quinta-feira, 5 de maio de 2016

Quinta de série: American Crime Story



A série de hoje conta com a direção e supervisão (em alguns episódios) de Ryan Murphy (Glee, Scream Queens e American Horror Story- já falado aqui e aqui). Na verdade, o roteiro da produção é de Scott Alexander e Larry Karaszewski, que adaptaram o livro Run of his Life, de Jeffrey Tobin. A série adaptada chama-se American Crime Story: The People v. O.J. Simpson e assim como American Horror Story e Scream Queens trata-se de uma antologia, ou seja, cada temporada conta uma história diferente e fechada. A produção é exibida no canal FX

Ao contrário da brutalidade e do terror sangrento e assustador - que beira o estético - de AHS e SQ, a antologia traz uma perspectiva não tão fantasiosa - por ser baseada em uma história real - mas um tanto quanto sangrenta e macabra. 




Essa temporada mostra um crime famoso de 1994 que envolveu o jogador de futebol americano Orental James Simpson: o homicídio de sua ex esposa, Nicole Brown, e de seu amigo, Ronald Goldman. A série começa mostrando o crime brutal, a ex esposa morta em uma poça de sangue, a casa revirada, marcas de calçado, manchas de sangue em um carro e uma luva de couro. Todo o cenário inicial da série foi bem pensado por Ryan, o que nos remete, em vários momentos, a série macabra American Horror Story (Só de me lembrar das cinco temporadas já fico perplexo!). 

As investigações e evidências do crime brutal levam até o jogador, já que ele tinha um histórico de violência doméstica contra sua esposa; já que manchas de sangue da vítima estavam no carro do famoso; já que a luva de couro possivelmente pertencia a ele. Quando O.J. Simpson soube da perseguição disse que era inocente e não tinha nada a ver com o crime, só que fugiu de carro pelas ruas da Califórnia e ameaçava se matar. A série soube retratar bem isso. A tensão já inicia-se no primeiro episódio.

Na época, o crime foi conhecido mundialmente e teve ampla cobertura da mídia e da tv, tanto no caso, como no julgamento de O.J. Simpson. Afinal, o jogador era culpado ou inocente? Para quem tem boa memória já sabe dessa resposta, mas a série se constrói e vai te prendendo de uma forma bem interessante.

A produção conseguiu trazer os ares polêmicos que permearam na época, como: a tensão e o preconceito existentes por Orental ser negro; deixar o lado emocional falar mais alto; o preconceito existente com as mulheres, representado pela personagem Marcia, advogada de acusação; e o poder da mídia na sociedade e capacidade de manipulação.

O ano é 1994, e percebemos que o preconceito na época era exacerbado, mais do que hoje em dia. Naquela época, o pensamento "se é negro ele precisa ser condenado. Ele é assassino", era a atitude da maioria. Até mesmo o advogado de defesa de Orental, Johnie Cochran, negro, foi acusado de prediletismos por defender outro negro. Inclusive, tem um episódio específico que mostra que ser negro era ser desprivilegiado em vários aspectos. As pessoas chamavam-os de "pretos" e até se sentiam envergonhados de pronunciar essa raça.




A emoção, por sua vez, tomou conta das pessoas na época. A interpretação de Cuba Godding Jr. está impecável. Ele emociona, faz chorar com sua alta carga emocional de expressões e de fala. Em alguns momentos, deixa-se de analisar os fatos porque a emoção fala mais alto. "Esse cara não pode ser preso. Ele está falando a verdade. Ele é negro. Sofre muito", esse é o pensamento do júri popular na série, de quem assistiu o fato pela tv e, até mesmo, de quem é telespectador.  

O show não só retrata o preconceito racial, como o de gênero, muito bem. "Por que uma mulher deveria frequentar um tribunal? O lugar da mulher não pode ser ali". Esse era o pensamento em 1994, pasmem! Marcia sofria preconceito até pelo estilo de cabelo que usava, mas resolveu reverter isso a seu favor. 

Já a mídia, vem para fomentar e criar opiniões na sociedade. Jornais, revistas e televisão aparecem ora pra enaltecer a figura do jogador ora pra denegrí-la. É o público quem decide que caminho seguir. A série traz brilhantemente o poder da mídia (revista), principalmente em um episódio, onde apresenta Orental com a cor de pele mais escura do que realmente é. O interessante é perceber que os editores "brincam" com a pele do jogador, clareando-a e escurecendo-a, até chegar a esse tom que foi divulgado na Time (percebam o tom de pele de Orental na outra revista ao lado):



ACS não só conseguiu trazer com detalhes o crime brutal e famoso de 1994, como também tudo o que o permeou: júri popular, mídia, advogado de defesa, de acusação, juiz, preconceito racial e de gênero, e os costumes da época. Gostei da série por, a cada episódio, trazer um novo prisma e um novo lado desse fato. Episódios foram centrados no juiz, no júri popular, na mídia, no advogado de defesa, na advogada de acusação, etc. Por isso, o show não foi cansativo em nenhum aspecto. 

