segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

De ameno a áspero



Um artista é reconhecido por sua diversidade e criatividade. Seja na música, no teatro, na novela, ou em qualquer outra área. Um ator que vai do trágico ao cômico, sem deixar algo que lembre o trabalho anterior, que se reinventa, que cria, que aparece com novos figurinos e feições... Um cantor ou um músico que inova com novas sonoridades, que não fica na mesmice, que produz as mais variadas sensações...

É assim com Cícero Rosa Lins.  Seus dois cds lançados e disponibilizados online, Canções de Apartamento e Sábado, não possuem quase ou nenhuma semelhança. O cantor, logo depois que lançou Sábado, foi interpelado pelas pessoas se ele não tinha medo de perder fãs, devido seu trabalho ter mudado, de ter um outro estilo. Ele disse que críticas sempre vão vir e que ainda está no processo de perceber a identidade do seu público.

O fato é que ele resolveu se arriscar, e há quem diga que ele não conseguiu agradar gregos e troianos. Canções de Apartamento é um cd que foi gravado em um apartamento, com músicas amenas. Já Sábado é áspero, com poucas rimas e com músicas inquietantes. 



Canções de Apartamento é uma obra alegre, com rimas, com músicas que dão vontade de dançar. Como a alegre, romântica e colorida Tempo de pipa; as dançantes Laiá laiá, Ponto cego e Vagalumes cegos; as poéticas Cecília e os balões e João e o pé de feijão; além das românticas Ensaio sobre ela, Açúcar e Adoçante e Pelo interfone; e a depressiva e triste, mas que não perde a poesia, Eu não tenho um barco, disse a árvore

O romantismo de Cícero é incrível, as letras nos fazem pensar, refletir sobre a vida. Os instrumentos musicais são harmonizados, com belos arranjos musicais. O que falar dos sons de pássaros e de chuva na canção Cecília e os balões? A mistura de sons dos instrumentos e o barulho da natureza foi incrível, como se um som interferisse no outro.




Sábado, em comparação ao Canções, é algo totalmente oposto. Enquanto esse é leve, o outro é como se fosse socos no estômago, dados de surpresa. Sábado é pouco romântico. Cícero falará de trânsito, de engarramento, da forma das vias, de cercas-vivas, algo não muito humano, e sim concreto, inóspito, sem vida.

Um cd de poucas rimas, palavras jogadas ao vento, bastante espaço vazia nas músicas, letras curtas, com pouco sentimento. Capim-limão, se tiver uma só estrofe é muito, sua parte instrumental é imensa. Fuga nº 3 da rua Nestor, com seu nome pouco convencional, é inebriante, o barulho do tambor é seco, uma música com pouco sentimento, como Ela e a lata (apesar do trecho viciante e que me encanta "vou sair pra passear?"), Fuga nº 4, Asa delta e Duas quadras. E a animada, porém depressiva, Pra animar o bar

Mesmo com o clima pesado, Sábado ainda possui três músicas românticas, a Por Botafogo, Porta, Retrato e Frevo por acaso. Porta, Retrato e Frevo por acaso, creio que sejam as minhas preferidas. A primeira fala de uma paixão que vai até a eternidade e de uma saudade que é saciada por meio de uma foto. O barulho das baquetas me deixa perplexo, principalmente no final da música. Já Frevo por acaso, fala de desabafos, de amizade, de sempre ser um ombro amigo para o outro. 



Canções de Apartamento e Sábado, apesar de terem identidades tão diferentes, são excelentes, ao meu ponto de vista. Cícero realmente sabe como me encantar, com suas letras, com suas viagens sonoras. Confesso que Sábado também me chocou em um primeiro momento, mas depois que comecei a ouví-lo, percebi sua beleza. Já até o escutei em setembro de 2013, em uma viagem, dentro de um avião entre Manaus e Brasília, e vice-e-versa.

Deixo com vocês, para ouvirem e tirarem suas conclusões, as músicas Cecília e os balões e Açúcar ou Adoçante?, de Canções e Capim-limão, Ela e a lata e Frevo por acaso, de Sábado. J-J




Por: Emerson Garcia

12 comentários :

  1. Não conhecia esse artista ainda. Bacana a dica! ;-) Sobre a mudança de estilo do cantor, acho que vale o risco. Pode assustar os fãs no início, mas acho que vale. Caso não dê certo, tudo bem, o importante é arriscar.

    Beijocas,
    Carol
    www.pequenajornalista.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão. E o Cícero sempre está se arriscando para melhor. Os trabalhos dele são incríveis.

      Excluir
  2. Eu conhecia um pouco dele pois na faculdade tem uma galera que o curte, ele não faz muito meu tipo, mas curto até haha Não sabia dessa mudança dele.

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
  3. Eu não conhecia o trabalho dele, mas obrigada por compartilhar. Vou ouvir suas músicas.
    Sobre o post, acredito que devemos fazer aquilo que gostamos, independentemente de estarmos agradando o público ou não. Alias, há sempre alguém que curte o que fazemos.
    Beijão :*

    http://cold-vanessa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Temos que agradar a si mesmo primeiro.

      Excluir
  4. Eu não sou uma super conhecedora das músicas do Cícero, mas lembro de ter ficado apaixonada pela Tempo de Pipa quando ouvi pela primeira vez. Nunca fiz uma análise do estilo dele, mas gosto de sentar no computador, colocar no letras.mus.br e ouvir aleatoriamente. Adoro essa mistura poética.

    :**

    ResponderExcluir
  5. Conhecia o Cícero, mas só ouvi umas 2 músicas dele e foram do álbum Canções de Apartamento. Não me identifiquei muito com a maneira dele cantar não, mas gosto das letras por serem bem poéticas.

    heythay.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São muito poéticas. Ele deu uma nova versão a MPB.

      Excluir
  6. O Cícero é um amor a parte. Conheci o trabalho dele há uns 3 anos, é muito fofo! Pelo menos o primeiro CD, que foi o que eu ouvi. A música é sexta-feira é um amor sem fim.

    Bjs, rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ponto cego é ótima. Dá vontade de ser sexta todo dia.

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design