domingo, 7 de junho de 2020

Transfobia é um preconceito que deve ser combatido sempre



A intolerância e o ódio gratuito tem reverberado na sociedade atualmente. Algumas pessoas não veem os outros indivíduos como semelhantes e como alguém que mereça respeito. O que existe é uma depreciação pelo diferente, seja de raça, etnia, identidade sexual. Casos de LGBTQ+fobia tem crescido pela não aceitação das pessoas como são. Acima de qualquer rótulo ou aparência, o ser humano deve ser preservado em sua essência, e apenas isso.

Recentemente, dois fatos me incomodaram pela falta de empatia. Ambos os casos são de transfobia. O primeiro deles é uma ACUSAÇÃO à atriz Mel Maia, e o segundo a transfobia de uma lanchonete. Eles demonstram que a sociedade ainda está longe de ser o melhor lugar para o diálogo e aceitação do diferente.

Esse texto apresentará esses dois fatos a partir de uma perspectiva humana, sempre levando em consideração todos os lados para se chegar à um denominador comum. Não quero aqui ser ativista ou qualquer coisa do tipo, mas, sim, humano e preocupado com a aceitação do diferente, afinal não somos todos iguais.


O caso Mel Maia




No último dia 29 de maio a atriz foi acusada de transfobia pela modelo trans Victória Collen. A atriz a teria chamado de "traveco" em um áudio do Whatsapp. Victória compartilhou seu desabafo no Instagram, que foi copiado depois para o Twitter. Confira: 


Victória inicia dizendo sobre sua admiração pela atriz, mas que ela havia perdido o encantamento após ser chamada de "traveco" por ela. Ela continua e diz que a fala da atriz não a atingiu somente, mas toda uma comunidade. A fala da Mel Maia foi a seguinte (com grifos):

"Quem chamou ela de traveco fui eu. Quem chamou ela de traveco para Maísa sou eu. Eu cheguei pra Maísa e falei 'é um traveco que não gosta de mim. Mas não sabia que ela não gostava de ser chamada de traveco' ."


Após apresentar a prova cabal, Victoria conclui e diz para Mel Maia rever seus conceitos e a forma de tratar as pessoas. A fala de Mel Maia gerou revolta na web. Muitos cobraram um posicionamento da atriz, até o momento que ela se defendeu. 


A defesa de Mel Maia

A defesa da atriz foi em dois posts no Twitter, que já foram apagados. Ela disse que a fala foi retirada de contexto. Na verdade, ela conversava com Joãoty sobre o fato dele ter sido transfóbico. O diálogo foi mais ou menos assim: "Não Joaoty, quem chamou [a Collen] de traveco foi eu, não você". Mel Maia apenas usou a fala de Joãoty como isca para expor as "mentiras" e a "transfobia" do "amigo" nas redes sociais. Ele, como não gostou disso, foi tirar satisfações com ela e expó-la na internet. Em postagem, Mel Maia disse o seguinte:

"Oi gente, de início, não chamei a Collen de traveco! Quem chamou foi o Joãoty, exposto no Twitter ultimamente pelas suas mentiras. Eu gravei minha ligação com o Joãoty e mandei para uma amiga que estava preocupada comigo."


A intenção de Mel era despistá-lo, mas Joãoty expôs apenas o áudio fora de contexto, se eximindo da culpa e não colocando o áudio em que foi transfóbico nas redes sociais. Victória Collen, portanto, disseminou a fala de Mel Maia, atribuindo à ela o preconceito. 

À grosso modo, se ouvisse o áudio de Mel Maia e somente o desabafo de Collen, realmente acharia que ela foi transfóbica, por isso investiguei a fundo, e percebi que a atriz global apenas reproduziu a fala de Joãoty, e que ela não havia sido transfóbica de forma alguma. Acompanhe:

"Quem chamou ela de traveco fui eu. Quem chamou ela de traveco para Maísa sou eu. Eu cheguei pra Maísa e falei 'é um traveco que não gosta de mim. Mas não sabia que ela não gostava de ser chamada de traveco' ."


Fiz questão de colocar o trecho final dentro de outras aspas para demarcar que não foi uma fala de Mel Maia, mas de Joãoty. Ele quem disse "é um traveco que não gosta de mim. Mas não sabia que ela não gostava de ser chamada de traveco"

A desinformação faz com que as pessoas acusem as outras precipitadamente. Ninguém quis ver o outro lado da informação, mas apenas disseminar fake news e a hashtag #MelMaiaTransfóbica, que esteve nos trending topics do Twitter Brasil. Não estou minimizando a transfobia, até porque no início desse texto disse que essa situação me incomodou, estou apenas criticando a falta de informação das pessoas sobre os fatos. Se houve transfobia? É óbvio que sim, mas não da parte de Mel Maia. Por isso, no início desse post também falei sobre ACUSAÇÃO, mas nunca disse que Mel era transfóbica.

