quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Parem o islã! Salvem o mundo ocidental e cristão! - parte 2: Ocidente de mãos atadas

Esta é uma série de textos acerca do tema islã e o mundo ocidental em xeque. A primeira parte está aqui.


 
Brasil: O dedo indicador afirmando que “Alá é Deus”. Gesto de provocação perante uma igreja católica ao fundo | infielatento.blogspot.com.br

Para que uma civilização possa sobreviver é necessário preservar seus valores como língua, pátria e religião. Não existe essa de “estado laico”, porque a sociedade forma uma nação e esta sociedade tem como seu fio condutor da moral a sua religião. Exemplo: você não é punido por comer carne bovina no Brasil, mas nem pense nisso na Índia. Entendeu?

Pois bem, esta introdução serve para provar o motivo da Europa que conhecemos está sendo destruída. A tal “imigração dos refugiados”, os atentados na Europa e a destruição dos valores morais do ocidente são coisas que acontecem ao mesmo tempo e que só um imbecil acreditaria em coincidências.

Este primeiro vídeo mostra as origens da Irmandade Muçulmana que desde a década de 1920 está envolvida no holocausto judeu, no surgimento de organizações terroristas como a Al-Qaeda, Hamas e agora o Estado Islâmico. A irmandade Muçulmana teve um escancarado apoio dos Estados Unidos em derrubar ditadores do Oriente Médio – estes mesmos ditadores que ou mantinha laços com o mundo ocidental ou não tinha sua política atada ao islã:





Os “Moderados” que matam e... com apoio político e midiático

Tutorial para mulheres europeias se livrarem do estuprador | Spidey/ YouTube


Como está demonstrado “a diferença entre moderados e radicais” é apenas uma mentira boba que enfiam na cabeça de pessoas ingênuas. Enquanto os islâmicos promovem atentados, distúrbios e estupros a “mulheres que se vestem como vagabundas vadias”, políticos e a mídia de esquerda dão respaldo a tudo isso e condena qualquer pessoa que aponta estes fatores, chamando estas de fascistas, nazistas, homofóbicas e machistas. Lembro-me disso bem: depois dos atentados no Charlie Hebdo em janeiro e em locais como o Le Bataclan, em novembro, os ditos “especialistas” estavam mais preocupados na reação dos grupos ditos de “extrema direita” e a dita “islamofobia” do que com um grupo que está matando uma civilização.

O resultado é este: na Escandinávia se persegue os ditos “extremistas de Direita” e na Alemanha na virada do ano (2015/2016) os “refugiados” cometem distúrbios e abusos sexuais contra as mulheres alemãs:








Como está em um dos vídeos, atente-se a dois detalhes importantes: a maioria dos ditos “refugiados” são homens sozinhos e muito fortes – características que destoam do perfil de um refugiado - acompanhado de famílias e em péssimas condições de vida. Coincidentemente só que não é  passaportes em branco da Síria e a máquina de emissão destes documentos foram roubados (escrito em português europeu):

“A organização vende os passaportes no mercado negro a preços entre mil e 1500 euros, segundo os serviços de informação, citados pelo jornal [Welt am Sonntag]. Os serviços de informação ocidentais admitem que os 'jihadistas' utilizam também esses documentos de identidade para entrar na Europa.
Nos atentados de 13 de novembro na França, dois bombistas suicidas -- que se fizeram explodir nos arredores do Estádio de França - tinham apresentado passaportes sírios na Grécia, quando entraram na Europa em outubro.
O Governo alemão indicou, na semana passada, que a proporção de refugiados que entraram no país com papéis falsos sírios foi inferior aos 30% relatados pelo ministério do Interior em setembro.”


Juntem as peças, caros leitores, e você verá um plano de dominação islâmica que aos poucos irá destruir a mesma civilização que os acolhe. Enquanto isso, no réveillon dos horrores mulheres alemãs sofreram nas mãos de imigrantes que a mídia agora denomina de “refugiados oriundos do norte da África”.

Em relação às mulheres do ocidente: mesmo assim com tudo isso que ocorre, na Finlândia um tutorial mostra como uma mulher deve reagir perante um assédio sexual. É claro que o homem usado como modelo de estuprador é “branco” e não o perfil daqueles que abusam das moças por aí:



E aí mulherada: esse tutorial vai amedrontar os estupradores?


