quarta-feira, 15 de julho de 2015

Slogan usurpado: S de Sadia ou de Seara?




A Seara conseguiu retornar com sua campanha "S de Seara" ontem (13), depois de suspensa pela justiça, com a alegação de usurpar o slogan de sua concorrente, a Sadia.

Criada pela agência WMcCann, a propaganda traz uma família que vai até a padaria e pede um presunto, mas sem falar o nome do produto, para que o vendedor descubra. No final, a marca que começa com S e termina com A é a Seara, e não a Sadia.




A briga da Sadia foi pela apropriação de seu "S", já difundido e patenteado no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). A Seara está sendo acusada de despatenteá-lo, e de utilizar um marketing agressivo em suas campanhas. 

Em minha opinião, a atitude da Sadia de pedir a remoção da campanha, é porque a Seara está fazendo barulho. Imagina só: ela ousou em colocar uma ex apresentadora de um jornal reconhecido (agora ela é do entretenimento); e ousou enfrentá-la, dizendo que seus produtos são melhores que o dela. 

Por outro lado, acusam a Seara de apropriar-se de um slogan, que ao meu ver não é verdade. Não é preciso ser um expert em língua portuguesa para entender que ambas as marcas começam com S e terminam com A. A empresa BRF, da Sadia, alegou que o S é distintivo da Sadia. E eu concordo. Mas na propaganda, a letra estilizada (imagem abaixo) não apareceu literal, quiçá metaforicamente. O que apareceu foi uma inferência textual, e não necessariamente ligada à Sadia




Inferência textual é a habilidade de analisar, comparar, tirar conclusões lógicas de fatos ou acontecimentos, a partir de informações implícitas em um texto, com significado oculto. 


Todo bom leitor de uma propaganda deve analisar seu contexto (falado pelo meu querido Pedro Blanche ontem); suas falas - implícitas ou não; e suas referências. Algumas pessoas não compreendem as propagandas (eu já não entendi várias), ou então, a analisam de forma errada (o que aconteceu com a da Seara). 


Compreenda a propaganda da Seara

1- A Seara trouxe seu próprio slogan: Não foi o "S" da Sadia; não foi a marca com a letra inicial preto, restante vermelho, com o pingo no "i" preto; muito menos o "S" estilizado. Foi seu próprio slogan: SEARA (que diga-se de passagem é menos atrativo que o da Sadia).

2- A Seara fez uma inferência textual a si mesma: A concorrência pode fazer biquinho, pode processá-la por liminar, mas o jogo de palavras se refere a própria Seara. Só iria se referir a Sadia, se, e somente se, estivesse explícito o S, e não é qualquer "S", é o que se parece uma linguiça.  

3- A Seara não está fazendo seu marketing sobre a Sadia: A crescente vendas de seus produtos tem um nome: Fátima Bernardes. Com ela, embaixadora da marca, as vendas duplicaram em São Paulo. Mas seu sucesso, também se deve às propagandas, que estão sendo criativas, e agressivas (vide essa). Que a Sadia possa crescer também, sem derrubar a propaganda dos outros.


Estratégia agressiva

Digamos que o objetivo da Seara seja enfrentar a Sadia, e que nenhuma dessas premissas que eu falei no tópico acima (Compreenda a propaganda da Seara) sejam verdadeiras, porque eu gosto de colocar lenha no fogueira. Será que, mesmo assim, a propaganda deveria sair do ar?! NÃO! 

Sabe-se que o mercado publicitário é extremamente competitivo, e isso é saudável para o crescimento de uma marca. É legal ver a conquista de algumas delas, e os artifícios que utilizam para isso. Um produto ganha o gosto do público, não só por sua qualidade (e na propaganda, a Seara disse que seu presunto está com 36% menos sódio e 50% menos gordura, não contém glúten ou lactose), mas também por suas estratégias.

Se a Seara provocou seu concorrente, porque torcer o nariz?! Marcas famosas americanas tem sobrevivido nesse mercado sanguinário (e não colocaram suas concorrentes na justiça). 

A Pepsi e a Coca-Cola juntaram-se e ambas foram promovidas em uma campanha.




Mas em outro momento, foi a vez da Pepsi zoar a marca concorrente, em uma propaganda polêmica e provocativa.





Samsung provocou a marca da "maçã mordida", Apple, mostrando seu novo modelo de celular com propriedades interessantes e com a tela maior do que a da concorrente.





