sábado, 9 de junho de 2018

10 coisas que 'The Breadwinner' me fez refletir

Pode conter spoilers!




The Breadwinner foi uma das animações que concorreu ao Oscar® 2018. Mais que um desenho, o longa retratou uma realidade não tão distante de nós e ajudou a refletir temáticas espinhosas que temos conhecimento mas não queremos lidar. 

O filme conta a estória de uma garotinha chamada Parvana que é obrigada a ser a "ganha-pão" (Daí o nome do longa) da família após seu pai ir preso injustamente. Ela decide disfarça-se de menino e mergulhar no mundo masculino para trabalhar, uma vez que a cultura não permite mulher sair de casa, sustentar a família, muito menos ser alfabetizada. Desse modo, The Breadwinner faz um paralelo de como é ser mulher e homem naquela cultura e as diferenças de tratamento e reconhecimento social entre os gêneros. 

The Breadwinner apresenta uma realidade dolorosa e pontua aspectos da cultura, tradição e costume afegão. Mesmo com o teor pesado, a produção ainda tem a capacidade de instigar o sonho e a esperança, por meio de suas paletas coloridas, contos e estórias fantasiosos da cultura afegã. Decidi pontuar alguns tópicos sobre o que o desenho animado me fez refletir (Assim como fiz com O bom dinossauro e Snoopy e Charlie Brown: Peanuts, o filme). Vamos lá!



1- Sonhar apesar das circunstâncias




Não importa em que circunstâncias Parvana e sua família se encontravam (pobreza, com o patriarca preso, em dificuldades ou com a repressão do regime), eles sonhavam e viam o lado bom da vida. Em meio à uma realidade desfavorável, contavam estórias de fantasia e acreditavam em um futuro melhor. 



2- Preconceito contra as mulheres





O filme me fez refletir o quanto esse tipo de preconceito existe na sociedade talibã e o quanto é cruel. Quando Parvana se comportava como mulher, tinha que ir no mercado e buscar água correndo. Mulher não pode também ser alfabetizada e só deve sair de casa acompanhada de um homem e coberta da cabeça aos pés. A partir do momento que a protagonista transforma-se em homem, tudo muda: ela pode respirar e ficar tranquila na rua, além de sair de casa desacompanhada. 



3- Cultura talibã





The Breadwinner me fez refletir em como a cultura afegã é rígida e perversa nos dias de hoje. Ela é excludente; promove desigualdades sociais, econômicas e de gêneros; injusta; além de ser aquém aos anseios e necessidades da população. Em momento algum o regime talibã auxiliou a família de Parvana, mas estava pronto para julgar, além de fazer com que ele prevalecesse à qualquer custo.



4- Ir além de leis e regras





Mesmo com todas as leis e regras impostas pelo regime talibã, por várias vezes vi Parvana e os outros personagens quebrando leis e regras, o que me induziu à seguinte reflexão: é permitido quebrá-las por um bem comum ou da família e/ou para ser feliz? O pai de Parvana, mesmo sabendo que mulheres não podem ser alfabetizadas, alfabetizou sua filha, incentivou a leitura e contou estórias à ela que mais tarde seriam contadas por Parvana. Por sua vez, a garota, ao ver a realidade da família, resolve transformar-se em homem para sustentá-la.



5- Família acima de tudo





The Breadwinner me fez refletir sobre valores familiares e que sempre a família deve estar em primeiro lugar. Seja oriental ou ocidental, os valores e a importância dessa instituição são os mesmos. Além disso, o longa me mostrou que não importa o que aconteça, a família sempre será família e estará unida. 



6- Luta pela sobrevivência





Parvana fez de tudo para sustentar sua fmaília: enfrentou desafios, preconceitos e trabalhou duro. Isso me fez refletir do que as pessoas são capazes para sobreviver ou sustentar seus ente queridos. Não há vergonha, preconceito com qualquer tipo de trabalho ou barreiras. O importante é encontrar alguma forma de trabalhar.



7- Não perder a esperança




Mesmo os personagens passando por dificuldades, não os vi em nenhum momento desanimar ou perder a esperança. Esta foi forte, mostrando que é possível ter um futuro diferente da realidade em que se vive. Por vários momentos, Parvana viu o lado positivo da vida, além de personagens que narravam contos de aventura e fantasia para amenizar as dores da realidade. 



8- Contos como marca cultural





The Breadwinner me fez refletir que cada lugar possui uma cultura diferente. Além disso, me surpreendi que em um lugar tão inóspito, triste e de costumes rígidos como o Afeganistão, fosse possível encontrar a narração de contos como marca cultural. A visão que tinha da cultura talibã era outra, ao assistir o longa percebi que uma cultura pode ser bem mais do que aparenta ser.



9- Tudo muda





Não importa o regime que nos aprisiona, os preconceitos que nos limitam ou as dificuldades que nos rodeiam, a verdade é que tudo muda e se transforma. Não devemos nos ater a nenhuma dessas questões e procurar ver o melhor lado da vida e transformar, de acordo com nossas forças e possibilidades, as situações ruins. Tudo muda, basta dar o primeiro passo. 



10- Um desenho pode ser mais que um desenho




O longa me mostrou que uma animação, colorida e com elementos infantis, pode ser mais que um desenho, mas uma obra reflexiva que trata de temas sérios e pesados de forma incrível e interessante.



Gostaram das coisas que refleti sobre The Breadwinner? Já assistirem à essa animação? Não? Recomendo muito! Até a próxima. J-J


Por: Emerson Garcia

13 comentários :

  1. Oi Emerson!
    Esse ano assisti a todos os filmes que concorreram na categoria principal do Oscar, mas não tive tempo de ver as animações também. Mas aos poucos vou corrigindo isso. Gostei dos pontos que vc levantou sobre The Breadwinner, fiquei até mais interessada.
    Beijos!

    Mais Uma Página

    ResponderExcluir
  2. quero muito assistir! tava esperando começar, mas fui viajar e quando voltei, já tinha parado =( mas tá na lista. adorei o post =)

    Beijinhos
    n. // www.fashionjacket.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Nathália. Assista mesmo.

      Excluir
  3. Oi Emerson,
    Que animação maravilhosa, adorei suas reflexões e já quero muito assistir.

    Obrigada pela visita!
    Bjs❤
    Abrir Janela

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia essa animação, Emerson. Fiquei querendo assistir depois de ler as suas reflexões;)
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Olá JJ,

    Sempre encontro um item diferenciado aqui no seu cantinho para assistir. Anotei aqui pra ver no fds..

    Um beijo,

    My Pure Style x My Instagram x My Facebook 

    ResponderExcluir
  6. O filme deve ser lindo Emerson, amei a indicação! Assistirei. :)

    ResponderExcluir
  7. Olá JJ tudo bem???


    Não assisti essa animação, mas achei interessante!!!


    Beijinhos;
    Débora.
    https://derbymotta.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Nos siga nas redes sociais: Fanpage e Instagram

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design