terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Perfil de uma JJ I- Com Thalíta Moreira


Entrevista com o Edson representante da área de saúde no evento HIV e aids: fortalecendo a prevenção


Confesso que fiquei olhando pra esse post durante uns 10 minutos pensando como iria começar, sou acostumada a fazer textos jornalísticos ou falar de algo ocorrido, mas falar de mim mesma e do começo de tudo isso é um pouco complicado mas vamos lá!!


A minha vida profissional começou na faixa dos meus 15, 16 anos, quando entrei no curso chamado PPT (Preparação para o Trabalho). Lá eu tive toda uma preparação para o mercado de trabalho, aprendi sobre postura, atendimento ao cliente, marketing, informática, raciocínio lógico, matemática, teatro, gestão e entre outras coisas. 

Rosana Boaventura foi uma das grandes mulheres que conheci na minha vida. Maravilhosa como educadora e como pessoa, me ensinou muita coisa que vou levar pra vida inteira e não somente na minha vida profissional e sim na pessoal, eu lembro que naquela época eu tinha muitos problemas familiares: sentia falta do meu pai, brigava com a minha mãe (típica pré-adolescente) e ela me ajudou a ser mais forte a compreender seu lado, me ensinou a lidar comigo mesma, e uma das coisas que adorava era quando fazíamos uma atividade e ela no final sempre escrevia palavras de apoio e nossos pontos a serem melhorados, além das nossas qualidades, confesso que me orgulhava de mim mesma quando ela fazia isso e dizia algo bom pra mim, me sentia especial, única! Ela sim é um exemplo de mulher.

Janice Quinqueto, outra educadora que me incentivou muito, um amor em pessoa. Uma das coisas que admiro nela é o modo que leciona, pois ela somente te dá o quadro, mas é você que tem que fazer a pintura, não importa como e quando, mas que seja feito por você. Me ensinou a caminhar sozinha, a bater de frente com o meu medo. Uma das coisas que nunca me esqueço é de uma frase que ela me disse "Se fosse fácil não teria graça". De principio não entendi, mas depois essa frase foi de grande impacto pra mim. 

Se passaram 6 meses e eu me formei, fiquei um pouco perdida, mas logo em seguida a Ação Comunitária me convidou pra ser multiplicadora. Como sou uma pessoa que gosta de fazer trabalhos voluntários, resolvi ir. Depois de alguns meses me formo como multiplicadora onde faço capacitações de adolescentes como mediadores de leitura. 

Um dos multi-multis (que formam multiplicadores) era o Victor Souza (Jornalista) que sabia do meu interesse na área de Jornalismo e em um certo dia ele me chamou pra ir em uma reunião do Núcleo de Comunicação, onde conheci Tony Marlon e Karol Coelho (Jornalistas). Com base no que fui aprendendo sobre Jornalismo e Comunicação, fui me apaixonando cada vez mais. O interessante é que antes de me apaixonar por jornalismo eu queria ser Astrônoma, nada a ver as duas profissões, mas eu sou apaixonada por astronomia, para mim é uma coisa magnifica, quem sabe não faço um cursinho só por hobby...

Os tempos foram passando e me formei como Comunicadora na Escola de Notícias (Núcleo de Comunicação) mas ainda não saí do projeto, atualmente trabalhando na revista F5 da Ação Comunitária com filiação de outras ONGs.

Aos meus 17 anos o Tony me falou sobre a Revista Viração, que lá tinha um curso de jornalismo da Agência Jovem de Notícias, fiquei interessada e disse que queria participar, mas antes eu tinha que ter a autorização da coordenadora  do Movimento Renovador Paulo VI, onde eu fiz o curso PPT. A Claúdia me liberou e fui autorizada pra participar da AJN, fiquei super animada, pois era uma coisa nova pra mim e eu iria aprender mais ainda sobre a profissão que pretendia seguir.

Exatamente no dia 16/10/2012 entrei na Viração, onde já comecei a fazer uma faixa sobre o dia C - dia da Comunicação 17/10, onde fizemos uma passeata na Av. Paulista com o tema A sua voz vai além da TV, foi muito criativo e informativo. Depois desse dia cobri vários eventos junto com a AJN, por exemplo o IV Encontro Brasileiro de Educomunicação, Campus Party Brasil, HIV e aids: fortalecendo a prevenção, Qual é o seu jeito de mudar o mundo? da Geração MudaMundo dentre outros. Em todos esses eventos, eu entrevistei vários tipos de pessoas, como o Ismar de Oliveira (professor titular da USP); escrevi matérias; fui entrevistada pelo Edson com direito a filmagem, pois eu era representante de todos os jovens Paulistanos; falei em palestras, fiz todo o trabalho de um "jornalista formado".

E no dia 11/12 me formei como Jovem Educomunicadora na Revista Viração, terminei meus estudos na escola, era o fim e o começo de uma nova fase pra mim. 

Independente do que iria acontecer o meu foco era permanecer estudando, então resolvi entrar na faculdade, onde eu prestei o vestibular consegui passar em primeiro lugar e acabando ganhando uma bolsa de 50% na UNISA - Universidade de Santo Amaro


Poxa, relembrar de tudo que passei e de tudo que conquistei, me da um orgulho imenso de mim mesma e de não ter desistido na primeira dificuldade, confesso que senti medo, muito medo, me sentia incapaz de fazer tudo isso, mas mesmo assim fui lá e fiz, quebrei a cara, várias vezes, puxão de orelha, vários, e sem contar dos sapos que tive que engolir, é não foi fácil, mas afinal... "se fosse fácil não terei graça né". J-J 


Por: Thalíta Moreira

2 comentários :

  1. Oi, estava passando em um blog vi o de vocês e resolvi passa aqui e vê como era e simplesmente gostei do ideal de você, colocando as suas entrevistas aqui no blog espero um dia ver alguma coisa sobre mim aqui quando eu publicar o meu livro, rsrsrs. Passem lá no meu blog e sigam se puderem, já segui aqui.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Oii J.A Santos tudo bem ?
    Pode ter certeza que quando você publicar seu livro serei a primeira a escrever uma matéria sobre você! Que tudo dê certo.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design