segunda-feira, 16 de maio de 2016

História do Dia da Luta Antimanicomial

"Saúde não pode ser comércio". Essa frase que eu li é do ator David Lucas quando ele postou uma foto em seu Instagram amarrado com uma camisa de forças para gravar uma cena da novela Eta Mundo Bom, onde ele foi internado em um manicômio ou hospital psiquiátrico. A frase é chocante se analisarmos que haviam hospitais psiquiátricos que tinham lucro com internações forçadas e com métodos um tanto quanto nefastos.



A cena que David realizou, demonstra essa realidade doída: a pessoa perdia sua individualidade e era invadida; perdia seus movimentos corporais e de braço; perdia sua independência e era guiada à força para um lugar desconhecido. 

O próximo dia 18 de maio, Dia da Luta Antimanicomial, será um dia pra se combater esses métodos psiquiátricos e o fim de manicômios com realidades tão cruéis. Mas por que/como esse dia surgiu?!


Por que/como surgiu?

Essa luta nasceu em 1987, com o lema: "Por uma sociedade sem manicômios". Nessa época haviam internações forçadas, abusos (tanto mentais quanto físicos) e violação dos direitos humanos primordiais. 

A Casa de Saúde Dr. Eiras, que foi localizada no Rio de Janeiro, foi conhecida como um dos principais manicômios da América Latina. Os pacientes eram tratados como indigentes, sem a condição mínima de saúde e de higiene. 

Recentemente, em 2012, essa Casa foi fechada de vez. Ao contrário do que se pode pensar essa luta não terminou nos 1800/1900, até porque essa Casa foi fechada nos anos 2000, o que significa que essa batalha precisa perdurar por mais tempo. Precisamos denunciar esses manicômios! Vejam as fotos, são de assustar:




Local com argolas para prender as pessoas com problemas mentais. 



Condições precárias em hospital psiquiátrico / Homem tomando água de esgoto.


Motivos de internação

Internava-se essas pessoas, não pelo motivo delas terem apenas distúrbios mentais, mas existiam outros, que visavam o comércio e o lucro desses hospitais. Negros, mulheres, homossexuais, inteligentes, militantes políticos, e até mesmo filhos bastardos eram reclusos. Acreditem se quiser! Não precisava ter um atestado ou um exame médico para isso. O Manicômio de Barbacena, em Minas Gerais foi um desses palcos de horror. Lá, não tinha apenas loucos (grifos meus):

Apesar de os pacientes encaminhados para o manicômio serem considerados loucos, apenas 30% deles tinham diagnóstico de doença mental. [...] homossexuais, militantes políticos e meninas que haviam perdido a virgindade antes do casamento eram mandados para lá. (Globo News)







O manicômio de Barbacena foi conhecido como "O holocausto brasileiro" quando foram contabilizadas mais de 60 mil mortes em 1903. Nada de Alemanha, nada de campo de concentração de Auschwitz. Isso aconteceu aqui no Brasil e chocou a opinião pública:

"[...] eram muitos pacientes sujos, feridos, com corpos que denunciavam de cara a fome que passavam". (Puro Mistério)


Métodos perigosos

 "O tratamento através da internação em hospitais psiquiátricos é desumano e invasivo. Eletrochoque, lobotomia e trepanação são técnicas realizadas sem atestado médico" [...] Ao utilizar esses métodos o paciente está em risco, pois traz efeitos colaterais sérios, causando mais perturbação. (Dom de reportagem: Tratamentos adequados de doenças mentais)


Quem já ouviu por aí sobre o tratamento para curar um homossexual? Existia uma época em que se acreditava que para curar um gay bastava apenas conectar fios em seus órgãos sexuais e colocar vídeos e estímulos visuais pornográficos sobre o que a pessoa tem atração. Se for atraído por homens, colocava-se imagens de homens nus e vídeos pornôs gays e se a pessoa tivesse ereção, excitação ou algum estímulo, projetava-se choques. Aí, quando a pessoa tivesse alguma ereção no futuro, iria se lembrar do choque que levou. Isso trazia sérios problemas colaterais e não resolvia o problema. 

Conheça esse e outros métodos que foram utilizados por manicômios:


Eletrochoque



Em muitos manicômios utilizava-se essa técnica prometendo que as pessoas deixariam de ser loucas. Bastava conectar vários fios na cabeça delas e descarregar várias ondas de eletrochoque. No hospício de Barbacena utilizava-se esse método:

"[...] a carga elétrica era tão intensa que sobrecarregavam e derrubavam a rede elétrica de Barbacena. Pra piorar ainda mais a situação não era usado anestesia durante o tratamento, o que transformava a prática num verdadeiro exercício sádico de tortura". (Puro Mistério)


Lobotomia



A lobotomia era utilizada para acalmar pacientes e retirar deles algumas sensações e sentimentos. Para isso, subtraía-se partes parciais e totais do cérebro. Era um método perigosíssimo, pois poderia retirar funções importantes cerebrais e deixar as pessoas com sequelas. Também foi utilizado em homossexuais, mas sem sucesso:

"O tratamento foi usado no começo do século 20, até que, em 1959, um relatório do hospital Estadual Pilgrim, em Nova York, avaliou 100 casos e concluiu que os pacientes continuavam homossexuais". (Revista Superinteressante)


Trepanação



Nos tempos antigos, acreditava-se que uma pessoa com problemas mentais era possuída por demônios ou mal espíritos. Para a pessoa voltar a normalidade, utilizava-se da trepanação, que consistia em uma abertura craniana de um ou mais buracos com uma broca neurocirúrgica. 

