, lições feministas, sutilezas e o que eu achei mais interessante: bom humor. Em algumas cenas eu morri de rir. Foram bem boladas. 

Lion traz a história real de um menino  indiano chamado Saroo que quando tinha 5 anos se perde do irmão mais velho em uma estação de trem e pára a 1600 Km, em Calcutá. Ele enfrenta diversos perigos nas ruas, até que é adotado por uma família australiana. Quando cresce, manifesta o desejo de reencontrar com seu irmão. Lion é um excelente filme que traz cenas emocionantes e comoventes. Em algumas, tive que segurar as lágrimas. A fotografia, como falei em outro post (mais cedo), é excepcional. Não sei se é o favorito à Melhor filme, não.

Moonlight é outro forte candidato ao oscar de Melhor filme. Sim, o filme é muito bom, mas acho que mesmo assim La La Land leva. Ele conta a história de Chiron em 3 momentos diferentes de sua vida: infância, adolescência e adulto. Ele é um menino que vive no subúrbio e passa por várias dificuldades: mãe usuária de drogas, bullying e homofobia. O filme conta isso de forma poética e sensível. Não é preciso muitas falas e uma produção grandiosa para captarmos o que a cena quer dizer. A cena no mar é sensacional! A fotografia e a trilha sonora é algo notável também.

Um limite entre nós é o terceiro filme dirigido por Denzel Washington, baseado em uma peça de mesmo nome escrita por August Wilson. O roteiro conta a história do lixeiro Troy, um homem amargurado e durão com a vida e com seus conflitos familiares. A produção me lembrou bastante uma peça teatral por conta de passar em praticamente em um só local, pelas atuações e diálogos dos atores. É um filme que tem seus momentos dramáticos, mas que peca pelo seu tamanho extenso (2 horas e 15 minutos). Nada que a atuação belíssima de Denzel Washington e Viola Davis não possa resolver. Creio não ganhará a estatueta de Melhor filme

A qualquer custo é uma excelente produção, mas creio que não tenha cacife pra concorrer com La La Land e Estrelas além do tempo. É um faroeste moderno, cheio de sangue e cenas de ação que conta a história de dois irmãos que pra salvar o rancho da família fazem uma série de assaltos à bancos. O filme, então, gira em torno da perseguição policial de xerifes da cidade para pegá-los. 

Confesso que Manchester à beira-mar é a produção que menos gostei dos indicados. A história é monótona e cansativa. A produção conta  a história do zelador Lee Chandler, que perdeu tudo na vida, mas volta para a cidade natal por conta da morte do irmão e para cuidar de seu sobrinho. O filme não me prendeu em nenhum aspecto, talvez pela frieza e o tom inóspito que ele me apresentou. Não é um bom filme.

Aí estão as minhas modestas críticas sobre os indicados à Melhor filme logo mais. Confesso que para assistir todos foi uma luta contra o tempo e a indisposição. Além disso, tive dificuldades para achá-los, assim como suas legendas. Mas no final deu tudo certo. Agora, é só esperar que La La Land leve a estatueta pra casa. J-J


Por: Emerson Garcia

15 comentários :

  1. Respostas
    1. Lion tem umas cenas que fluíram muito bem, mas outras nem tanto. O final é emocionante.

      Excluir
  2. Torcia muito por La La Land mas como vimos ontem, não deu (da pior forma possível né). Quero ver A Chegada me interessei.

    rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, fomos iludidos. Já estava aplaudindo todo feliz aqui. Assista, sim! Vale a pena.

      Excluir
  3. Eu também estava na torcida por La La Land e por alguns segundos fiquei feliz, mas... rs Parabéns ao vencedor!

    www.mayaravieira.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alegria durou pouco, mas entendi Moonlight ter ganho. Quem sabe não escrevo sobre?

      Excluir
  4. Bem interessante a sua analise,não acompanhei a premiação mais vi os vencedores.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Dos indicados eu só assisti estrelas além do tempo até agora. E achei incrível o filme. Com certeza poderia ter ganhado :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  6. Gostei da sua crítica, não assisti todo o Oscar mas confesso que fiquei chocada com o erro que cometeram haha .
    Tô doida pra assistir La La Land (ainda não tive tempo de ver).
    Beijos,
    #fiquerosa

    Fique Rosa | Meu Canal YT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também fiquei chocado. O pior foi saber das outras gafes nesse mesmo Oscar e saber que não foi a primeira vez que um erro como esse acontece.

      Excluir
  7. Eu achei justo Moonlight ganhar, acho que musical com atores brancos já tá meio passado. Enfim, gostei da sua posição,

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Muito padrão para o momento que os EUA e o mundo no geral passam atualmente.

      Excluir
  8. Eu cinéfilo que sou, não perco essa época do ano ... já que acompanho desde 2006 todos os filmes do Oscar ... de qualquer forma, tinhamos excelentes filmes esse ano, e eu era do Team LLL que infelizmente nçao ganhou, Lion é lindo, Arrival nem se fala ... faltou algo em Manchester e a sensibilidade do diretor tornou Moonlight um filme incompleto ... não sei o que Estrelas estava fazendo ali, e Até o Ultimo Homem, era o pior de todos disparado.

    http://desde-1991.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faltou tudo em Manchester né? Kkk Não consegui ver tudo isso que viram em Moonlight, talvez eu precise ver de novo. Política e socialmente falando, ele ganha de LLL. Eu gostei de Até o último homem. Gostei muito.
      Parabéns por sua crítica!

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design