quinta-feira, 2 de julho de 2009

Perfil de um JJ (2)

“E qual é outra área que corresponderia as minhas expectativas? Comunicação Social, mais especificamente Jornalismo.”


Estava na dúvida do que postar na véspera da data do meu aniversário. Pensei em várias possibilidades legais e possíveis de auto-homenagem, daí lembrei que faltavam duas partes do meu perfil, e resolvi nesse dia escrever a segunda.

Para quem leu a primeira parte viu o tanto que eu sou indeciso. Até eu chegar onde estou demorou cerca de dois anos. Nunca pensei, desde criança, em cursar jornalismo. Na verdade nem sabia o que seria quando crescer. Na adolescência, para dar um desconto nos momentos calmos da infância, vi um turbilhão de idéias: geógrafo, historiador, psicólogo, economista (perceberam que não tem nenhuma área de exatas? Pois é eu odeio exatas!).

Como vocês viram no Perfil de um JJ (1), perdi um ano inteiro, prestando vestibular para Letras- Português. O que me parece, estando no 4º semestre de Jornalismo, é que perdi dois semestres com nada. Tentativas inúteis. Um ano depois de cansar de UnB eu pensei: agora, não passei no primeiro, tampouco no segundo vestibular, o que eu quero para minha vida? Parecia que todas as minhas dúvidas ressurgiriam mais uma vez, e foi aí que no final do ano de 2007 prestei vestibular para Letras. A segunda opção era Jornalismo.

Passei no vestibular como qualquer pessoa passa em qualquer faculdade particular. Momento de fazer matrícula. Tinha Letras como primeira opção, e Jornalismo como segunda. Só que não sabia que a primeira opção era a que teria que cursar. Agora nesse momento estava decidido a fazer Jornalismo, e mais do que nunca queria ser um Jovem Jornalista. O que faria se a primeira opção é que vale?

Foi aí que a administradora pedagógica da Universidade veio falar comigo. “Não tem como mudar a sua vaga para Jornalismo, não. Todas as vagas, de todos os cursos estão preenchidas”. Fiquei perplexo. Mas ela diz: “Tem certeza que é Jornalismo que você quer fazer?”. Estava mais certo do que nunca da minha opção. “Sim, é isso mesmo”, respondi. “Então eu vou te dar meu telefone e você me liga para ver se eles aceitaram a vaga”. Por fim, eles aceitaram a vaga!

Imaginava a Faculdade por fora: uma indústria de fazer conhecimento. Quando entrava via a imensidão dos blocos e suas iniciais alfabéticas, uma biblioteca de dois andares, espaços enormes livres para circulação, diversos laboratórios de informática, estúdio fotográfico, centro de rádio e televisão. Bastaria dois semestres para perceber que era isso mesmo que eu queria para minha vida, e um semestre para eu conhecer o mundo da comunicação e do jornalismo, por sua vez.

Primeiro semestre é época de conhecimento. Tanto é que as disciplinas que vemos são todas introdutórias e são a base para a continuidade do curso. Em uma delas, foi permitido abrir um leque grande das áreas da comunicação que são várias, as principais: Publicidade e Propaganda, Jornalismo e Relações Públicas. Em outra matéria, a professora nos proporcionou um rodízio de professores das mais diversas áreas da comunicação e que lecionam na faculdade para vermos todas as possibilidades, e as mais variadas histórias da comunicação. Gostei de conhecer a história da escrita, assim como me apaixonei pelo rádio (até pude falar no microfone do estúdio, só que minha voz ficou estranha).

Já no segundo semestre é tempo de decidir: é isso mesmo que eu quero? Vi, no final desse período, vários colegas migrando para Publicidade e Propaganda e muitos outros indo para áreas mais extremas, como Relações Internacionais. É aqui que temos que nos posicionar.

O segundo período abriu mais novas possibilidades: aprenderia a técnica e a teoria da fotografia, entenderia o processo jornalístico que vigora na cobertura de fatos, assim como uma gráfica funciona, mergulharia em diversas entrevistas, ensaios fotográficos, e até mesmo na editoração de uma revista. Para mim foi um dos melhores semestres que tive. Prefiro a prática a teoria.

Cada semestre que passa conheço uma face desse grande prisma que é o Jornalismo. E estou gostando muito de fazer esse curso. Me simpatizo com a maioria dos professores (tem alguns que não são tão bons assim), crio vínculos em diversos órgãos, como o CRTV e o estúdio fotográfico. Além de conhecer as mais diversas personalidades, e ter amizades com elas. Uma experiência incrível. J-J

O que aconteceu depois do segundo semestre? Assunto para o próximo perfil!


Por: Emerson Garcia

2 comentários :

  1. Você tem um bom texto para Jornalismo Literário....

    ResponderExcluir
  2. Tb estudo na católica, só que faço Rel =]

    Te vi no Relativizando absurdos e gostei do blog!

    Parabéns pelo blog e pelo niver hj =D

    Ahh é bom achar a coisa que realmente queremos fazer eu achava que ia fazer direito e agora faço Rel... Ainda bem que eu descobri o curso certo antes de prestar o vestibular...

    Beijo

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design