Collen não foi sensata e verdadeira ao acusar a pessoa errada (Mel Maia) de transfobia. Ela criou toda uma estória, dizendo que admirava a atriz, mas reprovando sua atitude. Acredito que ela fez isso atrás de fama e para denegrir a imagem da atriz. Na verdade, Mel Maia rebateu dizendo que a modelo trans não a admirava e que o vídeo era antigo ("Esse vídeo é antigo e eu não sei o motivo até hoje"). Então, em resumo, a fala de Mel foi tirada de contexto e criada toda uma situação para destruí-la. 

Por que Collen não foi "direto a fonte" e direcionou sua fala para Joãoty?! Talvez porque não geraria tanta repercussão e shade como aconteceu com Mel Maia. Reprovo, veementemente, a transfobia do jovem influenciador digital, mas reprovo da mesma forma o posicionamento errôneo de Collen. 

Para finalizar esse subtópico digo o seguinte: transfobia é um preconceito que deve ser combatido sempre, (antes que me acusem de estar relevando a situação.  


Críticas à atriz

Choveu de crítica à Mel Maia. Muitos a acusaram dela ter jogado a culpa para cima de outra pessoa, para se eximir da responsabilidade. Mas, como já mostrei aqui, essas pessoas não souberam interpretar o áudio corretamente. Por isso, diga não às fakes news e boatos por aí!


Desfecho

No fim das contas, Mel e Victória selaram a paz, classificando o episódio como um mal-entendido. A modelo disse o seguinte:

"A Melissa já entrou em contato comigo. A gente conversou e chegamos a conclusão de que isso não passou de um mal-enbtendido, de um ex amigo dela e meu, Joãoty. Ele tentou colocar a Mel Maia contra mim, e eu contra ela desde sempre. Já faz tempo que ele vinha comentando que eu não gostava dela, sendo que a gente nem se conhecia."


A modelo ainda disse que os comentários sobre ela vieram de Joãoty, e não de Mel Maia. Mel, segundo ela, queria protegê-lo, mas, em minha opinião, a atriz quis "jogar verde para colher maduro". Há certa revolta em sua fala, não sentimento de proteger o "amigo", que na verdade não é amigo nem dela, muito menos da modelo. 

Em vídeo publicado no Youtube no dia 30 de maio, Victória escareceu a situação e disse que o intuito não era ser um exposed para prejudicar Mel Maia, mas para conscientizar as pessoas sobre a transfobia. Bem, não vejo assim, ela quis sim prejudicar Mel Maia e não foi atrás das reais informações. Assista ao vídeo:




Não vejo a atitude de Mel Maia como um erro. Ela apenas reproduziu uma fala do "amigo", mas não era seu pensamento propriamente dito. Mas concordo com a Victória quando ela diz que não tem porque xingarem Mel Maia.


X Pabblo Vittar




Saímos da transfobia de Joãoty e partimos para a transfobia de uma lanchonete de Rio Branco, no Acre, que batizou um hamburguer de X Pabblo Vittar por conter "dois ovos e uma salsicha", disseminando o ódio e preconceito não só à cantora como a todo o movimento LGBTQ+.  


Repercussão e defesa

Logo que o sanduíche foi lançado surgiu uma chuva de críticas, com a acusação de transfobia à lanchonete e seu dono. A repercussão negativa fez com que o proprietário, Juari Florencio, se pronunciasse através do Facebook com a seguinte fala (O post logo foi apagado):


"Amigos e clientes o humor é uma marca do brasileiro que sempre riu de suas características pessoais e fez piada. Pabllo Vitar diz em suas entrevistas gostar de ser 'rapaz e mulher'. É apenas uma forma diferenciada de publicação por meio do humor. Peço desculpas, estou sempre aprendendo e evoluindo."


Acredito que piadas e esse tipo de humor não cabem mais na sociedade. Juari, com esse sanduíche, apenas disseminou mais ódio com a comunidade LGBTQ+. 

Pabllo Vittar é uma cantora muito discriminada por ser o que se é e se apresentar da forma que se apresenta. Recentemente, dei a sugestão de cantarmos a música Rajadão da cantora em uma cantata de trabalho que participo e a moça me disse: "Melhor deixar O Pabllo Vittar de lado. Tem muita música boa pra gente cantar. Se meus contatos me veem cantando música de Pabllo Vittar, vão se escandalizar e me escomungar". Então, existe sim um preconceito velado com a cantora e falar que ela tem dois ovos e uma salsicha reforça mais ainda esse pensamento. A atitude de Juari Florencio foi a mesma de Jonathan Nemer, ao utilizar um humor barato, mas dotado de preconceito.


Respeito!

O limite em qualquer situação deve ser o respeito, acima de tudo. Espero que atitudes de transfobia, como outros tipos de preconceito, não existam mais na sociedade. J-J


Por: Emerson Garcia

19 comentários :

  1. Todos os preconceitos não fazem sentido. Faz sentido é a igualdade entre seres humanos. Nada mais deve existir.
    .
    Votos de um domingo feliz
    Cumprimentos poéticos

    ResponderExcluir
  2. Hoje em dia, mais até que no passado existe preconceito para tudo. O preconceito sempre existiu, mas antigamente não existia as redes sociais aí o preconceito ficava sem ser notado com tanta transparência. Hoje em dia temos as redes sociais aí o preconceito vem a tona de forma clara e, em diferentes níveis na sociedade contemporânea, infelizmente. Torcemos para que futuramente haja respeito entre os seres humanos, pois apesar de as diferentes diferenças que existem em cada um, somos todos iguais neste planeta cada vez mais corrompido por tudo que nos faz mal e nos envergonha perante nosso próprio semelhante. Parabéns pelo post. Abraço!



