sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Ciartcum torna-se ponto de referência cultural para Taguatinga



A Associação Ciartcum, fundada em 1994 por um grupo de artistas de Taguatinga é um ponto de cultura que se preocupa com as raízes do cerrado. A origem do nome vem da abreviação de uma fruta típica do cerrado, conhecida como araticum. Atualmente a companhia se localiza na M Norte, Distrito Federal.

O grupo iniciou-se com duas pessoas e com o passar dos anos o projeto ampliou-se. No começo, o foco era a música e a pesquisa dentro da cultura popular. O trabalho pioneiro foi o do Boi Jatobá, onde se pesquisou a musicalidade, a instrumentalidade e os arranjos. Hoje, a companhia está com 16 pessoas, além dos colaboradores que apoiam e participam dos eventos.

O Boi Jatobá é um ritual. “Quem brinca e gosta nunca esquece", explica um dos fundadores da Cia, Geraldo Toledo. Tem a parte musical; a parte cênica- que contempla a morte e a ressurreição do boi; e a dança que é um momento de ritualização que depois vira uma festa generalizada. “Se você mata o boi e não o ressuscita acabou a brincadeira”, diz o idealizador.

A companhia trabalha com outras manifestações culturais, como o Forró do cerrado, teatro de bonecos e percussão, além da preservação do meio ambiente. “A associação tem a finalidade de trabalhar com a comunidade, de modo que ela conheça a nossa diversidade cultural e preserve a nossa língua, nossa dança, nossa comida e nossos costumes”, ratifica.

Depois desses 15 anos, a companhia está tornando-se um centro de referência, já que a cultura de Brasília é desapegada do resto do Brasil. “Enquanto em outros lugares se passa o conhecimento de forma filial, em Brasília não existe isso”, comenta Geraldo. Daí a necessidade de entidades culturais em todos os bairros da capital.

Taguatinga- De acordo com o fundador da Ciartcum, Taguatinga não possui uma cultura própria. Antigamente, os jovens se reuniam para discutir política, participar de grupos culturais. Hoje já não se encontra mais isso. A companhia não consegue ainda ajudar as pessoas em prol de um movimento cultural.


Geraldo Toledo é percussionista, natural de Minas Gerais e veio para Brasília com 5 anos de idade. Em Taguatinga vive desde os 60. O que carrega hoje se deve a sua vinda para Brasília e o convívio com nordestinos e sulistas. Para ele, foi essa convivência que o ajudou a assimilar algumas coisas.

De certa forma, os espetáculos Boi Jatobá e Forró do cerrado possuem relação com Taguatinga. “Nessa região existem pessoas de todos os lugares do Brasil, onde elas vêem sua identidade”. Por conta disso, existe um personagem chamado Guaiupiara que é uma mistura do palhaço da folia de reis com personagens de MG, GO e BA.

Desafios- A Ciartcum hoje é algo religioso, onde as pessoas participam porque gostam e satisfazem a alma. “Quando as pessoas fazem um trabalho desses é como se ela estivesse rezando. É um sentimento meio que religioso”. Com esse ofício, as pessoas se sentem úteis para a associação e a comunidade.



Geraldo diz que trabalhar no meio artístico é um desafio. Muitos acham que quem trabalha com arte não quer nada e mexe com droga. Além disso, segundo Geraldo, há a intolerância religiosa, onde muitos acham que o grupo lida com macumba, devido os tambores. J-J

Por: Emerson Garcia, para a disciplina Jornalismo Especializado I.

Um comentário :

  1. Nossa que interessante, muito legal um local reservado para uma cultura especifica

    www.metadefutil.com

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design