A diferença dessas propagandas para a da Seara, é que elas trazem a marca concorrente explicitamente em seus comerciais. A Seara não. Acredito que a inferência textual da propaganda refere-se a própria marca, e não a da Sadia. Mas se referisse a ela, não veria mal algum. A Sadia poderia ver por um outro prisma: o da concorrência querer promovê-la; ou fazer uma 'brincadeira' sem intenções mercadológicas; ou, até mesmo, entender que o "S" não é só dela. J-J


Por: Emerson Garcia

22 comentários :

  1. Great post dear. I hope you visit my blog also. I wish you happy rest of the week and the weekend. Keep in touch pls. Kiss

    http://mylovelyfashionbih.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Nossa. Falou tudo. Concordo contigo!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi, gostei muito dessa propaganda, ela é criativa. Eu não sabia que ela estava suspensa.
    Dé uma passadinha no meu blog, você vai adora ele tanto quanto eu adorei o seu.
    Se gostar, me siga. Mas se você não gosta.......
    ME SIGA mesmo assim!!! rsrsrs
    Beijokas!!!!

    http://viciadasemlivros911.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Criativa e bem corajosa né?!
      Estou sempre por lá :)

      Excluir
  4. Como eu amo esse mundo publicitário <3
    Adorei o post. Eu como publicitária adoro ver quando a campanha é liberada para a mídia nacional, principalmente depois de uma acusação dessa.

    www.revistadarafa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse mundo é bem interessante mesmo, Rafa.
      Eu também gostei da propaganda ter voltado para o ar.

      Excluir
  5. Nao sabia que no Brasil podia patentear algo( pensei q fosse somente no EUA) mas enfim... Quando vi essa propaganda pela primeira vez eu logo pensei na Sadia que faz sempre diz: S DA SADIA, porem to de cara com essa briga toda rs, lembrei de uns anos atras de brigas em comerciais de cerveja uma alfinetando a outra, acho ate divertido rs

    beeijos
    http://umagarotacitouu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A associação vem logo de cara, mas precisamos analisar o contexto de tudo.
      Lembro dessa época das propagandas de cerveja. Parou um pouco agora né? Podia voltar.

      Excluir
  6. é patenteado o nome né, e não a letra. Não vejo nada de errado com a propaganda hahaha, eu até curti bastante qdo vi a primeira vez kkkkk Adorei o post, não sabia da "briga"


    Bjuuuuu
    http://www.blogjumedeiros.com/

    ResponderExcluir
  7. Quando vi a primeira vez achei bem ousado e divertido. Uma boa concorrência, mas sempre prezando o respeito, é bom.

    Bjs, rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! Acho que a Seara não desrespeitou a Sadia de forma alguma.

      Excluir
  8. não sabia dessa briga, mas o mundo publicitário é assim mesmo né? adorei o post :D beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Bem sanguinário esse mundo. Que bom que está sabendo a partir do blog. Por aqui no Brasil é isso que rola rsrs

      Excluir
  9. Oi Emerson!! Eu simplesmente surtei com seu post!! Eu fiz Adm com especialização em Mkt!! Conforme fui lendo lembrei da Coca e da Pepsi... Ai vc falou deles!! Eu sinceramente acho sim que a Seara se aproveitou da marca Sadia o que acho um pouco burro pq nessa brincadeira de" começa com S" a primeira marca q vem na cabeça eh a Sadia... E depois eles quebram falando que eh a Seara... Mas primeiro vc pensou na Sadia...pelo menos a maioria das pessoas... ... Mas gosto pq movimenta o mercado.. Deixa as propagandas mais interessantes... O q vc falou eh verdade... Nos Eua o comercio eh sanguinário... E ngm reclama... O brasileiro ta mto chato... Td reclama.. Rsrsrs Amei esse post!! Parabéns!!
    Bjo
    JuJu
    www.asbesteirasquemecontam.com.br

    ResponderExcluir
  10. Eu simplesmente AMEI esse seu post. Semana passada eu estava comentando com o pessoal da minha sala (eu estudo PP) e é o que eu disse: a estratégia que eles usaram foi muito boa, porque não deixou explicito que se tratava da Sadia, só deixou para imaginarem, a única parte que eles "cutucaram" a Sadia foi quando a Fátima Bernardes diz "Saia do automático", porque realmente já é no automático a maioria pensar na Sadia como marca de presunto e etc, como também já é no automático pensarem na Coca-Cola quando falamos e refrigerante. Eu gosto de publicidades assim que cutucam a onça com a vara curta, porque só se arriscando pra poder ganhar espaço hoje em dia né? Enfim, adorei o post!

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem não se arrisca, não petisca. Já diria o ditado. Bela reflexão sobre o 'saia do automático', Thamires.

      Excluir
  11. Acho desnecessário essas briguinhas entre empresas que acusam outras de copiar algo ou provocar através de uma campanha. Não importa se começa com a mesma letra, tem slogan parecidos, porque afinal quem faz a sua a marca é a empresa. :)

    ANDYZANDO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. E quem faz a sua propaganda também.

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design