terça-feira, 17 de novembro de 2015

Os pormenores de "Meu corpo, Minhas regras"


Dia 03 de novembro foi lançada uma propaganda com atores globais, intitulada Meu Corpo, Minhas Regras. O produto audiovisual foi alvo de muitas críticas, na maioria negativas já que no Youtube são mais de 202.335 dislikes, contra 34.655. A ação do vídeo surgiu após o documentário/ficção Olmo e A Gaivota sofrer repúdios por sugerir a prática do aborto. Bruna Linzmeyer, Barbara Paz, Julia Lemmertz, Nanda Costa, Alexandre Borges, Johnny Massaro e outros aparecem caracterizados de mulher com peruca azul chamativa e uma camisola vermelha de bolhinhas. Para quem não assistiu, situo vocês:




Em resumo, o vídeo fala de várias questões, como o tabu da gravidez, a tentativa de diminuir a importância da mulher na sociedade e sobre o aborto. Religião e política também foram pautadas no vídeo. Pretendo esmiuçar esses pormenores, deixando tudo às claras, e trazendo alguns trechos do vídeo e fatos históricos. 


Tabu da gravidez

"Contam como se tudo [a gravidez] fosse cor de rosa, maravilhoso e sublime". 


Não! Idealizadores do vídeo. A gravidez não é algo perfeito. As mudanças corporais que acontecem são intensas na vida de uma mulher. Sem falar das dores, estrias e da falta de desejo sexual durante ela. Talvez, o ato de ser mãe seja sublime, mas o processo, não.

No vídeo, demoniza-se a gravidez causada por um estupro, mas, esse mesmo vídeo, aceita o aborto porque o corpo é da mulher, e porque ser mãe é um atraso na vida das feministas. Se antes elas queriam ser mãe "de um bebê de proveta", hoje nem mãe elas querem mais ser. Veja o que o ator Alexandre Borges diz:

"Enquanto isso, eu fico aqui, fabricando esse ser humano inteiro dentro de mim".


Mal sabem eles, que os bebês também controlam suas mamães e dizem a elas o que querem comer e o que não. O mesmo vídeo que favorita o aborto, chama esses 'seres abortivos' de seres humanos. Se são humanos, porque podem ser abortados? São esses os atores que querem tirar fetos do mapa, mas defendem causas humanitárias, como a vida da mãe e o Criança Esperança

A charge abaixo mostra como esses atores são hipócritas. O vídeo traz mães reais. Que legal seria se elas engravidassem de novo e perdessem os filhos que já possuem né?




Mulher na sociedade cultura

"Me disseram que só em 30% dos filmes as mulheres falam. E quando falam, falam sobre homens ou com homens ou gemem. Elas não tem nome, não tem crise, não tem história, não tem câmera, não tem foco". 


Sério. Em qual sociedade essas ATRIZES vivem? Todas elas fazem parte do casting da Globo, e já fizeram papéis marcantes. As estatísticas que elas se referem são mundiais, não nacionais. 

Essas beldades não podem reclamar. Só se fossem hollywodianas. Por lá, dos cem filmes campeões de bilheteria, apenas 12% eram do sexo feminino. E de todos os personagens com falas, apenas 30% são mulheres. Mas vendo pelo lado positivo, Viola Davis, em 2015, foi a primeira mulher negra a ganhar um Emmy, o filme Kill Bill traz uma protagonista, Katniss e Beatrice estão liderando as bilheterias.



Tem algo muito errado nos dados. Fala-se de dados culturais e não sociais. Não mostrou-se as conquistas femininas de votos, emancipação e independência feminina. Não é porque "supostamente" a mulher não possui voz na indústria cultural, que o seu corpo deixou de ser seu. E não é porque o corpo é seu, que ela tem controle sobre outra vida. (Explicarei com detalhes mais tarde)


Maria, a virgem

"Isso há muito tempo, desde Nossa Senhora, que engravidou virgem, uma gravidez sem corpo, sem sexo, sem desejo, sem medo. Sem sexo? Esse lance de virgindade, erro de tradução do hebraico pro grego ou do aramaico hindu"


Sim! Maria engravidou virgem, trouxas. Se vocês tivessem um pouco de conhecimento saberiam que pra gerar o salvador do mundo, ele teria que vir sem pecado e sem sexo. Mas Maria não morreu virgem, até porque ela teve os irmãos de Jesus de forma carnal.

