quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Quinta de série: The Walking Dead






Acreditem se quiser, mas nunca falei de The Walking Dead no blog. Já falamos em vários posts sobre série, mas não em um solo. TWD é uma série da AMC (no Brasil ela passa na Fox), de Frank Darabont, baseada nas histórias em quadrinhos de mesmo nome, de Robert Kirkman, Tony Moore e Charlie Adlard. Ela conta com 6 temporadas no total, sendo 83 episódios de 40 minutos cada (1ª temporada: 6 episódios, 2ª: 13 e as demais 16).




A hq de TWD começou a ser publicada em 2003 mensalmente. São 155 revistas em quadrinhos já lançadas, que narram a história de um grupo de sobreviventes em um mundo pós-apocalíptico zumbi. O interessante é perceber que a série segue alguns elementos da revista, como personagens caricatos, icônicos e zumbis um tanto assustadores. Mas, claro, a produção de tv tem suas próprias características.

Ela conta a história de Rick Grimes, um vice-xerife que acorda do coma, em um hospital abandonado, e percebe que o mundo, tal como ele conhecia, já não mais existe. Uma infecção biológica atinge várias pessoas, o que torna muitas delas mortos-vivos. No meio desse caos, Rick sairá em busca de sua família, como sua mulher e filho. Ele descobre muitas pessoas que sobreviveram ao vírus em sua caminhada, mas também terá que enfrentar muitos desafios, o principal deles: sobreviver em meio ao ataque zumbi.

Esse é um resumo da primeira temporada. Só de ler, já me dá uma nostalgia. Fiz questão de colocá-lo, para aqueles que não sabem de que se trata a série, muito menos ouviu falar dela. Para mim, TWD não tornou-se febre a partir da primeira temporada, até porque é a mais monótona e morna de todas. Mas hoje, próximo da sétima temporada, sinto que ela amadureceu em muitos aspectos. Agora sim posso dizer que é um fenômeno.




Ainda sobre a primeira temporada (só para entendermos de onde viemos e para onde vamos), percebi que a série começou a funcionar a partir de sua season finale, quando Rick e o grupo de sobreviventes enfrentam desafios perigosíssimos até chegar em Atlanta. Eles acreditavam que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CCPD) possuía um local de quarentena, livre de infecção e de "caminhantes" - como os mortos-vivos são conhecidos -  mas são surpreendidos ao descobrirem que lá não é tão seguro como imaginavam ser.

A série, de fato, me prendeu a partir daí, quando começou-se a desvendar por que houve a infecção e as cenas ficaram mais eletrizantes. Nas temporadas subsequentes, eles descobriram que todos os sobreviventes estavam suscetíveis ao vírus, ou seja: a luta pela sobrevivência torna-se mais difícil.




O que mais gosto em TWD é o espírito de sobrevivência dos personagens. Muitos não a assistem, por considerá-la "de terror" ou "porque odeiam zumbis". Sim! Não faltam cenas sangrentas e aterrorizantes e também zumbis horripilantes. Mas não a vejo por esse lado, e sim em como as pessoas conseguem lidar com as intempéries do dia a dia e como utilizam-se da resiliência em cada desafio que enfrentam. 


Resumo das temporadas

Fiz um resumo da primeira temporada, tentando despertar a curiosidade em quem nunca viu a série. Agora, farei um resumo das demais, para quem se interessou possa assistir antes que comece a 7ª temporada.

2ª temporada: Após os eventos em Atlanta, os sobreviventes descobrem uma fazenda isolada e livre do apocalipse zumbi. Eles repartirão o espaço com os donos da fazenda e terão que lidar com o caos que não será apenas ocasionado pelos caminhantes.

3ª temporada: O grupo de sobreviventes se refugiam em uma prisão, que logo será ameaçada por um dos personagens mais sádicos da série, o Governador, que lidera uma comunidade próxima dali, em Woodbury.

4ª temporada: Na prisão, o grupo terá que lidar com uma ameaça maior do que os zumbis: o retorno do governador e uma epidemia mortal que se espalha pelo refúgio. Eles encontram uma possível paz em Terminus, mas isso não dura por muito tempo.

5ª temporada: Juntos, eles precisam comandar duas missões: resgatar uma sobrevivente em um hospital em Atlanta e levar outra até a capital, Washington, para conseguir a cura. O grupo enfrenta o caos mais uma vez e busca um novo lar aos arredores da capital, uma comunidade chamada Alexandria.