Uma das cenas mais interessantes é quando a promotoria e os advogados de acusação pedem para O.J. Simpson provar as luvas. Me deu uma aflição e um sentimento de curiosidade. Por ironia do destino, elas ficam apertadas nas mãos do jogador, que continuou com o mistério sobre a autoria do homicídio. Ela foi baseada nessa cena real:



A série conta com grandes atores, como: Cuba Godding Jr., Jhon Travolta - que produziu e atuou - e Sarah Paulson. E traz pessoas que conhecemos no nosso dia a dia, como o pai de Kim Kardashian, Robert Kardashian, como advogado de defesa. Quem o interpreta é o ator David Schwimmer.



O que ficou impecável na série foi a escolha e caracterização dos personagens. Eles ficaram muito parecidos com as pessoas reais. Confira:


O.J. Simpson


Johnie Cochran



Robert Kardashian


Robert Shapiro


Lance Ito


Sarah Paulson


Christopher Garden


A realidade se confunde de uma forma assustadora com a ficção, não?!

Qual terá sido a conclusão de toda essa história? Aí vocês terão que assistir os 10 episódios para saber, mas já posso adiantar que a season finale te deixará sem palavras, como eu fiquei, e também outra coisa: o racismo vencerá contra a verdade! Esse caso foi um divisor de águas para a justiça norteamericana e também motivo de frustração para alguém. Será que para a justiça? O.J. Simpson? Mídia? Para quem?! Não sei, acho que já falei demais. 

Já está prevista a segunda temporada de ACS, que, de acordo com o site Adoro Cinema, será uma antologia que passará longe dos tribunais e vai expandir um pouco o conceito de "crime":

"[...] o segundo ano da série vai cobrir os eventos relacionados ao desastre provocado pelo Furacão Katrina em Nova Orleans, em 2005. O plano, de acordo com Murphy, é acompanhar um grupo de seis a oito pessoas e suas tentativas de examinar todos os lados da tragédia, dos abrigos superlotados aos hospitais mal equipados". 


Agora é só aguardar! J-J





Por: Emerson Garcia

9 comentários :

  1. Esse tipo de seriado eu adoro!!
    Adoro essa luta por direitos.
    kisses

    ResponderExcluir
  2. Raramente um seriado me chama a atenção, mas desse eu gostei! Adoro o trabalho do Cuba! Ele é um excelente ator!
    Tô te seguindo, pois adorei o seu blog! Adoraria receber a sua visita!

    Beijos!
    Fabi Carvalhais
    Pausa Para Pitacos | Participe do TOP COMENTARISTA | Promoção PQ SIM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele trabalha muito bem nessa série! A gente sente sua emoção na pele.
      Pois é, estou sempre no seu blog agora também.
      Beijos!

      Excluir
  3. Nunca vi esse seriado e nem sei se gostaria da história :P

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  4. Agora fiquei com vontade de assistir. Acho que é uma das séries mais diferentes que o Ryan Murphy já dirigiu né? Porque normalmente ele faz estilo Glee e Scream Queens que são meio "toscos", não sei bem ao certo a palavra, mas são séries muito boas porém as coisas que acontecem são mais pra entreter mesmo.

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa, além de entreter, coisa que ele consegue muito bem, ainda tem uma riqueza histórica, de percepções e de detalhes incríveis. Você vai gostar bastante.

      Excluir
  5. Eu amoooooo séries desse tipo, mas faz tempo que não acompanho nenhuma. Tô super enferrujada. Preciso voltar!

    Beijos :*
    Blog: www.vanessamonique.blogspot.com.br
    Face: www.facebook.com/blogdavanessamonique
    Insta: @vanimonique

    ResponderExcluir
  6. Não assisti ainda serie deste tipo mais gostei da dica,
    bom final de semana e FELIZ DIA DAS MÃES.
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderExcluir
  7. para quem ainda nao assistiu assista ja esta em português ... tópico serie viciante e ao mesmo tempo emocional... e bom assistir em familia com adultos pois aborda fatos surreais de familia.

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design