E para encerrar... Mais informações e uma reflexão!

Se quiserem saber mais acerca do que ocorre na Europa, mundo ocidental e etc. visite este e este link.


Lembra que eu falei de se preservar os valores de uma nação e algo assim? Agora reflita:

1) Enquanto a civilização ocidental abre mão de seu legado, a civilização islâmica preserva os seus valores. Imagina quando eles chegarem aos altos postos de poder e influência. Você acredita que tudo que crê será respeitado?
2) Por que os “refugiados” não migram em massa para países mais ricos e prósperos (Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos) que tenham mais a ver com suas características culturais?
3) Por que os imigrantes não se integram a cultura e costumes das nações que as acolheram e estes querem impor seus valores a este povo que os receberam espontaneamente?


Fique com este vídeo lá de Colônia (Alemanha). O processo de “enriquecimento cultural” em cima do ocidente... em especial, às mulheres. P.S.: feministas estão em silêncio absoluto sobre isso:




Até mais, pessoal. J-J


Por: Pedro Blanche

10 comentários :

  1. Excelente texto, como sempre. Tava morrendo de saudades daqui!
    Gosto de como expôs uma verdade que incomoda a muitos, é importante que todos conheçam os vários lados do "problema" antes de defenderem ou acusarem injustamente os envolvidos. Essas atrocidades têm que parar! Também fiquei revoltada com o surto de estupro cometido pelos refugiados, é de uma tristeza sem tamanho e poucos parecem se importar. As pessoas acham que por estarem longe estão livres do radicalismo, o que não é verdade.

    Beijos, meu querido. Que nossa parceria continue firme em 2016!

    ;*

    Faroeste Manolo
    Página Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A violência continua porque há respaldo político e midiático. Um mix de desinformação e de "falsa culpa" dos europeus por conta das Cruzadas. Para se ter uma ideia o pouco de cristão na península ibérica (procure um mapa a respeito) estava ao ponto de esmagar tudo o que restava de ocidente. Abraços | PEDRO BLANCHE

      Excluir
  2. ótimo texto! Parabéns, estou por fora do que esta acontecendo em relação a esse tema, mais adoro quando sai conteudo novo aqui rs

    http://www.blogmemories.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela audiência, Robson. Compartilhe o texto e não perca o último texto desta série. Abraços | PEDRO BLANCHE

      Excluir
  3. Nossa,quanta informação. Os conflitos do Oriente médio são extra mente complexos para se resumir em um só texto ou reportagem. Vários termos infelizmente usamos de maneira errada e esclarecimentos são sempre bem vindos. Muito obrigado.

    Abraços


    Beto

    blogcoisastriviais.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beto, se os fiéis do islamismo pressionassem a "Umma" em definir certas coisas na religião teríamos talvez um cenário menos belicoso. Abraços | PEDRO BLANCHE

      Excluir
  4. Parece ser um conflito sem fim. Na verdade, uma tristeza sem fim.

    rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samara, o mundo jaz do maligno. Deixei claro em um texto meu onde não existe essa de "mundo melhor". A gente vai melhorando aos bocadinhos. Abraços | PEDRO BLANCHE

      Excluir
  5. Em nome da religião cometem-se muitas atrocidades.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  6. "Estados laicos" ou "Estados seculares" são expressões que significam "Estados que não adotam religião oficial e preservam a liberdade religiosa". No Brasil, o Estado Laico Brasileiro surgiu desde a CREUB de 1891. O 24 de fevereiro dele, uma terça-feira diastólica, foi o dia em que surgiu a Laicidade Brasileira. 1787 foi o ano em que surgiu a Laicidade Estadunidense. Cruzadas, Inquisições e outras guerras religiosas geraram muitos óbitos. Liberdades religiosas devem ser preservadas pelos Estados laicos, desde que elas não atentem contra as dignidades humanas, como as negações de transfusões sanguíneas por motivos religiosos, os radicalismos religiosos, os sacrifícios animais e humanos e assim sucessivamente. Contudo, as laicidades não somente estão presentes nos Estados, mas também em instituições e organizações sociais. Evitemos acepções de pessoas (discriminações e preconceitos) de quaisquer tipos, pois além de serem pecados, são crimes previstos na CRFB de 1988 e na Lei 7.716 de 1989.

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design