terça-feira, 7 de junho de 2016

10 ensinamentos de Grey’s Anatomy - parte 1


Todos nós, fãs de Grey’s Anatomy, já choramos em alguma narração de episódio. A série sempre traz uma lição de vida, e às vezes, sem perceber, muitas delas se encaixam perfeitamente em alguma situação que você passou ou está passando. Com isso, separamos 20 ensinamentos de GA, que serão divididos em duas partes. Nessa, e em outra na semana que vem.  Então, vamos aos primeiros 10 ensinamentos!



1- Não deixe que o medo o guie


“Há uns duzentos anos atrás, Benjamin Franklin compartilhou o segredo de seu sucesso com o mundo. Ele disse “nunca deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”. Esse é o cara que descobriu a eletricidade. Então é normal achar que a maioria de nós iria ouvir o que ele fala… Eu não tenho ideia porque a gente fica adiando as coisas, mas se eu tivesse que chutar, diria que tem muito a ver com o medo. Medo do fracasso. Medo da dor. Medo da rejeição. Às vezes, o medo é de apenas tomar uma decisão, porque e se você estiver errado? E se você fizer um erro que não dá pra desfazer? Seja lá do que a gente tem medo, uma coisa é sempre verdade: com o tempo, a dor de não ter tomado uma atitude fica pior do que o medo de agir. Acaba parecendo que a gente está carregando um tumor gigante. E, não, eu não estou falando metaforicamente. [...] “Deus ajuda a quem cedo madruga”; “Bobeou, dançou”. Não podemos fingir que nunca escutamos essas. Todos nós já ouvimos os provérbios, os filósofos, os nossos avós nos falando para não perdermos tempo, aqueles poetas chatos clamando para gente “aproveitar o dia”. Ainda assim, às vezes a gente tem que pagar para ver. Temos que cometer nossos próprios erros. Temos que aprender nossas próprias lições. Temos que varrer as possibilidades do hoje pra baixo do tapete do amanhã até não podermos mais, até a gente compreenda por si só o que Benjamin Franklin quis dizer. Que o saber é melhor que o ponderar, que o despertar é melhor que o sonhar. E que mesmo a maior falha, mesmo o pior erro possível, é melhor do que nunca tentar nada.”


O primeiro ensinamento é do episódio 6 da primeira temporada, cujo o nome é If Tomorrow Never Comes. A narração diz respeito sobre nosso medo de errar. Muitas vezes, deixamos de fazer algo por medo de não dar certo, ou desistimos de algo por esse mesmo motivo. Mas não podemos deixar que o medo nos guie. Somos humanos e aprendemos com nossos erros. Precisamos dele. Não devemos temê-los. Devemos usá-los.




2- Agradeça por estar vivo


“Gratidão, apreciação, dar um “obrigado”. Não interessa que palavras você use, elas significam a mesma coisa. Felicidade. A gente deveria ser feliz. Gratos pelos amigos, pela família. Feliz apenas de estarmos vivos. Quer gostemos disso ou não. [...] Talvez a gente não devesse ser feliz. Talvez gratidão não tenha nada a ver com alegria. Talvez ser grato signifique reconhecer o que você tem pelo que é. Apreciar pequenas vitórias. Admirar a luta que é para simplesmente ser humano. Talvez a gente seja agradecido pelas coisas mais familiares que conhecemos. E talvez sejamos agradecidos pelas coisas que nunca conheceremos. No final das contas, o fato de termos coragem pra continuarmos firmes de pé é razão suficiente para celebrar.” 


Esse ensinamento foi passado no episódio 9 da segunda temporada, cujo o nome é Thanks for the memories. Ele fala algo bem simples: devemos agradecer todos os dias por estarmos vivos e com nossas famílias, porque essas pequenas coisas já são grandes o suficiente para serem comemoradas.



3- Comece de novo



“Graças ao calendário, temos novos começos todos os anos – aguarde por janeiro, nossa recompensa por sobrevivermos às festas de fim de ano é um Ano Novo. Traga a grande tradição das resoluções de ano novo, deixe seu passado para trás e comece de novo. É difícil de resistir à oportunidade de um novo começo, uma chance de enterrar os problemas do ano passado. […] Quem determina quando o velho acaba e o novo começa? Não é o calendário, não é um aniversário, nem um ano novo – é um evento. Grande ou pequeno, mas algo que nos mude, que de preferência nos dê esperanças, uma nova maneira de viver e de olhar para o mundo, se desfazendo de velhos hábitos e memórias. O importante é nunca deixar de acreditar que possamos ter um novo começo, mas também é importante lembrar que entre toda a porcaria, há algumas poucas coisas que valem a pena guardar com a gente.”


Esse é do episódio 13 da segunda temporada, cujo o nome é Begin the begin. Todos nós achamos que precisamos começar de novo. Às vezes, quando estamos insatisfeitos, tomamos essa decisão. Mas o que é começar de novo? Quando começamos de novo? Dá pra começar de novo? Ou só escolhemos deixar o passado para trás e seguir de uma maneira diferente?



