quarta-feira, 20 de julho de 2016

Uma vitória nostálgica de Portugal na Eurocopa

Timorense comemoram vitória da seleção portuguesa |  RTP3

Caros leitores, voltei da França. Vi parentes e assisti os jogos da Eurocopa ou in loco ou pela TV. Ao publicar meu texto em 29 de junho de 2016 sobre o #Brexit, disse uma frase profética (com grifos):

"Pessoal, ainda estou na França matando saudades do lado gaulês de minha família e acompanhando os jogos da Eurocopa e torcendo para Portugal e França chegarem a final (bate coração!)."


E não é que as duas seleções chegaram em Saint-Dennis? Pois é! Torci e não torci ao mesmo tempo que isso acontecesse. "Torci" porque sou filho de francês, mas sou brasileiro de nascença. "Não torci" porque a história do Brasil e Portugal são interligadas mesmo com a independência de 1822. Sentiria-me traindo as origens francesas.

Mas quando o jogador Éder fez o gol de Portugal, ao segundo tempo da prorrogação, me senti aliviado. Meu filho Henrique ficou triste porque ele é mais francês que brasileiro. A "Seleção Nacional" (assim como os portugueses se referem) ganhou seu primeiro título numa competição internacional.

A pátria linguística

Mas é claro que não vim fazer uma crônica de jogo, mas de uma nação plural da língua portuguesa. A vitória da seleção portuguesa não foi apenas de 11 milhões de torcedores verdes-vermelhos. Um gol (ou golo) foi feito por um guineense, em Díli - capital do Timor-Leste. Muita gente vibrou. O que houve do Brasil foi um sentimento de vingança do episódio da Copa do Mundo de 1998 no mesmo estádio do mesmo país onde o penta foi adiado.

Depois de tanto tempo, como brasileiros, guineenses, timorenses compartilham a mesma vitória da nação que colonizou estes lugares? A história da lusofonia da lusofilia mostra que esta nação fundada por D. Afonso Henriques de Borgonha é marcada pela assimilação das diferenças culturais e sociais tendo a égide lusitana como fator unificador de um antigo império.

No jogo da final, quando Cristiano Ronaldo, Éder, Nani, Quaresma e companhia jogavam, lá estava eu e muitos falantes da língua de Camões torcendo. Uma partida de futebol que despertou os sentimentos de união e diversidade é incrível. Algo que não se vê em outros povos anglófonos e hispanófonos - onde se reina a sangrenta divisão.

A história e a bola (ou o esférico)


História e futebol andam juntas |  Zambi


Ao vermos a vitória da seleção portuguesa, veio na memórias as glórias de Portugal conquistadas por mais de mil anos, inclusive sobre a França. Por exemplo:

FATOR 1: Napoleão Bonaparte pressionou Portugal em aderir o Bloqueio Continental para prejudicar o Reino Unido (olha o #Brexit de novo, minha gente!). O então príncipe regente, D. João Maria de Bragança (futuro rei D. João VI), foi habilidoso em enrolar o imperador francês e evitar a família real ser aprisionado e o território português ser dilapidado para sempre. Ao contrário do que foi ensinado nos livros, filmes e minissérie de forma jocosa, D. João foi um mestre em assegurar um império e enganar o tirano gaulês.





FATOR 2: Após a vinda da família real portuguesa, é claro que Portugal tinha que dar o troco na França que agrediu a nação. A Guiana Francesa foi invadida, ocupada e dominada pelos portugueses até 1817.

FATOR 3: Por conta da aliança de portugueses e líderes indígenas foi impossível a colonização francesa no que hoje chamamos de Rio de Janeiro e São Luís do Maranhão.

Enfim, são histórias que elevam a moral lusitana frente ao poderio francês de outrora. E sem falar na Questão do Amapá, onde foi consolidada a soberania brasileira frente a França.

Tanto lá como cá, a autoestima foi às alturas. Levantou-se um sentimento de união e de poder que no passado Portugal havia tido.

Até mais, pessoal! Ora, pois. J-J














Por: Pedro Blanche

8 comentários :

  1. Eu gostei bastante que Portugal ganhou, foi merecida!
    Ainda que não tenho que ficar no meio de dois países assim como você hehe
    Beijos
    neversaynever-believe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também, Letícia. Valeu! | PEDRO BLANCHE

      Excluir
  2. Eu nem assisti nada. hahahahah mas sua situação ficou complicada, né?! hahahah
    Beeijos

    www.marinaalessandra.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazer o quê, Marina? Pelo menos tive a proeza de acertar a final da Eurocopa. Abraços. | PEDRO BLANCHE

      Excluir
  3. Eu não sou ligada em futebol, mas gostei da vitória de Portugal. Mas confesso que não gostaria de estar na sua situação em ter que escolher entre um ou outro.
    Gostei muito do post e toda parte histórica dele.
    Bjs❤
    Abrir Janela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história de Portugal é apaixonante porque se trata de um país de recursos e territórios limitados que criou um império que ia do Brasil, África até as bordas da Oceania. Abraços. | PEDRO BLANCHE

      Excluir
  4. Não acompanho futebol, mas vi algumas coisas à respeito!
    Adorei seu post, tá super completo e aprender é sempre bom né?
    Beijoss
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
    Tem vídeo novo no canal: https://www.youtube.com/watch?v=K4cl2STqLL8

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos elogios. Prazer em escrever. | PEDRO BLANCHE

      Excluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design