domingo, 15 de maio de 2016

As 7 doenças que estão matando a nossa humanidade

A partir de hoje, durante 4 dias, teremos uma série de posts especiais. É a Semana da Luta Antimanicomial. Por várias vezes, vocês já viram postagens sobre saúde, filmes sobre transtornos mentais e tratamentos adequados dessas doenças. É um assunto que sempre achei importante falar. Agora, teremos posts sobre diversos assuntos que versam sobre Luta Antimanicomial e saúde. Estejam ligados!

Para começar, falarei das 7 doenças que estão matando a nossa humanidade. A ideia surgiu depois que li esse post interessantíssimo na internet. Essas doenças não estão catalogadas na psiquiatria nem na psicologia, mas estão ligadas a psique humana e a mente. Se as pessoas não estão morrendo fisicamente, estão morrendo em suas emoções e relacionamentos. Quais são essas 7 doenças?


1- A espetacularização das nossas vidas



Em tempo de redes sociais, a publicação e o exibicionismo tem dominado a mente de muitas pessoas. Hoje em dia, não se pode viver mais a sua vida particular tranquilamente, necessitamos de aparecer. Aparecemos em fotos bonitas no Instagram, compartilhamos nosso dia a dia no Snapchat e temos que registrar tudo pra colocar no Facebook. Vivemos um grande espetáculo, onde as pessoas precisam ser vistas, lembradas e ovacionadas. Requeremos curtidas, compartilhamentos e comentários, assim como os outros também requerem de nós.


2- A mentira enquanto narrativa




O que era normal em outra época, hoje não é mais. O que não era natural, tornou-se relativo e admissível. As pessoas não vivem hoje mais sem ouvir mentiras e sem mentir. A mentira tornou-se confortável, ao passo que mentir é um hábito. A mentira está em todos núcleos sociais. É comum vermos políticos corruptos que mentem de pé junto que não roubam. E o pior de tudo isso são as pessoas acreditarem neles.


3- O protagonismo



A sociedade do espetáculo permite ao indivíduo que ele torne-se importante nas relações, e sobretudo, o único importante. A mídia, as redes sociais e a sociedade falam que o homem é o centro do universo e que ele deve conquistar tudo, seja em relação ao consumo, ao desejo e a vida em si. Com isso, as pessoas passam a ser mesquinhas e não olham mais para o próximo.


4- As relações líquidas



Ao contrário do que possa parecer, as redes sociais e a vida tecnológica/virtual não vieram muito pra ajudar as pessoas, não. Vivemos em uma sociedade onde é possível ter até 1000 amigos em um Facebook, mas quantos desses são realmente seus amigos? 




A facilidade de interação e de conhecer novas pessoas, não significa muita coisa. A maioria desses amigos são líquidos, descartáveis e que você só vai se relacionar virtualmente com eles. Não há raiz, nem comprometimento. Por outro lado, muitas pessoas não veem o outro como potencial amigo, somente como alguém que demonstra um interesse passageiro. 


5- A falta de tempo



Vivemos na sociedade da correria e da impaciência, o que pode acarretar em doenças psicossomáticas e mentais, como transtorno de ansiedade e depressão. Demandamos muito tempo para as atividades cotidianas do nosso dia a dia. Não temos tempo de abraçar amigos, sair no shopping com a família e nem de aproveitar as coisas boas da vida. O relógio é nosso patrão. Essa falta de tempo acarreta em problemas nos nossos relacionamentos e no nosso corpo. 

Damos a desculpa aos nossos amigos de não falar com eles no Whatsapp "por falta de tempo", de não ligar  e de não estar perto "porque a rotina está muito pesada e cansativa". Me pergunto se uma pessoa não pode tirar 5 minutos do seu dia que tem 24h para pronunciar uma palavra de carinho ao outro...


6- O hiperconsumismo




O problema da sociedade atual não é ser consumista, mas sim ser hiperconsumista. As pessoas estão endividadas não porque compraram um pacote de feijão ou de arroz, mas sim porque adquiriram aquilo que não precisavam. Saímos da zona da necessidade, para o consumo doentio. Precisamos ter aquele Iphone, senão a sociedade não nos aceita; precisamos ter 500 pares de sapatos nas prateleiras mesmo que não usemos todos. Enquanto existem pessoas que não tem nada por aí!


7- A ironia



Vivemos em uma sociedade que pouco importa o que a outra pessoa esteja passando. Agir de forma irônica com a dor do outro é comum nos dias de hoje. "Isso que você leva a sério é tão bobo e engraçado", "Ah. Isso é só um problema que já tornou-se comum", "Isso que você está falando é uma mentira". Esses são os pensamentos de uma pessoa que usa a ironia de modo a anunciar o seu desprezo e o "seu pouco me lichando". Devemos minar esse sentimento de nós!


