terça-feira, 10 de maio de 2016

Diferenças que unem

*O post a seguir pode conter alguns spoilers.


E ai, gente. Tudo bacana? Hoje teremos uma resenha de um livro do João Verde que eu não sabia que existia até eu vê-lo na Bienal do Livro do Rio de 2015, Will & Will. O livro, escrito junto com David Lavithan, fala sobre duas pessoas diferentes que possuem o mesmo nome: Will Grayson.



A obra realmente me atraiu de um jeito que eu não me atrai desde que li Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo (Uma comparação irrelevante, pois nada supera Ari e Dante S2).

“Quando as coisas se quebram, não é o ato de quebrar em si que impede que elas se refaçam. É porque um pedacinho se perde – as duas bordas que restam não se encaixam, mesmo que queiram. A forma inteira mudou.”


Will & Will são histórias diferentes contadas simultaneamente. Um dos Will é hétero e mora em um lugar, com determinados amigos e sua vida. O outro é gay, reside em outro lugar, com outros amigos e outra vida. Mas, por uma coincidência (trágica) do destino, eles acabam se encontrando em um lugar um tanto quanto peculiar. Depois de se conhecerem, acabam mantendo contato e alguns de seus amigos cruzam o caminho um do outro.

“Penso em quanta coisa depende de um melhor amigo. Quando você acorda de manhã, senta, põe os pés no chão e se levanta. Você não escorrega até a borda da cama e olha pra baixo pra se certificar que o chão está lá. O chão está sempre lá. Até o dia em que não está.” 


Ambos Will’s tem problemas em suas vidas e obviamente alguns deles fazem parte do enredo principal da estória. Por exemplo, um dos Will passa por um catfish. Para quem não sabe, é um termo em inglês usado quando a pessoa tem um relacionamento online sem conhecer a pessoa, e quando a conhece, descobre que a pessoa era completamente diferente do que se dizia ser, ou simplesmente não existe. É uma pura enganação de alguém sem ter o que fazer.



O livro aborda muito também a questão da amizade ser mais importante que relacionamentos fúteis que temos no decorrer da vida. É o tipo de leitura leve, mas não para crianças, sabe?! Há uns palavrões e umas mensagens subliminares que só mentes maliciosas entendem ou não tão maliciosas assim. Eu não deixaria meu primo de 10 anos ler esse livro, embora seja muito bom. (Faça 15 anos primeiro, depois a gente conversa. xD) J-J

“Quando você namora alguém, tem os indicadores pelo caminho, certo? Vocês se beijam, tem A Conversa, dizem Três Palavrinhas, vocês se sentam em um balanço e terminam. Pode-se assinalar os pontos em um gráfico. E vocês checam essas coisas um com o outro pelo caminho: Posso fazer isso? Se eu disser isso, você dirá também? Mas com amigos, não tem nada assim. Estar em um relacionamento, isso é algo que você escolhe. Ser amigo, isso é simplesmente algo que você é.”




Por: Thiago Nascimento

9 comentários :

  1. Fiquei tentada em ler agora, nunca tinha visto uma resenha sobre esse livro, agora que vi, adorei! Já entendi por quê tantas pessoas gostam dos livros do John Green, esse parece ser ainda melhor por ter outro autor também. No momento to lendo o "Quem é você, Alasca?" (primeiro livro que leio dele) e gostei muito da linguagem que ele usa nos livros, me prende.

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não consegui me prender em “Quem é você, Alaska?” Eu li todo o livro, mas não gostei. "Will e Will" foi o terceiro livro do John Green que eu li, mas eu prefiro "A culpa é das estrelas" (sim, sou modinha). David Levithan (o segundo autor de Will e Will) está quase virando meu autor favorito. Falta bem pouco.

      Excluir
  2. Uma história bem complexa e diferente, né? Mas gosto dessas leituras que fazem a gente dar valor a amizades verdadeiras :D

    Blog AmigaDelicada.com ❥

    ResponderExcluir
  3. Ótima resenha! daquelas que dá vontade de ler o livro *-* Realmente parece ser uma história bem interessante. Eu sempre pensei assim que algumas amizades são relações mais importantes que outros tipos de relações que temos por ai, fiquei ainda mais curiosa para ler o livro. :D
    ideias alternativas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro gente que pensa assim <3 O livro é bem receptivo mesmo, e curioso. Ele te prende do começo ao fim, principalmente nas partes do segundo Will Grayson.

      Excluir
  4. Fiquei curiosa, gosto deste género de livros :-)

    ResponderExcluir
  5. Legal! Nem tinha ouvido falar desse livro ainda, já quero!

    www.ingridbaranjak.com

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia...

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda-blogspot.pt

    ResponderExcluir
  7. Parece ser um bom livro. Ainda não o vi por aqui...

    Beijinho meu,
    http://danielasilvablogof.blogspot.pt

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design