Não entendi o porque de questionar a virgindade de Maria nesse vídeo, mas aqui está o trecho bíblico que afirma isso:

"Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, ela se achou ter concebido do Espírito Santo. E como José, seu esposo, era justo, e não a queria infamar, intentou deixá-la secretamente. E, projetando ele isso, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, pois o que nela se gerou é do Espírito Santo". (Mt. 1.18-20)

Não é porque não se acredita nisso, que deve-se questionar a fé do outro. É inadimíssivel que para defender algo, é preciso denegrir outra coisa, e tudo isso com risinho e deboche na cara. É o mesmo que defender as pessoas fitness, e acabar com os gordinhos, como já falei aqui É claro que os religiosos bateram de frente e deram seu direito de resposta.


"Meu corpo, minhas regras"

Chegamos ao ápice do vídeo. Quando os atores sentenciam:

      "Toda mulher é dona do seu corpo. Faço com ele o que eu quiser. Meu corpo, minhas regras". 

Queridos, é a concepção que nos determina como humanos. A partir do momento que o espermatozoide do papai encontra com o óvulo da mamãe já é um processo de vida. Não são regras que determinam uma mulher. No blog de Carmadélio, ele diz: 

"O embrião é humano, é um ser humano a caminho, com tudo de humano já ali potencialmente presente. Ou é humano e em processo de humanização, ou não o será nunca!"


"Ah, mas eu fui estuprada", "Eu não quero esse filho". A mulher com esses questionamentos, pode dar seu filho para a adoção. Tem sites e informações para saber como faz. O que não faltam são famílias para adotar seu filho rejeitado. Para cada criança, há uma fila de seis famílias interessadas. Veja um dos argumentos do vídeo sobre isso:

"Se for estuprada? E se não quiser ter o filho? Não pode abortar". 

Sério que esse é o principal motivo do aborto? Veja o que a charge de João Spacca, da Rádio Vox diz:





"E de repente surge um filho. E aí de você se reclamar. Fazer foi fácil não foi. Meu corpo era proibido. Agora é obrigatório. Estava sozinha no mundo, e aí engravidei. E aí o que você faz? Eu era uma criança, uma adolescente, e eu tive que interromper".

A concepção pode ser planejada ou não, de fato. Mas quantas mães conseguiram criar seus 6, 7 filhos? Mas aí dá-se a desculpa esfarrapada: "Vou abortar porque não tenho condições financeiras ou sou muito nova pra isso"

A propaganda reclama que as mulheres não possuem direito, mas o que elas mais possuem são eles: ela pode optar por ter filhos ou não no casamento e pode encaminhá-los, ou não, a adoção. Mulher pode ser feliz sem ter filhos, porque não? Discurso mentiroso:

"A mulher que não tem filho, fica frustrada. E se tiver filho então? Ah, tem que ficar bonita, bem arrumada, cheirosa".


Quem quiser se aprofundar no assunto, veja esse vídeo:




Na política, várias atitudes foram tomadas, como a proibição de métodos contraceptivos e a modificação de atendimento das vítimas de abuso sexual:

"No final de outubro, a Câmara aprovou o projeto de lei (PL 5.069/13), que modifica a Lei de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual. [...] Entre outros retrocessos, criminaliza métodos abortivos, incluindo a pílula do dia seguinte, considerada atualmente como uma contravenção. [...] A vítima deverá passar por um exame de corpo de delito para comprovar a violência sexual antes de receber atendimento no sistema público de saúde". (Fonte: O dia)


As feministas de plantão torceram o nariz. Querem a pílula abortiva de volta. Talvez elas torçam o nariz também ao ler esse post. Mas o que é pra ser falado será falado. Não sou a favor do aborto nem desse vídeo nojento. J-J


