terça-feira, 15 de maio de 2012

Hoje reestreia: Dom de Reportagem!

Em especial, hoje, não haverá Nosso Dom (fica para semana que vem). Mas, hoje reestreia:




Depois de três anos, sem postar! rsrsrs

Esse foi o primeiro quadro do blog e eu pretendo voltar com ele agora! Para aproveitar o mês das mães e dos trabalhadores...



Roupa suja não se ablui 
nem se passa em casa
Pessoas recorrem a lavadeiras e passadeiras profissionais, mas requisitos, como o domínio de tecidos e instrumentos, são necessários para quem quer sobreviver com as profissões 


Lavar e passar roupa são ofícios presentes no cotidiano das pessoas. Muitas donas-de-casa lavam e passam para seus familiares. Contudo, quando o trabalho não é executado pelas secretárias do lar, a opção é recorrer a lavadeiras e passadeiras profissionais. Elas são procuradas porque muitos não possuem tempo. House Clean e Lav e Sec Mais são duas empresas localizadas em Taguatinga Sul especializadas em lavar e secar roupas.
Passar e lavar roupa podem ser atividades aprendidas no dia-a-dia, embora para ser profissional na área necessite de um aprimoramento das funções. A jovem e de bem com o trabalho, Josiane Almeida, 32, é passadeira da House Clean há 9 anos e diz que os ofícios não são para qualquer pessoa. Quando se fala de passadeira profissional a disposição deve ser dobrada, tendo em vista as tecnologias industriais. “Em casa todas (as mulheres) passam, mas na lavanderia não. Tem que ter prática e jeito, porque é difícil trabalhar com a máquina”, explica. 

Sem ou com requisito?
Na House Clean existem ferros profissionais e dispositivos, como um botão onde a passadeira deve saber a temperatura exata que cada tipo de tecido possui para acionar. Além disso, o exaustor controla a temperatura ideal da tábua de passar. O empenho no trabalho é fundamental para não correr o risco de queimar o tecido por descuido. A profissional precisa-se atentar-se para a temperatura do ferro, pois para cada temperatura é um tecido diferente. “As temperaturas do ferro permitem que você passe qualquer tipo de tecido, retirando o risco de queimar ou estragar uma peça”, explica Josiane.
Empenho, cuidado e atenção são necessários para a prática de lavar roupa profissionalmente, embora nessa atividade não seja pré-requisito o cuidado com a máquina, e sim com as roupas que serão lavadas. De acordo com a baixinha e alto-astral senhora Sílvia Gusmão, 59, da mesma empresa de Josiane e que trabalha há 10 anos no ramo, a lavadeira precisa entender como se trabalha com cada peça, cada tecido, e já prever se a roupa causa danos, como o desbotamento e o abarrotamento. Ela deve possuir conhecimento sobre tecidos para decidir de que forma a roupa será lavada: se a mão ou na máquina. “Você pode rasgar a roupa, e até mesmo manchá-la. E encolhê-la, ao lavá-la na máquina sendo o correto lavá-la à seco”, reitera.
Na lavanderia próxima a House Clean, Lav e Sec Mais, a senhora Francisca da Cunha, 52, que trabalha há 11 anos e meio profissionalmente, tanto como passadeira, como lavadeira, possui uma opinião diferente de Sílvia. Para ela, qualquer pessoa pode lavar roupa, sem a precisão de técnicas, embora ela diga que a ciência para se lavar roupa à seco, tenha a necessidade de um aprendizado. Tecidos, como o do terno, devem ser lavados à seco, porque ele não encolhe ou desbota. Já o jeans, tanto pode ser à água como à seco, dependendo da escolha do consumidor. 




Tecnologias e profissionais
Para a realização de um trabalho industrial, as lavanderias House Clean e Lav e Sec Mais, possuem divergências visíveis. Enquanto as profissionais da House Clean afirmam que os ferros industriais são melhores do que os domésticos, as da Lav e Sec Mais dizem que não há diferenças de máquinas de lavar industriais e domésticas. “A industrial é a mesma máquina doméstica. Não tem porque dizer que uma lava melhor que a outra ou que é diferente. Elas realizam o mesmo trabalho”, comenta Francisca. 
Cuidados com tecidos
Cuidados especificados nas etiquetas de roupas devem ser levados em conta tanto para o ofício de passar como para o de lavar. Geralmente, sempre há informações como a composição do tecido, assim como, de que modo devem ser lavadas determinadas roupas – se pode empregar produtos químicos – além das temperaturas descritas.
O ato profissional de abluir roupas pode ser mais excelente com o auxílio de produtos químicos, embora não se descarte a observação. Amaciantes e produtos específicos de lavanderia são utilizados na House Clean, em detrimento de águas sanitárias. Já na Lav e Sec Mais empregam-se sabões industriais, amaciantes e doses de detergente para auxiliar na limpeza. Além de um elemento interessante: o sal na água. A salinização serve para conter o desbotamento de tinta, que alguns tecidos estampados produzem.
Ao realizar a lavagem de roupas, é importante que haja a separação de peças, por cor, estilo, tecido; separação de roupa que mancha ou não; além da classificação por peso – se é pesada ou leve. Na Lav e Sec Mais, a separação se dá pela quantidade de roupas que o cliente leva. Se for uma ampla quantidade, agrupa-se todos os tecidos na pré-lavagem, alertando o cliente dos riscos com o tecido; se for a peça separada o cuidado é diferente.
Sílvia explica que a mesma cautela que as lavadeiras possuem com tecidos, as passadeiras devem ter. Existem tecidos que são mais fáceis de passar, outros, como o algodão, são mais complicados. Contudo, na opinião de Josiane se você gosta de passar não existe dificuldade. 



