terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

A ficção científica mais divertida do ano, #sqn




No último dia 10, na premiação do Globo de Ouro - que é um esquenta para o Oscar que acontece dia 28 de fevereiro - um prêmio chamou a minha atenção: Perdido em marte, na categoria de Comédia/Melhor musical. Pensei assim: "Isso não é possível nem aqui, nem em marte". No dia que ouvi essa notícia, ainda não havia assistido a produção, mas tinha lido a respeito que se tratava de ficção científica, aventura, ou qualquer outra coisa do gênero, mas não uma comédia.

Depois da premiação, corri pra assistir ao filme. Ele tem uma boa história, personagens carismáticos, e de certa forma, é leve para a temática de sci-fi. A produção mescla o drama do personagem Mark Watney, com doses de humor - nada exagerado que pudesse classificá-lo como comédia. Aliás, se eu ri duas ou três vezes foi muito. Talvez o clima do filme seja bem humorado e leve, quando o astronauta Mark planta batatas e as rega com uma água criada por ele mesmo. Se eu fosse classificar o filme seria em drama ou ficção científica, como disseram no site UOL:

"É inexplicável o motivo de o filme ter entrado para a categoria de comédia/musical, já que conta o drama de um astronauta, vivido por Damon, que é dado como morto, abandonado pelos colegas e acorda sozinho no misterioso planeta com escassos suprimentos. Sem saber como reencontrar os companheiros ou retornar à Terra, ele deve sobreviver e esperar seus parceiros lhe buscarem".


Já na opinião de Douglas Lambert, da Folha, o filme está dentro da comédia sim:

"Esqueçam o espaço hostil de "Alien" (1979) [...] O futuro que o diretor Ridley Scott nos apresenta [...] é outro: divertido e cheio de esperança". 


Há um motivo para o filme ter ganho prêmio de Comédia/Melhor musical: ele é baseado no livro homônimo de Andy Weir, que é considerado livro de comédia.



Sinopse: Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho. Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate. Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico – e um senso de humor inabalável –, ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá. Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.


Está aí o motivo do filme ter ganho o prêmio, mesmo a contra-gosto do próprio diretor em uma reportagem: o livro de Andy Weir.

O filme se arvora em muitas cenas hilárias do livro de Andy, que me deixaram otimista e arrancaram de mim (alguns) sorrisos, mas não durante o filme todo, nem em sua maior parte. Rodrigo Salem, também da Folha, cita algumas das cenas do livro:

"Em compensação, todos os ingredientes da obra [de Andy] estão presentes nesta produção [...]: a tiração de sarro com a disco music e séries dos anos 70 - único material deixado como entretenimento em Marte -, frases de efeito espertinhas ("Toma essa, Neil Armstrong"), clima otimista e a personalidade leve do astronauta botânico levado com perfeição por Damon. "Perdido em Marte" não é filme de Oscar, mas é a ficção científica mais divertida do ano"


Na verdade, Rodrigo só errou na última parte da sua colocação: Perdido em Marte concorrerá ao Oscar, sim, dia 28, na categoria de Melhor filme. Talvez uma categoria correta para um filme que foi considerado de comédia. J-J


Por: Emerson Garcia

19 comentários :

  1. Tá aí um filme interessante, que aborda ficção científica de uma forma divertida, gosto de ficção científica, mas acho que nunca vi uma divertidinha, sabe? Já quero assistir. Estou tentando assistir todos os filmes que foram indicados ao Oscar.

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é uma das mais divertidas que já vi. Você irá gostar! Apesar de ser longa.

      Excluir
  2. Mas genty eu pensaria a mesma coisa que você, nem aqui nem em marte isso deveria concorrer a comédia musical rs.
    Lendo me parece mais um drama mesmo.. mas só assistindo pra ver.
    Kisses

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu classificaria como drama ou ficção científica.

      Excluir
  3. Olá Emerson,
    Não faz muito o meu gênero filme de ficção científica mas, adorei o post.

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Emerson. Confesso que não sou um grande fã dos livros de ficção científica, como exemplo tenho a série Mochileiro das Galáxias, do Douglas Adams, e sempre leio os livros de forma bem arrastada. Entretanto, a proposta de Perdido em marte é incrível e a narrativa do autor com a mescla de tensão, ironia e humor é incrível. Estou bem interessado!

    Resenha: A Agenda | arafaelagodoy.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei da forma como isso é tratado no filme, embora, como seus livros, tenha partes muito arrastadas e monótonas.

      Excluir
  5. Eu assisti o filme e não li o livro. Gostei bastante do filme, super interessante ver como a pessoa supostamente, com conhecimentos claro, consegue sobreviver. Mas nunca classificaria como comédia. O livro deve ser muito diferente do filme, se não sei lá :P

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É legal exatamente por isso: a gente torce pelo personagem e entra nas aventuras malucas junto com ele.

      Excluir
  6. Olá, tudo bem?
    Não sabia que havia um livro! Quando vi o prêmio, fiquei intrigada! Hahah Parece ser um filme de ficção cientifica que um pouco dos padrões, então estou animada para assistir!
    Beijos, Bruna
    calmajedi.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foge um pouco dos padrões, mas ainda tem elementos de sci-fi. Por isso não poderia ser classificado como comédia.

      Excluir
  7. Já li esse livro e espero ver o filme em breve, mas da mesma forma como muitos não o considero comédia, pelo menos não o tipo de filme que eu considere comédia. Mas valeu a indicação a história tem um bom embasamento.
    Beijos
    neversaynever-believe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comédia pra mim tem que ser um filme de roteiro fixo, descontraído do início ao fim.

      Excluir
  8. Só vou poder dar uma opinião mesmo depois de ver, mas fiquei bem curiosa. Faz até pensarmos que colocaram em qualquer categoria de propósito, só para ganhar qualquer coisa...

    :**

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa colocação, Carla. Não tinha pensado nesse argumento brilhante.

      Excluir
  9. Não assisti ao Globo de Ouro, muito menos ao tal filme, mas sempre pensei que Perdido em Marte fosse um sci-fi.

    Não faz muito sentido o motivo pelo qual o filme ganhou o prêmio (nessa categoria). A obra literária e a cinematográfica sempre são diferentes.

    No final, o ocorrida torna-se mais engraçado do que o próprio filme!

    www.arrasandodeallstar.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ri e achei estranha toda essa situação mesmo.

      Excluir
  10. Olá! Tudo bem?

    Confesso que eu nem acompanho essas premiações, mas vez ou outra surge alguns 'absurdos' do gênero, rs.

    Vai entender, né.

    Abraços,
    ser-escritora.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Absurdo esse que não foi entendido nem pelo diretor do filme.

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design