Por: Emerson Garcia

11 comentários :

  1. São temas fortes e que trazem muitas opiniões divergentes.
    Mas acredito que temos que levantar esses assuntos (os dois lados) e analisar para chegar em algo em que todos possam fazer o que acharem melhor.
    Existem muitos assuntos polêmicos que eu sou a favor.
    Kisses

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Na verdade eu não havia visto isso ainda, mas uma coisa que é bem verdade é que sou a favor do aborto, em certos casos específicos, claro, apesar de não concordar totalmente com a maneira que certas coisas foram expostas.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te entendo perfeitamente. As situações precisam ser analisadas, nos pros e contras.

      Excluir
  3. Não tenho paciência nem estômago para ver esse vídeo. Triste saber que muitos acham isso natural.

    rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Que loucura isso. Não tinha visto esse vídeo ainda, mas já havia notado que estava circulando pelo face.
    Achei uns absurdos.. loucura mesmo!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. wow!! ainda não tinha conhecimento deste vídeo... obrigada pela partilha. beijos

    ResponderExcluir
  6. Bem eu sou feminista e nem por isso acho que uma vida possa ser abortada,porque como você disse nesse post,quando uma mulher está grávida já é uma vida dentro dela.As pessoas deviam se lembrar que um dia ela precisou ser gerada para estar aqui.E se fosse ela a criança a ser abortada? O aborto pra mim é um ato bem egoísta! se a mulher não tem condição de criar o bebê,que pelo menos ela possa encaminhá-lo para adoção onde ela poderá receber o amor de uma família acolhedora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Algumas feministas confundem direitos, com o direito de tirar uma vida. Para mim, ninguém tem esse direito, mas o dever de preservar pela vida, seja ela de quem for. Falou tudo. Também acho que é uma atitude egoísta.

      Excluir
  7. "Mas Maria não morreu virgem, até porque ela teve os irmãos de Jesus de forma carnal."

    Pelo amor de Deus Pai, estude um pouco o aramaico, meu filho. Só um pouco. Jesus não teve irmãos!!! Acho o cume da estupidez os protestantes ainda propagarem essa ESTUPIDEZ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se você quis dizer que Jesus não teve irmãos de fato, ou se ele não teve irmãos de pai e de mãe, e sim, meio irmãos, mas, para ambas suas conjecturas, tenho explicações. Se Jesus não teve irmãos, quer dizer que Maria não foi a mãe de seus irmãos. Isso seria dizer que Tiago e Judas, que a Bíblia relata, eram de outra mãe, que não Maria. Se ele não teve irmãos de sangue, diria que também é uma inverdade. Pois a mesma mãe que o gerou, a Bíblia também relata que gerou Tiago e Judas (vou te provar na palavra). Jesus "compartilhava" do sangue da mãe com seus irmãos. Bem sabemos, que a genética de um filho envolve o sangue da mãe. E não vamos incluir José aqui. Desse modo, podemos dizer que Jesus era meio irmão de seus irmãos, embora na bíblia não relate que ele tinha "meios irmãos", e sim "irmãos". Não é porque Jesus foi gerado de uma forma não natural, que ele não tinha irmãos. Vamos às citações bíblicas agora:

      João: 7. 5. Pois nem seus irmãos criam nele.

      Mateus: 12. 47. Disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, e procuram falar contigo.

      Judas: 1. 1. Judas, servo de Jesus Cristo, e irmão de Tiago,

      Mateus: 13. 55. Não é este o filho do carpinteiro? e não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, José, Simão, e Judas?

      Gálatas: 1. 19. Mas não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor.

      Obs. 1: Judas e Tiago eram irmãos de Jesus, mas não o reconheciam como Salvador, apenas depois (Servo do Senhor), demonstrando respeito.

      Obs. 2: Você pode se perguntar: "Por que chamavam José de pai de Jesus?" Porque, embora, ele não tivesse feito sexo com Maria para concebê - lo, ele o aceitou e o adotou como filho. Mas Jesus não era filho adotivo de Maria, e sim legítimo.

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design