Alexandria é o local onde se passou a mais recente temporada (6ª). Após serem aceitos na cidade, Rick Grimes e seu grupo terão que se adaptar a nova vida, mas o sossego não dura muito tempo. A temporada consegue dar um novo sentido a todo o universo de TWD, revisitando plots consagrados, e dando novos significados a eles. Definitivamente, ela não foi "mais do mesmo"

A sexta temporada voltou a focar em episódios temáticos, onde centrou-se em um personagem distinto. Isso não a deixou monótona, mas bastante inovadora (falarei disso no próximo tópico).

Mais do que nunca, foi uma temporada de roer as unhas, com episódios cheios de ação, drama e clifhangers, como o do episódio em que deixaram em suspenso se Glenn havia morrido, ou não, e também a última cena da season finale (irei falar mais a frente).


 


A temporada soube unir as lacunas entre um episódio e outro, deixando o espectador ansioso e naquela ideia "do que iria acontecer". Soube deixar o público aflito com a manada de zumbis que invadiu o acampamento, e também em suspense, afinal, ninguém sabia quem iria morrer frente aquela situação tão calamitosa nunca antes vista.

Gostei do espírito de sobrevivência do grupo, ao colocar roupas velhas e sujas de sangue sobre o corpo para serem confundidos com os mortos-vivos. Fiquei surpreso com o que aconteceu com o Carl e torci para que ele não morresse.




Novas ameaças e vilões são inseridos nessa temporada, como Os Wolves (grupo de saqueadores psicopatas) e Os Salvadores (grupo de insanos). A inserção de vilões deixa a série mais interessante. Os sobreviventes, além de terem que lidar com os desafios do dia a dia, ainda tem que lidar (e fazer de tudo para derrotar) os terríveis vilões que surgem no caminho.

Neagan (The Walking Dead #100, volume 17) era um desses que os fãs dos quadrinhos estavam ansiosos para que aparecesse na série. Dizem que ele demorou para surgir, mas creio que apareceu no momento certo. 

Nos episódios anteriores à season finale, já se falava desse cara, e eu ficava com o pensamento que não viria coisa boa por aí. E de fato não veio. O episódio final foi arrastado, mas deixou os fãs de TWD com o coração na mão. Teorias surgiram e a curiosidade também. Afinal, quem Neagan matou com sua "amiguinha" Lucile? (Lê-se: bastão com arame farpado) 




Histórias

Uma coisa que irrita os seriadores é quando uma série começa a enrolar em sua história. Em TWD isso não acontece. Quase não existem "barrigas" e enrolações nos episódios. A série conclui os arcos e as brechas rapidamente. Um dos métodos utilizados é o de centrar episódios em determinado grupo ou personagem, aprofundando-se em dramas ou situações específicas. Outro ponto, é que a história não se passa em somente um lugar, mas em vários ambientes, cidades e locações. Creio que não tem motivo para se cansar com TWD.



Personagens 

Outra coisa que chama a minha atenção na série - além do espírito de sobrevivência - são os personagens. Cada um deles tem um drama, personalidade e história diferentes. Separei alguns que mais gosto: 


Rick e Carl



A relação de pai e filho entre os dois é bastante curiosa. É interessante perceber o tanto de situações ruins que eles passaram juntos, e como eles a superaram juntos. Achei ótimo ver o amadurecimento tanto de Rick, como de Carl em TWD. Rick não é mais o mesmo da primeira temporada. Ele está paranoico, mais confiante, forte e seguro de suas ações. Assim como Carl, que não o vejo mais como uma criança, já que esse moleque sabe se virar só e até mesmo pegar em uma arma. 


Michonne




Desde o momento que a introduziram já me apaixonei. Ela é uma mulher forte, decidida e que sabe se virar muito bem quando vê um zumbi em sua frente. Com esse cabelo de dread e sua longa espada afiada, Michonne enfrenta muitos desafios. 


Neagan



Mal conheço e já o considero pacas! Já vi que Neagan vai dar muito trabalho ao grupo de sobreviventes.


Daryl Dixon




Ele parece um lobo solitário no meio do grupo. Homem de poucos amigos, sentimentos e conversa, mas de muita ação. Não quero jamais que os produtores tirem esse personagem de TWD. Ele e seu arco-e-flecha são marcantes!