"Acredita-se que a cirurgia era considerada a solução para vários tipos de doenças. Além de ser usada para 'tratar' ferimentos cranianos e doenças mentais, arqueólogos sugerem que a trepanação poderia ter propósitos religiosos - como o exorcismo". (Revista Galileu)


Hipnose



A hipnose foi bastante utilizada pelo pai da psicanálise, Sigmund Freud. Ela pode ser conduzida pela voz, pelo movimento do dedo ou por um pêndulo, e consiste em sugestionar a uma pessoa determinada ideia. É amplamente usada para combater fobias, depressão, entre muitas outras coisas. A dificuldade encontra-se em aceitar ser sugestionado e como lidar com os problemas após a hipnose:

"Para alguém ser hipnotizado não basta apenas alguém chegar e hipnotizá-lo, o paciente deverá acreditar neste processo de hipnose e querer ser hipnotizado [...]" (Brasil Escola)


Reforma Psiquiátrica

Não é nada legal viver em um cenário como o citado nesse post né? Creio que muitos de vocês estão surpresos e perturbados em como a saúde mental era tratada principalmente em nosso país. Daí a necessidade do Dia da Luta Antimanicomial e de uma lei para policiar todas essas questões.

Fonte: SIMÕES, ALEXANDRE. História da Luta Antimanicomial: recortes e contextualização.


A lei 10.216/2001 foi uma vitória ao determinar o fechamento progressivo de hospitais psiquiátricos e a instalação de serviços substitutivos, como os CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), Centros de Convivências e Residências Terapêuticas. Essa revolução não é só importante com relação as questões sociais, como também de todo ser humano e sua condição de ser dotado de direitos. Os CAPS tem uma nova maneira de lidar com o paciente com transtornos mentais (confira mais sobre aqui). 


Psicofobia

O preconceito com pessoas com transtornos mentais perdura por décadas. A criação desses manicômios é a prova que não se tinha o mínimo de amor e compaixão, e o máximo de preconceito. 

Psicofobia é o termo usado para definir o preconceito contra as pessoas com transtornos e deficiências mentais. Psico= vem de louco; Fobia= medo, pavor, ou seja: medo ou pavor de louco. Vez ou outra, vejo pessoas chamando esquizofrênicos de malucos, doidos e lunáticos, quando na verdade eles são pessoas como qualquer um. Também vejo outras chamando depressivos de frescos e preguiçosos, quando não tem conhecimento que isso é uma doença da alma. 

Que possamos não ser preconceituosos, que possamos denunciar a psicofobia e que possamos lutar contra o fim dos manicômios. J-J






Por: Emerson Garcia

16 comentários :

  1. Oi Emerson,
    Este artigo é maravilhoso, um choque de realidade para que todos entre nessa luta contra lugares como esses.
    Tenha uma ótima semana!
    Bjs❤
    Abrir Janela

    ResponderExcluir
  2. A frase é chocante mesmo e realmente antigamente muitas pessoas eram internadas a força e mesmo sem ter alguma doença mental.
    kisses
    http://www.colecionadorademoda.com

    ResponderExcluir
  3. Muito boa a postagem!! Realmente não tinha esse conhecimento desses atos aqui no Brasil ): é uma tristeza saber que essas coisas aconteciam e esse preconceito perdura até hoje :/

    https://apaixonadaporfinaisfelizes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu tive a oportunidade de estudar sobre isso na faculdade,e de fato é assustador ler sobre os métodos utilizados nos tempos passados.E apesar de algumas coisas terem mudado ainda há muito para ser transformado.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses métodos são terríveis mesmo. Me dá até gastura.

      Excluir
  5. Que bom que agora tem essa lei para assegurar os direitos dessas pessoas! Um horror saber que muitas pessoas foram tratadas de modo tão desumano.

    rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa lei foi salvadora mesmo, mas muita coisa precisa mudar, como a psicofobia e o preconceito.

      Excluir
  6. Caramba, que post interessante! Sério mesmo, não sabia da maioria das informações, fiquei muito surpresa e agoniada com os métodos enquanto lia, mas que bom que evoluímos e passamos a entender melhor sobre essas situações! Todo mundo deveria ler esse post e saber mais sobre esse dia ^^
    Um beijão,
    Gabi do likegabs.blogspot.com ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! Esse post precisa ser compartilhado. Conto com sua ajuda.

      Excluir
  7. Assustador saber que os manicômios eram usados por qualquer com $$$ e intenções nefastas. Tem que acabar mesmo!

    ResponderExcluir
  8. Existem alguns filmes que tratam justamente disso. Foi uma tristeza. Ainda bem que evoluímos, mas mesmo assim ainda temos muito para aprender. Imagina viver numa época assim, onde apenas ser diferente ou mal compreendido era prelúdio pra ser internado.
    O pior é que ouso dizer que ainda hoje existem pessoas que não entendem e pensam que isso é solução para vários casos.

    :**

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Carla! No post de hoje falei de 13 filmes com essa temática. Depois você dê uma olhada, e se preciso acrescente mais algum filme.
      Pois é! Homossexualidade eta confundida com loucura. Vê se pode?

      Excluir
  9. Aqui na minha cidade, a universidade que estudo está fazendo um projeto bem bacana pela luta e conscientização.

    http://www.cherryacessorioseafins.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design