segunda-feira, 3 de abril de 2017

Carne Fraca: do Brasil para o Mundo

É com muito prazer que apresento a vocês o novo quadro do blog, o Economia de Segunda. O economista Jonas Gomes, entrou em contato com esse humilde editor-chefe, manifestando o desejo de escrever para o blog sobre economia. Sendo assim, toda primeira segunda de cada mês teremos essa coluna, onde os temas serão abordados de forma clara, objetiva e simples à você, leitor. Esperamos que gostem!








Em 17 de março a Polícia Federal (PF) divulgou a operação “Carne Fraca” que investiga a ação de frigoríficos acusados de misturar ingredientes potencialmente cancerígenos à carne, adulterar o prazo de validade destas e seus derivados e ainda misturar papelão aos produtos processados. Mas o que não se esperava (ou se esperava sim), é que essa operação, que envolveu duas das maiores produtoras de carne do mundo, repercutisse negativamente no mercado externo. Catorze países, entre eles a China e o Chile e ainda a União Européia, aplicaram algum tipo de restrição às importações do produto brasileiro, o que levou o volume de exportações diárias cair incríveis 99,8%, saindo de um valor médio diário de US$ 63 milhões para míseros US$ 74 mil, segundo o Palácio do Planalto.

Em momentos como esse é que percebemos o quão sensível e integrada é a economia mundial. Em uma analogia à Teoria do Caos (que em sua explicação mais simplicista diz que o bater de asas de uma borboleta no Brasil poderia gerar um tufão do outro lado do mundo) verificamos que a investigação da PF se limitou a apenas 21 frigoríficos de um universo de mais de 5.000 no país. A repercussão negativa, porém, foi suficiente para atingir toda a cadeia de produção brasileira de carnes. Assim, toneladas desses produtos estão deixando de ser vendidas e algumas estão sendo devolvidas por serem impedidas de entrar nos portos internacionais.

A principal consequência dessa queda nas exportações é a redução na produção interna que atinge o país como um efeito dominó. Segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), mais de 20% de toda a carne produzida no Brasil é exportada. Logo, se as exportações são reduzidas drasticamente a quase zero, o mercado interno não tem capacidade para absolver essa produção excedente, levando as indústrias a reduzirem sua capacidade produtiva e consequentemente seu quadro funcional. Menor produção significa maior desemprego, o que agrava ainda mais a delicada situação econômica do Brasil, que ainda agoniza os efeitos da atual recessão.





Seguindo essa linha, sem as exportações, o mercado interno teria acesso a toda carne produzida no país, aumentando a oferta interna desses produtos, o que levaria a redução dos preços já que a demanda permaneceria estável. Porém os custos de produção não cairiam, já que as instalações industriais possuem, em grande parte, despesas fixas independente da quantidade produzida, o que impediria a queda nos preços. Sem o incentivo do preço, o consumidor brasileiro não aumentará o consumo de carne, uma vez que a carne é um bem normal (um bem é considerado um bem normal quando sua demanda aumenta com o aumento da renda do consumidor e vice-versa, diferente de um bem inferior, como o ovo por exemplo, em que a demanda do bem diminui com o aumento da renda).

Independente do fim que levará as investigações e da punição que os culpados receberão, o país já está sendo punido e perceberá os reflexos disso no Produto Interno Bruto (PIB). (A saber, o PIB é a soma das riquezas produzidas pelo país e é calculado da seguinte forma: PIB = C + I + Gg – M + X, onde ‘C’ é o consumo, ou seja, qualquer coisa que você compre; ‘I’ é o investimento, seja governamental ou privado; ‘Gg’ é a fatia dos gastos do governo, note que são gastos, assim os investimentos entram em ‘I’; ‘M’ são as importaçõespercebe-se que quando compramos algo do exterior estamos entregando nossa riqueza ao mercado externo, assim essas importações são subtraídas no PIB; ‘X’ são as exportações, note que tão importante quanto o consumo e o investimento, as exportações somam no calculo do PIB demonstrando o quão importante é esse componente.





Outro indicador, que demonstra a importância das exportações, é a balança comercial, que é o saldo das exportações sobre as importações. Em 2015 o Brasil teve superávit (saldo positivo) de US$ 19 bilhões na balança comercial - ou seja, exportamos US$ 19 bilhões a mais do que importamos, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Nesse mesmo período as exportações de carne somaram-se US$ 5,9 bilhões de acordo com a CNA. Percebe-se a importância vital desse setor no mercado externo em que o Brasil atua e que sua falta influenciará na apuração das contas, pelo menos para o ano de 2017. J-J

Mande sua sugestão de pauta: jonas-sousa@ufmg.br


Por: Jonas Gomes, economista e pesquisador da Universidade Federal de Minas Gerais

13 comentários :

  1. Parabéns pelo texto, Jonas!
    Agora entendi tudo de como essa operação pode afetar a economia.
    Como sugestão, que tal escrever sobre o racionamento de água?
    Além disso, falar do desemprego atual seria muito bom.
    Sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas sugestões! Certamente o próximo tema será bem atual e relacionado ao cotidiano de todos nós!

      Excluir
  2. Excelente, Jonas! Realmente o desdobramento vai muito além do que as pessoas pensam né? Esse assunto é muito sério.


    Beijinhos
    n. // www.fashionjacket.com.br

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo modo esclarecedor que você abordou o assunto.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Gilberto Guimarães3 de abril de 2017 12:00

    Parabéns professor! Vale ressaltar que essas consequências são decorrentes da péssima conduta de agentes públicos e produtores do setor. Pena que o país inteiro fica manchado por essa ferida.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo Texto! Ficou bem explicado e assim podemos entender a real situação. Sucesso!

    ResponderExcluir
  6. Muito bom a postagem! Assunto sério e de extrema importância! Espero que as coisas melhorem!

    O Planeta Alternativo

    ResponderExcluir
  7. Paulo Roberto Matos3 de abril de 2017 14:34

    Bela análise! Pena que no fim das contas os maiores prejudicados seremos nós, tanto em relação a nossa saúde quanto em relação ao nosso bolso.

    ResponderExcluir
  8. Coisa feia ficou para o Brasil né? Já não temos quase assunto para falar de roubos e tudo mais não é verdade?

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderExcluir
  9. Excelente reflexão na postagem. O problema é muito maior do que imaginamos..

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  10. Sou estudante de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo e Publicidade e seu post foi muuuuito útil pra mim! Eu fico desesperada quando acontece algum "escândalo" e eu não consigo acompanhar por não ter entendido muito bem. Mas seu texto ajudou bastante!!

    Beijos,
    Clarissa do Próxima Primavera

    ResponderExcluir
  11. O buraco é mais embaixo né. Esse assunto é muito sério e não é levado tão a sério.

    http://www.cherryacessorioseafins.com.br

    ResponderExcluir
  12. Sobre estes escândalos empresariais, jurídicos e políticos, como o Escândalo da Odebrecht, o Escândalo do Mensalão, o Escândalo do TCE-RJ e assim sucessivamente, direi como Boris Casoy: "ISSO É UMA VERGONHA"!

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design