terça-feira, 2 de maio de 2017

O problema não é o PT, e sim a ideologia socialista



Há algumas semanas escrevi sobre o discurso de ódio e o idiota útil e citei a esquerda e o PT. Claro que recebi comentários negativos, mas também alguns elogios. Hoje quero explicar melhor sobre o que penso do  assunto.

Toda essa crise econômica e política que está acontecendo no Brasil não é culpa unicamente do PT, governo Dilma ou Lula. Acredito que é da ideologia socialista que se plantou durante anos. 

A ideologia socialista vem sendo disseminada no Brasil desde o governo ditatorial de Getúlio Vargas e acabou tendo mais força a partir do militarismo, tendo em vista que o posicionamento comunista era preponderante no exterior e o modelo atraente para os universitários da época (muitos no poder atualmente e outros nas salas de aulas desde então). 

Esta ideologia - como a própria Luciana Genro, defensora assumida das ideias de Karl Marx diz - nunca foi implantada de maneira plena e satisfatória em nenhum lugar do mundo, mesmo tendo tantos países assumindo-a como diretriz do governo (Exemplos: Cuba, China, Coréia do Norte, URSS...). Não digo que não possa haver sucesso das ideias algum dia, mas é difícil acreditar em algo que não tenha obtido o mínimo êxito onde foram instauradas.




“Ah, mas também há imperfeições na ideia de capitalismo!”, é o que todo socialista alega contra os argumentos acima. Mas, mesmo não sendo o modelo ideal, ainda é o com mais justiça e oportunidades para mudança de estado econômico de um cidadão. Justo sim, já que um ser mais rico que o outro não significa propriamente que aquela riqueza lhe foi entregue de mão beijada. Mesmo que tenha hoje uma fortuna graças a uma herança, foi o trabalho da família que deixou o cidadão em situação privilegiada. Claro que a desigualdade social - o tema mais abordado  nas ideias de Marx -  é mais evidente, mas são desiguais com liberdade para torna-se igual ou superior,  até mesmo manter-se como está. 

Ninguém - nem mesmo os socialistas - quer que haja igualdade social na classe mais baixa. Graças a esse pensamento hoje temos um país onde um ex presidente com ideias socialistas e postura apenas populista assumiu o poder, vindo de um governo não muito diferente, mas um pouco mais aberto ao capitalismo. Vimos, nos números alcançados por ele, alguns bons resultados. Acreditamos que isso era verídico e o reelegemos, para nos mostrar, em um segundo governo, que já não era bem assim que as coisas seguiriam. Não se sabe se as estatísticas eram mesmo sucesso, irreais ou reflexos do governo anterior, mas é de conhecimento público os escândalos envolvendo corrupção para ganho de poder e dinheiro, além da intervenção governamental na economia do Estado - de maneira em que tudo que acontecia estava na mão do executivo. Este ex presidente conseguiu eleger sua sucessão e implantar seus ideais mais a fundo na cabeça do povo e hoje temos uma política e economia completamente arrasadas, sem confiança, prestígio e nenhuma alternativa de melhora.




Deixo claro que também vejo defeitos no ideal capitalista, mas o prefiro por não ter as mãos atadas ao governo e por saber que o legislativo e o executivo estão lá não como líderes, e sim como representantes das minhas ideias e interesse. Prefiro ter um governo que pense apenas em lucro e desenvolvimento, que trate o cidadão como igual e que o reconhecimento seja apenas por mérito, e não por ideologia, raça, opção sexual ou sexo. J-J


Por: Stephanie Ferreira

11 comentários :

  1. Acho que é complicado tentar colocar um pouco de Socialismo no capitalismo, mas pelo menos a ideia que ele gera deve ser algo a pensar. Percebi que você citou a Luciana Genro e não posso deixar de comentar que quando saiu os partidos envolvidos na corrupção só o PSOL se salvou (maneira de falar) e é o partido dela e fico muito feliz por isso e por votar certo (sim, sou de esquerda assumida).
    No mais, foi um bom texto.

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero entender uma coisa, de você como esquerdista assumida. Como seria o plano perfeito para a implantação do socialismo em um país democrático de maneira que ele continue democrático e livre?

      Excluir
  2. A igualdade é uma utopia... o ser humano é competitivo por natureza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não só pela competitividade humana, se tratarmos de condições reais a igualdade não seria justa, a foto dos caixotes ilustra bem a diferença entre igualdade e justiça muito confundida pelo ideal esquerdista!

      Excluir
  3. Não entendo nada de política, mas concordo com algumas coisas. Independente de tudo quem perde é o povo.
    Beijos,
    DMulheresInstagramFanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sheyla, acho que todo cidadão precisa entender um pouco de política, conhecimento é a única coisa que vai te levar a ter aquilo que procura, somos obrigados a votar e intervir na política, por que não intervir com o que mais se aproxima da sua ideia?

      Excluir
  4. Esta crise já estava acontecendo na Europa em 2011/2012 e também não vejo que seja culpa do PT mas, eles tiveram uma porcentagem para acabar de f** o Brasil. rs (Desculpa o palavrão, JJ).

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderExcluir
  5. Faço jus ao comentário acima que quem sai perdendo nesta situação é o povo.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faço apenas o seguinte acréscimo apenas o povo pode mudar isso!

      Excluir
  6. Toda vez que o governo promove "segurança" e serviços de graça. alguém sai lesado com isso, porque o "de graça" significava que alguém pagou por 2. O governo dá o que detém do povo. Jaz aí a problemática da palavra segurança e o conceito do falso coletivo. Quando o cidadão acha que é obrigação do governo melhorar sua condição ao invés dele mesmo, agora ele não é mais livre e sim servo satisfeito com sua "estabilidade". O governo se aproveita disso, deixando-o dependente e a mercê dele. Não há nada que seja mais precioso do que a liberdade do cidadão. O pior tipo de escravo é aquele que acha que é livre porque algo foi dado à ele ao invés dele ter conquistado.

    Parabéns pelo texto!

    http://vivendolaforanoseua.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. As únicas igualdades constitucionalmente possíveis são as perante a lei e as de oportunidades. As injustiças sociais devem, sim, ser combatidas, pois elas destroem as dignidades dos cidadãos de bem. Nosso Estado Democrático de Direito (EDD) precisa ser totalmente desaparelhado e despartidarizado, pois com o aparelhamento dele ele fica desmantelado e nosso país fica numa maldita miséria, faltando educações, justiças, saúdes, seguranças e assim sucessivamente.

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design