4- Prepare-se para lidar com a verdade



“Como doutores, somos treinados para ser céticos porque nossos pacientes mentem o tempo todo para nós. A regra é que todo paciente é um mentiroso até se provar honesto. Mentir é feio. Ou como aprendemos desde pequenos – a honestidade é a melhor política, a verdade te libertará, eu cortei a cerejeira*, que seja. O fato é que mentir é uma necessidade. A gente mente para si mesmo porque a verdade… a verdade dói pra caramba. […] Não importa o quanto a gente tente ignorar ou negar, mas mais cedo ou mais tarde a mentira cai terra abaixo, gostemos ou não. Mas aqui vai a verdade sobre a verdade: ela machuca. Então, a gente mente.”


NOTA: “Eu cortei a cerejeira” se refere a George Washington, o primeiro Presidente dos EUA, que era conhecido pelo seu apurado senso de verdade, mesmo quando criança. A origem dessa história remota é de quando ele, ainda jovem, cortou uma cerejeira e quando o pai dele perguntou, ele falou a verdade. George então não foi punido porque falou a verdade.


O ensinamento é do episódio 14 da segunda temporada, cujo o nome é Tell me sweet little lies. Como já disse o Dr. House: “Todo mundo mente.” Seja por medo, para defender alguém ou, em alguns casos, só porque a verdade seria vergonhosa. Mas a mentira, em algum momento, vem à tona. Às vezes, mentimos achando que as consequências da verdade serão dolorosas demais, quando na verdade, só não estamos preparados para lidar com ela.



5- Deixe que o tempo cicatrize e cure



“Como médicos, os pacientes sempre estão nos falando como eles fariam os nossos trabalhos. Apenas dê um pontinho, cola um band-aid aí e me manda pra casa. É fácil sugerir uma solução rápida quando você não sabe muito do problema ou quando você não entende a causa ou o quão fundo o machucado é. O primeiro passo para uma cura real é saber exatamente que doença é pra começar. Mas isso não é o que as pessoas querem ouvir. A gente tem que esquecer o passado que nos trouxe até aqui, ignorar as futuras complicações que possam aparecer e fazer apenas o conserto rápido. […] Como doutores, como amigos, como seres humanos, todos tentamos fazer o melhor possível. Mas o mundo é cheio de reviravoltas inesperadas. E bem quando você acha que sabe onde está pisando, o chão sob você muda. Se você for sortudo, você vai terminar com nada mais do que um machucadinho superficial, algo que um band-aid dá conta. Mas algumas feridas são mais profundas do que aparentam e precisam mais do que um conserto rápido. Com algumas feridas, você tem que arrancar o band-aid, deixá-las respirar e dar tempo para que elas curem.”


Esse é do episódio 20 da segunda temporada, cujo o nome é Band Aid Covers the Bullet Hole. A vida se trata de nos machucarmos e nos curarmos, seja literalmente ou figurativamente. Nós caímos de bicicleta, nos machucamos e com o tempo, cicatriza. Nós nos decepcionamos em um relacionamento, ficamos de coração partido, e com o tempo cicatriza. O melhor para curar esses machucados é descobrir onde está o problema. Uma vez descoberto e aceito que é aquilo que está te fazendo mal, apenas puxe o band-aid e deixe que o tempo cicatrize o machucado. 


6- Procure controlar o seu tempo


“Dentro do centro cirúrgico, o tempo perde todo o significado. No meio de suturas, e de salvar vidas… o tempo pára de ter importância. 15 minutos… 15 horas… – Dentro do CC, os melhores cirurgiões fazem o tempo voar. Fora do CC, porém, o tempo tem o prazer de acabar conosco. Até mesmo para os mais fortes de nós, o tempo parece pregar peças. Desacelerando, hesitando… até que ele congela, deixando-nos presos em um momento — incapazes de nos movermos em uma ou outra direção. […] O tempo voa. O tempo não espera por ninguém. Ele cura todas as feridas. Tudo que qualquer um de nós quer, é mais tempo. Tempo para se pôr de pé. Tempo para crescer. Tempo para se desprender. Tempo.”


Esse é do episódio 1 da terceira temporada, cujo o nome é Time has come today. Estamos sempre olhando para o relógio. Nossa vida gira em torno dele. Sempre precisamos controlar o tempo. Não podemos chegar atrasado. Temos um compromisso. O tempo está, de alguma forma, envolvido em nossas atividades. Mas nós controlamos o tempo ou ele que nos controla?



7- Dê valor ao que desaparece


“Desaparecimentos podem acontecer na ciência. Doenças podem se enfraquecer de uma hora para outra, tumores podem desaparecer e a gente abre alguém todo pra descobrir que o câncer foi embora. É inexplicável e raro, mas acontece. É o diagnóstico errado. A gente fala que não viu da primeira vez ou qualquer explicação, menos a verdade. Que a vida é cheia de atos de desaparecimento. Se algo que a gente não sabia que tinha, desaparece… a gente vai sentir falta?”


