quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Editorial: A lição de Espírito Santo - povo armado não é violentado e os perigos do fim da PM

Sim, você podia se defender. | Mesbla


Caros leitores, eis o meu primeiro editorial no JJ sobre os distúrbios e a criminalidade galopante no estado do Espírito Santo.


***

O motim (e não greve, como se chama banalmente) dos policiais militares do Espírito Santo acerca de reajuste salarial e outras reivindicações expôs o povo desarmado ao caos e à barbárie nunca vistos na história do Brasil. Neste ínterim, vemos ladrões de todas as classes sociais e matizes saqueando lojas e cometendo horrendos crimes que ainda sequer foram catalogados. Apenas uma loja de armas funcionou normalmente.

Aos poucos, pessoas de bem viram uma boa oportunidade de provar duas coisas: que o Departamento Médico Legal do estado capixaba teve que recusar o recebimento de corpos por motivos óbvios já vistos por todos nós na mídia e em redes sociais; e que a desmilitarização das 27 PMs estaduais e distrital é a sentença de morte a um povo amordaçado e temente à vida. O desarmamento civil, portanto, foi um crime hediondo pois é sabido que se as forças de segurança não fazem seu serviço o povo perece em crime e morte.

O povo desarmamentista e anti-PM, como Cynara Menezes, Tico Santa Cruz, Marcelo Freixo, Lindenberg Farias, Gregorio Duvivier e outros foram merecidamente massacrados na internet. Mas é claro que a esquerda veio com o estapafúrdio "argumento" de que "não é bem assim" e de que se tratava, na verdade, de tirar o "militarismo das PMs que oprimem o povo" e todo o blá blá blá de herança da ditadura militar de 1964-1985.

O ridículo foi o carrinho tocando Imagine, de John Lennon e com a hashtag #SemMedo passando nas ruas como se isso fosse resolver algo. O mais estúpido ainda foi aquela manifestação pela paz organizada pela OAB - justamente depois do fim do motim policial. E ainda no site do partido comunista PSTU um apoio a "greve" e as supostas "esposas de PM". Mas é lógico que não vimos (e nem veremos) esta hipótese levantada pela velha mídia.

PRESTEM ATENÇÃO aos que não entenderam a lógica suicida dessa gente! Eles não contaram que as polícias militares tornariam-se apenas um corpo de funcionários públicos com armas. E sabemos bem que se for desse jeito, as polícias terão direito ao sindicato e, portanto, farão greve. Do mesmo jeito que ocorreu no Espírito Santo, só que "legalmente". 

O que não te contaram também é que TODA A FORÇA MILITAR estaria nas mãos e submissão do Presidente da República. Imagina um Lula ou um Ciro Gomes da vida mandando a - digamos - Polícia Nacional reprimir qualquer manifestação contra seus interesses.

ASSIM COMO NAS DITADURAS da Venezuela, por exemplo, o Presidente tem poder sobre toda a sua Polícia Nacional e pode fazer dela o que quiser com o povo. É claro que antes de reprimir com violência e assassinatos, essa gente vem com o papo de desarmar a população. Assim fizeram com o maldito Estatuto do Desarmamento que deixou os brasileiros a mercê do crime organizado. Apesar de a maioria dos brasileiros dizerem NÃO à proibição de venda de armas e munições no país, o governo federal em conjunto com ONGs endinheiradas como a Viva Rio, fazem pesados lobbies e insistem em mentir a população dizendo que armas "geram mais crimes".

Os livros Mentiram para mim sobre o desarmamento e O preconceito contra as armas provam que um povo armado está preparado (ou imune) às ações dos criminosos e da tirania dos governantes. Os Estados Unidos garante a posse e porte de arma em sua Constituição, e a nossa primeira Constituição de 1824 (a que ficou em vigor durante 67 anos, outorgada pelo imperador Dom Pedro I do Brasil) dava a chance ao povo de ter uma arma para proteger a si, sua família e a nação contra inimigos internos e externos. Até o início dos anos 2000 era possível ter uma arma para proteção pessoal. Hoje, para adquirir uma, é preciso uma papelada desnecessária de documentos, além de comprovar a tal da "efetiva necessidade" de uso. Isso sem falar da iniciativa do governo e dos órgãos públicos em dificultar e boicotar ao máximo a regulamentação e renovação do porte e posse de armamentos.

SE O POVO do Espírito Santo e do Brasil estivesse armado, menos crimes ocorreriam. Veríamos cada brasileiro criando em si um sentimento de autonomia de suas propriedade e de sua vida. Polícia nenhuma é onipresente, onisciente e onipotente e sabemos o quanto demora uma viatura chegar ao local do crime. Mesmo se houvesse a tragédia do fim da PM, o povo estaria mais dono de seu destino e defensor natural da sociedade.

***


Serviço





No dia 19 de fevereiro haverá nas principais cidades brasileiras uma manifestação pelo fim do Estatuto do Desarmamento. A participação é importante porque de nada adianta levantar outras bandeiras se o seu direito a vida for cerceado. Esta manifestação do dia 19 é uma pauta única e bem direta.






A micareta encabeçada pelo Movimento Brasil Livre no dia 26 diz que vai querer o fim do Estatuto, mas vai pedir MILHÕES de outras reivindicações com o propósito (ou não) de esvaziar e calar o pedido principal: O FIM DO ESTATUTO DO DESARMAMENTO. Vai parecer mais como uma "marcha contra a corrupção". Então, eu peço que vão as ruas no dia 19 porque a manifestação do dia 26 está "bichada" e será uma MICARETA DE CARNAVAL.


Neste site está o Placar da Revogação do Estatuto do Desarmamento onde você pode ver se o seu deputado e senador é a favor ou contra o povo ter uma arma para se defender.

Até mais, pessoal. J-J














Por: Pedro Blanche

6 comentários :

  1. Respostas
    1. É só não ter uma arma, Daniela. Simples! | PEDRO BLANCHE

      Excluir
  2. Muito bom o post, bem informativo.
    Concordo com o Pedro.
    É intrigante este pessoal que são contra a PM, mas apoiam, e até pagam, os vândalos que participam das suas manifestações que tem o objetivo de fazer arruaça e quebradeira, como por exemplo em Brasília.
    E quem paga a conta é sempre nós, depredaram prédios públicos, tombaram carro de TV, atearam fogo.
    E aí eles querem uma polícia que não oprime o povo. Este povo que eles se referem, pra mim são baderneiros que merecem ser tratados como bandidos.
    Sou a favor do cidadão de bem possuir uma arma.

    ResponderExcluir
  3. Achei engraçado... sem polícia até quem "não é bandido" vai assaltar... povinho hipócrita, sabem que nunca pega nada roubar aqui nesse país. Gostei da análise!

    Bjinhos,
    ❥ AmigaDelicada.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E só um cidadão impediria roubos com a arma de fogo nestas circunstâncias. | PEDRO BLANCHE

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design