quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

O belo e o sombrio nas aberturas de 'Pretty Little Liars' e 'Anjo Mau'










Em julho do ano passado, no Quinta de série de Pretty Little Liarsfiz uma observação acerca das semelhanças entre a abertura de PLL (finalizada em 2017) e de Anjo Mau (1997). Disse o seguinte:

"Essa abertura me lembrou a de uma novela de 1997 da Globo: Anjo Mau. O que vocês perceberam de semelhanças/diferenças entre elas? Digam nos comentários! Em breve farei um post somente sobre isso e quem sabe sua opinião e ponto de vista não aparece?"


Antes de analisar os cartões de visitas das produções, é necessário destacar que ambos trazem em destaque a figura feminina. As mulheres nas aberturas de novelas, séries e outros produtos são bastante comuns, mais do que os homens. De cabeça, posso citar Belíssima, Corpo Dourado, Beleza Pura, A Indomada Explode Coração, que exploravam o corpo e a força feminina. Também há a vinheta  da Globeleza, que traz mulheres em ênfase, e não homens. 

Retratá-las tornou-se algo corriqueiro. Sem contar ainda da padronização estética e de estereótipos que a mídia, até os dias de hoje, insiste em trabalhar. Não há espaço para mulheres acima do peso ou com uma beleza inferior ou "esquisita". Elas devem ter tudo em cima, corpos esculturais e uma estética invejável. Ao fazer uma breve pesquisa para esse post, descobri que a maioria das mulheres escaladas para estrelarem aberturas foram ou são modelos

Explorar o corpo, as curvas e a aparência das mulheres é o tipo de conceito comumente trabalhado nesses produtos audiovisuais. Em Belíssima, por exemplo, enfatizou-se as curvas femininas - já que era uma modelo que estava de calcinha e sutiã, que girava em cima de uma superfície. Mas não somente esse aspecto feminino é desenvolvido: em A Indomada a mulher fora retratada como forte e corajosa, mesmo que a modelo Maria Fernanda Cândido tivesse um belo rosto e corpo.

Na abertura de PLL e Anjo Mau explorou-se aspectos femininos, mas que não tem a ver com corpos e curvas. Em ambas destacou-se a aparência, estética e necessidade de cuidar da beleza das mulheres. Algo que mesmo que não passe pela padronização de corpos, ainda trabalha com a visão de estereótipos, tais como: mulher precisa estar bela e se maquiar. De certa forma são visões que ditam o consumismo e a futilidade e enaltecem apenas a beleza exterior, e não a interior. Desse modo, mesmo com essa visão, ainda sim, a mídia incute nas pessoas esse modo de ser e pensar.

Para começar minha análise, observe as aberturas de PLL e Anjo Mau e perceba as semelhanças e um pouco do que já disse nesse post:











Realmente as semelhanças são bem visíveis, né? Logo que vi a abertura de PLL, me lembrei da de Anjo Mau. Esta última é mais antiga que aquela, o que me leva crer que os criadores daquela se inspiraram nesta. 

As equidades entre as aberturas começam pelos frames. Separei alguns, veja:




Em alguns a semelhança é tão grande que até mesmo a posição das câmeras é igual. Além disso, até ações de uma abertura se repetem na outra: maquiar os olhos, passar batom nos lábios e arrumar os cabelos. Já no quarto frame comparado, o olhar é o mesmo: triste, enigmático e misterioso.

A grosso modo, as aberturas retratam a mesma coisa: duas mulheres que se embelezam e se arrumam para uma ocasião. Ocasiões estas distintas: enquanto em Anjo Mau a mulher se embeleza para um casamento, em PLL a moça para o seu próprio velório. Mas, mesmo que possa não parecer, elas traduzem o mesmo sentimento: tristeza, mistério e suspense. Ou seja, existem semelhanças visuais, conceituais e de significados.

O lilás e roxo mórbido do cartão de visitas de Anjo Mau assemelha-se bastante ao fundo nublado e à iluminação escura do de PLL. As cores desbotadas, ofuscadas e borradas ao redor da noiva, significam a mesma coisa que as sombras escuras e negras em volta da defunta. 

Por outro lado, o conceito de aparência e de estar bela à qualquer custo, choca-se na atmosfera dos clipes. O belo, estético, aparente e a beleza exterior, perdem o sentido e o brilho logo que jogados sobre um fundo lilás mórbido, nublado, negro e sombrio. No final das contas, a beleza ofusca-se e torna-se desinteressante e disfuncional. De que ser belo valeria, se seu casamento fosse arruinado e você fosse uma noiva triste? De que ser belo valeria, se toda sua beleza acabasse e fosse evaporada por larvas, insetos e terra? A beleza retratada na abertura de Anjo Mau, não é feliz ou contagiante. É só perceber o rosto da noiva triste e seu aspecto desbotado. Já a da moça do cartão de visitas de PLL é mórbida e apática. 

O significado das canções-temas também é algo que merece ser comparado e refletido. Secret, em PLL, fala sobre segredos e das consequências que existem, se guardá-lo ou revelá-lo. Cruzando raios, de Orlando Morais em Anjo Mau, fala sobre relacionamentos desgastados, como no trecho que diz: "Sobre os oceanos Em doces guerras frias Não deixa anoitecer Não deixa escurecer O nosso dia". Realizando uma análise das duas letras percebemos nuances de semelhanças: em ambas existe um ar sombrio. Este que se traduz nos aspectos visuais dos clipes.

Achei as aberturas de ambos os produtos interessantes, pois me fizeram analisar além do que é retratado nelas. Por traz da representação do belo, da beleza exterior e da retratação feminina, existe algo sombrio e melancólico. E isto é ótimo para quem gosta de pensar fora da caixinha, de conceitos já predeterminados, promovendo discussões filosóficas. J-J


Por: Emerson Garcia

11 comentários :

  1. Nossa, assisti ambas e nunca tinha reparado acredita? Acho que em PLL é mais porque a personagem era mega vaidoso, anjo mau não vi tanto sentido (apesar de achar super bem feita pra época). Enfim, gostei da análise.

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que eu te fiz reparar e que você tenha gostado do post.
      Beijos!

      Excluir
  2. Eu sou apaixonada pela abertura de PLL e achei bem interessante essa análise, realmente é tudo muito parecido. Que louco, né? Muito legal a tua observação!
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Loucura total mesmo. Que bom que achou legal a análise.
      Beijos!

      Excluir
  3. Emerson, eu acho simplesmente FENOMENAL como você pega as coisas no ar assim, nessas apresentações e como você traças um paralelo entre ambas com tanta facilidade. Parabéns!

    www.vivendolaforanoseua.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Gisley. Sou bastante observador mesmo.

      Excluir
  4. Chocada!!! Essa serie estava na minha lista do ano passado e terminei não vendo, o post aguçou ainda mais a vontade de assistir. Maravilhoso e com ótimas sacadas!!

    Super beijos,
    Neila Bahia - Blog Insanos Dezembros ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo que tenha gostado.
      Super Beijos pra você também.

      Excluir
  5. Oi Emerson, bem observado, as duas aberturas têm mesmo muitas semelhanças. Incrível!

    ResponderExcluir
  6. Na abertura de 'Anjo mau', quando ela passa o pó no rosto é como se ele fosse uma máscara para esconder uma imperfeição que vai além da aparência física, é como se ela quisesse mascarar a própria identidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! O belo também é artificial. Ótimo o seu comentário!

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Nos siga nas redes sociais: Fanpage e Instagram

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design