Essa narração é do episódio 15 da terceira temporada, cujo o nome é Walk on water. Essa fala tem um impacto pessoal em mim. Essa citação é bem auto-explicativa. Não consigo falar sobre ela. Leiam vocês mesmos.



8- Lide com as perdas



“Como eu disse, desaparecimentos acontecem. Dores dissipam. Sangramentos param de escorrer e pessoas, pessoas somem. Tem mais coisas que eu gostaria de dizer, tanta coisa, mas… eu desapareci.”


E complementando a citação anterior, temos a do episódio 16, cujo o nome é Drowning on Dry Land.


9- Lide com as mudanças



“Durante o exercício da medicina, a mudança é inevitável. Novas técnicas cirúrgicas são criadas, procedimentos são atualizados, o nível de conhecimento aumenta. Inovação é tudo. Nada permanece a mesma coisa por muito tempo. Ou nos adaptamos e mudamos… ou… somos deixados para trás. […] Mudança… Nós não gostamos dela. Nós a tememos. Mas não conseguimos evitá-la. Ou nos adaptamos e mudamos, ou somos deixados para trás. Dói crescer. Qualquer um que te disser que não, está mentindo. Mas aqui vai a verdade: às vezes, quanto mais as coisas mudam, mais elas permanecem as mesmas… E às vezes… oh, às vezes a mudança é boa… Às vezes a mudança… é tudo.”


É um ensinamento do episódio 1 da quarta temporada, cujo o nome é A change is gonna come. Uma das lições que mais faz efeito na minha cabeça. Tudo muda. Em algum momento, tudo começa a deixar de ser como você conhece e fica confuso. Mas as mudanças são essenciais e precisamos aprender a lidar com elas quando chegarem.



10- Perdoe quando é machucado


“Na vida, apenas uma coisa é certa, além da morte e dos impostos. Não importa o quanto você tente, não importa se são boas suas intenções, você cometerá erros. Você irá machucar pessoas. E se machucar. E se algum dia você quiser se recuperar.. Há apenas uma coisa que pode ser dita. […] Esquecer e perdoar. É isso que dizem por aí. É um bom conselho, mas não muito prático. Quando alguém nos machuca, queremos machucá-los de volta. Quando alguém erra conosco, queremos estar certos. Sem perdão, antigos placares nunca empatam, velhas feridas nunca fecham. E o máximo que podemos esperar é que um dia tenhamos a sorte de esquecer.”


Esse ensinamento é do episódio 4 da quarta temporada, cujo nome é The heart of the metter. Cada narração que leio e relembro, me impacta de um jeito que não achei que faria. Essa, de novo, tem um efeito pessoal em mim. Acho-a linda. Devemos perdoar e esquecer quando nos machucam, até para que não nos machuquemos mais.


Até semana que vem com mais ensinamentos! J-J


Citações retiradas do site Grey’s Anatomy Brasil


Por: Thiago Nascimento

15 comentários :

  1. Nunca assisti Grey's Anatomy, mas depois desse post com certeza vou virar fã:) Já estou aguardando os outros ensinamentos;)
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente, como assim não assistiu Grey’s Anatomy? =o Não acredito! Corre pra assistir. Não vai se arrepender.

      Excluir
  2. Que legal. Nunca assisti a série mas achei super interessante e super válidos os ensinamentos :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. sempre quis me jogar de cabeça na série, mas nunca consegui =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te garanto que se você assistir a primeira temporada, você não consegue mais parar. Falo isso por experiencia própria.

      Excluir
  4. Muito legal Thiago! Não acompanho a série, mas gostei dos ensinamentos!

    ResponderExcluir
  5. Nunca assisti a série, mas achei tão interessante que já virei fã, quero muito assistir todos os episódios.
    Bjs❤
    Abrir Janela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem até a 11ª temporada disponível no Netflix. Já anunciaram que a 12ª estará disponível em breve.

      Excluir
  6. Greys Anatomy não é só uma série... nossa ela nos tras tantas lições!
    Que post maravilhoso esse! ♥
    Aguardando outros ensinamentos. <3

    Beijos
    http://vestibulandaguerreira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grey’s Anatomy não é só uma série. Grey’s Anatomy já virou uma parte de nós. <3

      Excluir
  7. Eu já tinha lido esse post no blog da G.A. brasil
    realmente GA nós ensina muita coisa
    kisses

    ResponderExcluir
  8. Nunca assisti, mas me deu uma vontade danada de começar assistir só por causa deste post.
    Beijinhos,
    Blog: DMulheres
    Instagram : @dmulheres

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma série excelente. Não vai se arrepender. ;)

      Excluir
  9. Já tive a oportunidade de acompanhar algumas temporadas da série e realmente ela nos passa muitos ensinamentos interessantes.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design