quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Quinta de série: American Horror Story- parte 1





Hoje é o dia de falar da melhor série de terror do momento: American Horror Story. Ela foi criada por Ryan Murphy e Brad Falchuk (Glee e Nip Tuck) em 2011. Atualmente em sua quinta temporada, o show traz histórias independentes, com início, meio e fim, com mudança de personagens, mas não de atores, já que muitos deles estão desde o começo.

Cada temporada, tem um enredo que prende, que deixa aflito, extasiado. O terror é realmente assustador, mas também tem doses de suspense, que deixam você curioso por assistir o próximo episódio. O roteiro e a fotografia precisam ser elogiados. 


Murder House


A primeira temporada de AHS estreou em 2011, se passa no próprio ano e conta a história de uma família que está de mudanças para uma nova casa, para um novo recomeço. A esposa, descobre a infidelidade de seu marido, mas está disposta a perdoá-lo. Desse modo, o psiquiatra Ben, sua esposa Vivien e sua filha Violet compram uma mansão clássica e vitoriana, linda por fora e por dentro, com um design e uma decoração invejável. Seria o lugar ideal para um recomeço né? Só que não.




Já no primeiro episódio, a família conhece uma misteriosa vizinha, Constance Langdon, e seu filho desajustado, Tate. Também conhecem a mordoma da casa, que tem segredos pra dar e vender, e uma aparência misteriosa. Já na estreia, coisas muito estranhas acontecem, como a estadia insistente de uma menina com síndrome de down na casa e a visita de dois meninos, que parecem estar mortos. A partir daí só piora: invasões, visitas inusitadas, assassinatos, um serial killer de roupa de couro preta, consultas psiquiátricas duvidosas.


A família, então, descobre que a casa não é tão bonita como aparenta ser, e tomam a decisão de vendê-la. Será que conseguirão? 



Sério! Essa temporada é muito assustadora. Eles conseguem explicar o porquê a casa é mal assombrada com a inserção de flashbacks. É cada coisa que acontece nessa mansão, que só vendo.






Asylum


Essa foi a primeira temporada que vi. Quando a assisti, tive uma vontade louca de parar, mas de continuar, pra saber o que acontece. Asylum, estreou em 2012, e conta a história de uma jornalista lésbica que está investigando um misterioso hospital psiquiátrico, o Bearcliff,  por conta da sua forma de recuperação e experimentos. 

Asylum se passa em 1964, e nessa época, o tratamento era por meio de lobotomia, trepenação e eletrochoque. A jornalista descobre muitos podres, mas acaba sendo internada nesse hospital de horrores.



E o que acontece por lá é terrível: possessões, canabalismo, assassinato, um serial killer que mata pessoas, tira a pele delas e faz de máscara, extraterrestres, e outras coisas bem pesadas. A religião, a fé e a ciência, também foram pautas dessa temporada, e críticas à elas, como: relacionamento sexual entre médico e freira, o anjo da morte, exorcismo, religiosidade.



A caracterização da temporada foi excelente. Fotografia e figurino merecem ser destacados. Eles conseguiram transferir o clima sombrio para as paletas de cores e a fotografia. A parte visual é bem escura e sombria.





Freak Show



A história de Freak Show se passa em Júpiter, no ano de 1952, e conta a história da circense Elsa Mars, que está recrutando artistas de circo para abrir um espetáculo na cidade, só que de um "show de aberrações". Desse modo, vão trabalhar com ela: a menor mulher do mundo, a mulher de três peitos, a mulher barbada, as irmãs siamesas, o homem lagosta, o homem mais forte do mundo, dois irmãos com deficiência mental, entre outros.

  


Elsa consegue abrir o circo com muita dificuldade, já que as pessoas da época discriminavam esse tipo de gente. Em meio a tudo isso, acontecem uma série de assassinatos, e os principais suspeitos são as aberrações. É aí, que o terror começa. Principalmente por um palhaço (Eu não tinha medo deles quando criança, mas agora...) e por um garoto mimado, que dá muitos problemas a todos da cidade. 




Em minha opinião, os personagens dessa temporada são os meus preferidos. Eu me cativei com cada um deles, com suas histórias e dramas. Torci e chorei por todos. 

Os criadores de Glee trouxeram um pouco da "série finada" com performances musicais, especialmente nessa temporada. Além de fazer uma relação direta (Mesmo que as temporadas sejam independentes) com a segunda temporada, Asylum. Tudo levaria a crer que essa temporada fosse a mais alegre e colorida, mas não é o que acontece. Dá muito medo!







Mais tarde, o Thiago Nascimento dará continuidade a segunda parte desse post. J-J



Por: Emerson Garcia

9 comentários :

  1. Olá,
    Não sou de ver esse tipo de seriado, até porque não tenho coragem e nem paciência, além de me falta tempo e vontade também.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi,tudo bem? Não gosto muito de ver esse tipo de série rsrs

    http://www.blogmemories.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu amava essa série na primeira temporada, a segunda assisti forçada e a terceira nem consegui , deixar coisas inacabadas e não gosto disso.rs
    http://www.cherryacessorioseafins.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também odeio deixar as coisas sem terminar. A única série que eu fiz isso até agora foi PLL, porque ficou muito ruim.

      Excluir
  4. Eita coragem rs eu não teria coragem de assistir, já morro de medo em um simples filme de suspense. Porém devo admitir que a trama é tentadora o que desperta meu interesse. Beijoos

    http://www.caprichadissimas.com.br/
    @blogcaprichadissimas - Instagram

    ResponderExcluir
  5. Morro de medo dessa série rs.

    rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Devo confessar que tenho medo dessa serie!
    AHAHAHAHAH, sempre falo que vou assistir e nunca assisto!

    beijão!

    Isa | http://isabellalessa.com

    ResponderExcluir
  7. Até agora já assisti as duas primeiras temporadas, e gosto muito da série. Asylum é bem nojenta e assustadora, mas acho que é minha favorita. No começo, eu não gostava da Lana (personagem da Sarah), mas depois passei a amar ela. Me apaixonei por Murder House desde o momento que vi o Tate - maravilhoso, Tate. O final é bem bizarro, mas eu gostei, e achei até engraçado.

    Ainda não assisti Freak Show, mas acho que vou gostar muito!

    www.arrasandodeallstar.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Asylum é a mais assustadora, mas Murder House não fica muito atrás. As histórias são muito boas e cheias de reviravoltas. Estou louco pra ver Hotel.

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design