Governador



Um dos vilões mais interessantes que passaram por TWD. Governador é muito louco com esse tapa-olhos! Só para verem como o cara era paranoico, ele manteve a sua filha, depois que ela tornou-se zumbi, em um quarto, e foi capaz de dar amor a ela e até mesmo pentear seu cabelo mesmo sendo uma morta-viva. Assustador!


Glenn



Confesso que no começo não gostava de Glenn, mas depois ele me conquistou. Não é um dos personagens com mais espírito de sobrevivência da série, mas pelo menos é esforçado. Um rapaz boníssimo, de família, apaixonado e amigo. 


Carol



Só o que essa mulher já passou, é motivo para gostar dela. Como uma pessoa pode sobreviver depois de tantas perdas, e torna-se forte? Com apenas uma arma e munição, ela é capaz de grandes feitos. Não acreditei quando vi o que ela fez na sexta temporada. 


Zumbis



Deixamos os personagens de lado e vamos para os zumbis. Muitos os odeiam, mas dou a dica: foque nos dramas dos seres humanos, que não irá se arrepender. Durante toda a série, a caracterização dos "caminhantes" tornou-se cada vez mais detalhada e assustadora. Os da primeira temporada não se comparam no quesito de "terror e susto" com os da quarta ou sexta. Haja criatividade e técnica para compor os zumbis. Eles são cada vez mais sangrentos e assustadores!




Instrumentos e armas




Um seriador fica extremamente feliz com o que pode aprender com uma série. Com TWD, por exemplo, aprendi que só se mata de fato um zumbi com um golpe na testa, com uma flecha, faca, espada, revólver ou qualquer outra coisa. E na série, aprendemos a matar esses mortos-vivos (caso aconteça um ataque zumbi na vida real rs!) com cada um desses instrumentos. Percebe-se o instinto de sobrevivência com relação a isso também. E o interessante é que cada personagem lida melhor com determinado tipo de defesa e arma.


Maquiagem e figurino


O que seria dessa série sem um trabalho impecável de maquiagem e figurino? A maquiagem dos mortos-vivos é real e pesada, para dar um ar sombrio, bem como a dos sobreviventes, que traduzem o sofrimento, dor e falta de cuidado, já que trata-se de um ambiente pós-apocalíptico de poucos recursos. O figurino, por sua vez, também não deixa a desejar. 


Fotografia



O trabalho de fotografia merece ser mencionado. Com aspectos sombrios e escuros, ela consegue levar o espectador a todo aquele cenário de apocalipse e caos. 


Esse foi quase um manual para quem não assistiu a essa incrível série começar a rever seus conceitos. Espero que tenha conseguido passar o que a produção traz e desmitificar que "é de terror" e "só tem zumbi". Diria pra quem não assiste pra correr, já que é um grande sucesso atual. ASSISTAM SENÃO... O ZUMBI VAI TE PEGAR! HAHAHA. A sétima temporada inicia-se no próximo mês, dia 09 de outubro. Deixo o trailer da primeira temporada e um teaser da sétima. Até mais! J-J










Por: Emerson Garcia

12 comentários :

  1. Olá, tudo bem?

    Estou de volta :))

    Olha a única sério que vi e não toda, foi Gossip Girl. Gostaria de ter tempo para ver alguma, até porque The walking Dead. Gostei da resenha :)

    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. Meu namorado é l-o-u-c-o para ver essa série! Quero muito começar a ver com ele.

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista com ele sim! É bom que ele te protege dos zumbis e dos sustos. Hahaha

      Excluir
  3. Eu assisti 3 episódios da primeira temporada. Achei legal, mas nunca tive tempo pra acompanhar.

    rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Finalmente você viu alguma série do QdS! Uhu! Hahahaha

      Excluir
  4. Emerson
    Nunca assisti hahaha Não gosto do tema mas já me falaram que é espetacular!
    Beijos e boa noite!
    DMulheresInstagram

    ResponderExcluir
  5. Eu até assistiria se eu não fosse cagona, acredita? Hahahahaha! Eu tenho uma amiga que já leu a sério de livros e ela vivia comentando comigo, então até tenho vontade de assistir, mas e o medo? Hahahaha!

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha. Tem umas cenas bem aterrorizantes mesmo, principalmente com zumbis, mas nada que a gente não se acostume. A parte do suspense é maior.

      Excluir
  6. Oi!
    Já tentei ver TWD, mas n gostei muito... E olha q curto zumbis, rs. Achei meio parada, mas como vc falou q as coisas só começam a engrenar na SF...
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá uma chance pra ela, vai?! Prometo que ela melhora!

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design