    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo! Devemos prezar pela igualdade e respeito e não velarmos o preconceito, como muitos fazem.

      Excluir
  3. OI Émerson, os preconceitos devem ser combatidos e ensinados. O cuidado como que falamos na internet também porque algumas vezes são avaliados e criticados fora do contexto e das interpretações. Seguimos aprendendo e torcendo para a que a tolerância e respeito caminhem cada vez mais juntos e unidos.
    beijos
    Chris


    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest

    ResponderExcluir
  4. Nunca como hoje o preconceito chegou tão longe porque nunca como hoje foi tão fácil disseminá-lo infinitamente através das redes sociais. Penso que enquanto não se introduzir uma disciplina nas escolas, sobre os preconceitos e a igualdade entre todos os seres humanos seja qual for a cor da sua pele, o seu género, a nacionalidade e a fé, e não se ensine isso às crianças desde tenra idade, como se ensina o Português ou a Matemática, nunca vai deixar de existir gente assim.
    Abraço e boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo, Elvira! O respeito deveria ser matéria a ser ensinada desde cedo aos pequenos.

      Excluir
  5. Acho super importante discutir o assunto. Preconceito não é legal e prejudica quem é atingido. Temos que ser conscientes quanto a isso. Não conhecia a fundo o caso que apontou, e achei a matéria bem completa.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir

  6. 266/5000
    Hello pretty, a very interesting post, I love this type of reflections, they make you think.
    By the way, I have realized that we are not following each other yet, if you want that we also follow each other, you know, you follow me and I will come back tomorrow to follow you too, beautiful.

    ResponderExcluir
  7. Já tinha saudades das tuas publicações.
    Neste meu regresso, desejo que tudo esteja bem por aí.
    Abraço
    😉
    Olhar D'Ouro - bLoG
    Olhar D'Ouro - fAcEbOOk
    Olhar D'Ouro – yOutUbE * Visitem & subscrevam

    ResponderExcluir
  8. Enquanto o brasileiro se preocupar mais com a vida alheia do que com a própria, isso continuará existindo. Mas seguimos tentando combater esses preconceitos e tentando conscientizar o povo.

    Beijo.
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  9. Eu acho a Mel Maia um desserviço, e sempre tentam justificar os atos dela falando sobre a idade dela. Não gosto dela desde que ele fez piada sobre o KKK como se fosse a coisa mais normal do mundo.
    Acho que mesmo que a pessoa não goste de algo, ela precisa respeitar.
    beijos
    http://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho nada contra ela. Não conhecia esse episódio que você citou. Ao meu ver, ela foi convincente em sua explicação.

      Excluir
  10. Nem conhecia a Mel Maia antes disso. E pra mim qualquer tipo de preconceito deve ser combatido sempre.

    Beijos/Kisses.

    Anete Oliveira
    Blog Coisitas e Coisinhas
    Fanpage
    Instagram

    ResponderExcluir
  11. Oi Emerson, tudo bem?
    Repudio demais o preconceito contra pessoas trans. Quem deu declarações bem ruins nesse sentido essa semana foi a J. K. Rowling. Decepcionante. :(
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vi, Priih. Esse fato gerou muitas discussões nas redes sociais. Acredito que a J.K. ficou mal na fita.

      Excluir
  12. É preciso combater todo o tipo de preconceito!!
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderExcluir
  13. Vivemos tempos... em que o preconceito emerge... perante o mínimo motivo!...
    Talvez porque haja meios, em que seja extremamente fácil, e inconsequente, arrasar-se o próximo... só porque sim... ou porque se teve um dia mau... na minha opinião, as redes sociais, infelizmente, creio que alimentam e vivem de muitas polémicas assim... em que é muito fácil apontar-se o dedo... contudo, as consequências de tal, nos outros permanecem no tempo... por vezes com desfechos dramáticos!...
    No meu entender... qualquer pessoa pode se transformar no que bem entender... se isso contribui para o seu equilíbrio emocional!...
    Se bem que um excesso de transformação... pode descambar em vícios de cirurgias, por exemplo... com os consequentes reflexos em termos de saúde... e eventualmente desenvolvendo outros transtornos emocionais!...
    Enfim!... Para tudo... até em matéria de transformismo... creio que terá de haver um equilíbrio, e um limite... que cada um deve estar o mais preparado para saber definir...
    Excelente postagem, como sempre! Um grande abraço!
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom ponto tratado por você. Sobre essa questão discutimos na Semana LGBTQ+ 2020. Depois dê uma olhada. É o post "Saúde LGBTQ+".

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Nos siga nas redes sociais: Fanpage e Instagram

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design