Você já deve ter sentido o sintoma de alguma dessas doenças ou ainda sente. Que você possa viver de forma saudável, aniquilando cada uma dessas coisas de sua vida. Quis trazer esse post inaugural, para mostrar que todo nós estamos adoecidos mentalmente, mesmo que não tenhamos o diagnóstico de uma doença mental. Que possamos reconhecer isso nessa semana, antes que uma doença dessas torne-se algo mais grave, uma SID. Até amanhã! J-J






Por: Emerson Garcia

17 comentários :

  1. UAU, que post!
    A gente nota claramente todos os sintomas dessas doenças no dia a dia.
    Nos faz refletir e pensar: somos assim também? como podemos mudar?
    Abraço


    Ig: @saymybook
    www.saymybook.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que todos já tiveram um ou mais desses sintomas. O certo é que abandonemos todos eles, pois são muito prejudiciais.

      Excluir
  2. Ironica e coicidentemente eu estava pensando nas relações liquidas quando escrevi meu último post.
    É estranho como cada uma das coisas que você citou depreciam um pedacinho que muitas vezes nem tem conexão direta com o outro e então tudo está como está, desmoronando lentamente, bem na frente de nossos olhos. E acho que você sabe o que fazemos a respeito, né? (número 1)
    Acho que faltou o vitimismo, pois não tem nada pior do que, em vez de você assumir a culpa quando está errado, você vitimiza e fica se fazendo de coitado. Então isso se entrelaça com a mentira e a espetacularização e você fica menosprezando problemas sérios (como doenças psicológicas e transtornos alimentares) fingindo que tem eles e que é o coitadinho para ganhar atençao.
    Adorei seu post, até me empolguei aqui.
    Xoxo
    http://ja-ta-crescida.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vitimização também é um problema em nossa sociedade. Temos que achar um culpado para os nossos problemas e fazermos de coitado, quando na verdade tem pessoas com problemas muito mais sérios por aí.

      Excluir
  3. Um post bem verdadeiro, nesse mundo atual temos que tomar cuidado com nosso comportamento.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nossa... Sem palavras pra esse post!
    Realmente são doenças que estão matando nossa humanidade, e infelizmente isso está aumentando a cada dia que passa... É bem triste ver que ao mesmo tempo que a internet ajuda muito, está causando tudo isso também, fora o egoísmo, dinheiro, falta de tempo, estresse, etc...etc...
    Espero que tenha uma cura em breve, senão estaremos todos condenados hahaha
    Beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A cura é cuidarmos do próximo, darmos valor aos nossos relacionamentos e pensar menos em dinheiro. Só assim pra não ficarmos adoentados.

      Excluir
  5. MEU DEUS, QUE POST INCRÍVEL! Exatamente isso que acontece e a maioria das pessoas nem se dão conta, não é? Basicamente todo mundo faz isso. Algumas coisas são inevitáveis, mas precisamos melhorar, nada está perdido.
    beeijos,
    www.marinaalessandra.com

    ResponderExcluir
  6. Realmente vejo todas essas questões pesarem muito nas pessoas. Em mim o que mais vejo é a falta de tempo e eu realmente sinto todos os sintomas ruins que isso causa e chega a ser angustiante e sei que não faz muito bem e por isso quero conseguir me organizar melhor e administrar bem o meu tempo.
    X J X C X

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que administrar o tempo é o problema de muitos. Se soubermos como fazê-lo, teremos tempo pra tudo, sem nenhum exagero.
      Boa semana pra você!

      Excluir
  7. Sobre a espetacularização eu lembrei de um caso em que o cara estava querendo tirar a selfie perfeita, ele continuou andando para ver o melhor ângulo e caiu do precipício! Outro caso foi da menina que queria tirar uma foto em cima do vagão de trem, ela se segurou em um cabo e acabou sendo eletrocutada!!!


    Beijokas da Mylloka :*
    https://myllokasecret.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A espetacularização leva a atitudes extremas, como as que você relatou. Tudo por um clique, uma curtida, um coração e um compartilhamento.

      Excluir
  8. A falta de tempo está me matando mesmoo parece que não tenho medo para nadaaa tá horrivel isso

    www.descrevendonuvens.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato. O tempo está curto e escasso atualmente.

      Excluir
  9. #1 é muito forte. As pessoas estão "doentes" e contraíram a síndrome de celebridade. Tudo tem que está exposto, na rede. Tudo vira manchete. A geração selfie vive para receber curtidas e comentários. As pessoas estão com muito medo de serem esquecidas. Uma tristeza!

    Ótimo texto!
    Blog Querido Deus obg por me exportar!

    ResponderExcluir
  10. Por falar em doenças, existem extremos como hiperglicemias (de 130 a 900)/hipoglicemias (de 0 a 70), hiperpieses (90/140 ou 140/90 a 300/300)/hipopieses (0/0 a 60/90 ou 90/60). Os nomes de seus portadores são: "hiperglicêmico"/"hipoglicêmico" e "hiperpiésico"/"hipopiésico".

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design