“Se chegar um camurça ela sabe que não se passa, somente se vaporiza. Tanto na moda, como aqui, existe todo tipo de tecido”. Sílvia Gusmão, lavadeira 




Moda Vs. Abluir e Passar
Assim como estilistas se preocupam em estudar tecidos para fazer moda nas passarelas, lavadeiras e passadeiras devem possuir noção mínima para trabalhar com os mesmos, embora existam algumas profissionais que conhecem pouco de moda, aprendendo cada dia um pouco. É o caso da senhora Francisca que tem ciência escassa dos tecidos.
A partir do toque, sensação e convivência com texturas e tecidos se conhece a característica de cada um deles. “Aqui na empresa vem todo tipo de tecido: seda, camurça, algodão, linho, poliéster, nailón, tricolin e de um novo tecido que parece papel – o tapetá. A passadeira conhece todos os tecidos. Se chegar um camurça, por exemplo, ela sabe que não se passa, somente se vaporiza. Tanto na moda, como aqui, existe todo tipo de tecido”, enfatiza Sílvia. As atividades de abluir e passar estão intrinsicamente ligadas ao trabalho de costureiras e estilistas, porque quando se idealiza uma roupa ela precisa ser lavada e passada.
A relação entre passadeiras e lavadeiras é de cumplicidade e mutualidade. Na empresa House Clean, logo depois que Sílvia realiza a lavagem das peças e secagem, Josiane executa o processo de engomar e passar. Assim como na Lav e Sec Mais. 

As profissões
“Mexer com lavanderia tem que ter sangue no olho, porque é muito trabalho”, ratifica Francisca. As atividades como passadeira e lavadeiras são intensas e só mesmo quem tem amor a profissão pode continuar. Francisca, por exemplo, já trabalhou 12 horas seguidas passando e obteve uma tendinite. Joseane, uma vez se queimou com o ferro industrial porque esqueceu o braço perto do ferro. A queimadura foi leve, deixando somente uma pequena marca em vermelho. Os riscos são possíveis. Contudo, quando se tem o sentimento mais sublime do mundo eles são imperceptíveis.
Amor a profissão vem em primeiro lugar, depois as necessidades financeiras, que aliás são perfeitamente sanadas. “A minha profissão como passadeira dá perfeitamente para sanar as dívidas e ainda sobra, embora a gente sempre queira ganhar mais né? Mas a lavanderia é um bom ramo”, anima-se Francisca.
O atendimento tanto da House Clean como da Lav e Sec Mais é pela conversa com o cliente, estipulação de preços – que varia se for peça única ou o cesto – e o agendamento de horário de entrega – dependendo da urgência de cada peça. “É raro pegar uma roupa no mesmo dia, só mesmo se for exigência da pessoa. Quando é urgente larga-se qualquer coisa e dá prioridade”, comenta Francisca. 
Passar e lavar roupa é uma arte”, resume Sílvia. Para realizar esses ofícios, somente com empenho, dedicação, conhecimento de tecidos, que vai muito além da necessidade de possuir um emprego. São ciências que devem ser empregadas para um bom exercício das profissões.





 “Em casa todas (as mulheres) passam, mas na lavanderia não. Tem que ter prática e jeito, porque é difícil trabalhar com a máquina”.


 
Por: Emerson Garcia
Fotos: Samara Andressa

4 comentários :

  1. Eu se pudesse mandaria todas as minhas roupas para lavanderia, quem sabe um dia tenho profissionais cuidando e mantendo minhas roupas sempre novas, não é?
    Bjus e uma ótima terça-feira!
    Rafaelando

    ResponderExcluir
  2. A melhor coisa mesmo é levar a roupa para lavar na lavanderia. Fica limpinha cheirosinha e passadinha. Tem coisa melhor? haha

    Beijos, ederoerasunhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Você não vai clicar no primeiro download e sim no que está escrito Click here to start download from sendspace
    ok?
    bjs

    ResponderExcluir

Obrigado por mostrar seu dom. Volte sempre ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design